Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Quinta, 26 de outubro de 2020
Homenagem para Fernando Vannucci

Falecido dois dias antes da publicação deste especial, o apresentador de 69 anos fez história ao ser um divisor de águas no tocante a imprimir descontração em algo sisudo como era o esporte da TV Globo até a metade dos anos 1980. De todas as quebras de paradigma, certamente esta foi a maior de todas pelo contexto histórico.

Ainda no fim da adolescência, começou no rádio de sua Uberaba ao trabalhar nas emissoras Sociedade e Sete Colinas. Em 1970, foi para Belo Horizonte trabalhar na Inconfidência. Em 1973, tornou-se televisivo através da Globo Minas. Nela, apresentava o segmento local do "Jornal Nacional". Em 1977, a Rede Globo transmitiu nacionalmente parte de um Cruzeiro x Atlético com a narração dele antes da finalíssima Corinthians x Ponte Preta do Paulistão. Naquele ano, a pedido de Léo Batista (que tocava sozinho a apresentação de tudo de tudo do esporte da emissora no Rio de Janeiro e teve sugerido o nome do mineiro para dividir escalas), foi contratado pela matriz da emissora.

Vannucci foi um dos apresentadores de algo esperadíssimo às 10 da noite de todos os domingos: "Os Gols do Fantástico", 15 minutos de bola na rede por todo o país. Este registro é de 5 de novembro de 1978.



Naquele ano de 1978, ele foi o terceiro narrador da Globo na Copa do Mundo na Argentina, dividindo escalas com Tércio de Lima e o titular Luciano do Valle. Um dos amistosos preparatórios da Seleção Brasileira aconteceu em 21 de abril, vitória por 3 x 0 sobre o Atlético na Espanha. A narração é dele. (som de apenas um dos lados)



Durante toda sua trajetória no Plim-Plim, Fernando apresentou o "Globo Esporte". Um dos registros mais antigos é de 13 de abril de 1979, quando apresentou os gols de Palmeiras 4 x 0 Alianza Lima, jogo da Libertadores no dia anterior. O vídeo foi reprisado em 2018 pelo "Giro da Rodada", que Lucas Gutierrez apresentava no SporTV. Ao anunciar o vídeo resgatado, ele ainda destacou especialmente: "se liga na estileira do Vannucci".



Vê-lo como repórter não era muito frequente. Um desses raros momentos aconteceu em 1984, quando foi à Bahia gravar uma matéria sobre a Catuense, que jogaria a Série A do Campeonato Brasileiro, para o "Globo Repórter", então apresentado por Eliakim Araújo e que na época era factual e dividido entre dois ou três temas por edição.



Somente dois profissionais do departamento de esportes da TV Globo foram apresentadores do "Jornal Nacional" em si, locutores centrais, mesmo que substitutos: Léo Batista e ele, claro, Fernando Vannucci, aí visto nas manchetes de 1º de março de 1986 ao lado do já citado Eliakim Araújo. Ali, eles substituíam Cid Moreira e Celso Freitas.



Naquele mesmo ano, Vannucci participou da terceira de seis Copas do Mundo feitas (consecutivas de 1978 até 1998). Sua apresentação destacou-se positivamente ao imprimir um ritmo legal, quebrando a seriedade extrema que a Globo trazia desde seus primórdios. Aí, ele interpreta uma crônica de Armando Nogueira sobre Maradona.



Em 1991, estreou um programa inesquecível nas viradas de domingo para segunda-feira: o "Placar Eletrônico", que resumia em meia hora o fim-de-semana esportivo com abrangência máxima, inclusive em campeonatos que não eram transmitidos pela Globo. Fernando e Léo Batista foram seus principais apresentadores e Mylena Ciribelli se revezava direto com um ou outro. O segundo bloco era destinado ao futebol compacto de cada estado.



Por falar em Vannucci e Mylena: eis ambos em 1992 no "Esporte Espetacular", outro programa que ele apresentou por anos e muitos anos. Nesta época, a exibição era nas tardes de sábado, antecedendo o futebol ao vivo.



Cinco dos seis Jogos Olímpicos que Fernando transmitiu foram pela TV Globo, consecutivos de 1980 até 1996. Os últimos foram em Atlanta, de lá aí visto um boletim com ele em dupla com Sandra Annenberg.



Em 1998, uma cena até hoje inédita na internet "feriu seriamente" o famoso "Padrão Globo de Qualidade": Vannucci surgiu na tela do "EE" engolindo um lanche feito durante o intervalo, já que imaginava que a imagem estaria em Mylena Ciribelli na volta do intervalo. Retirado do programa, foi colocado nos começos das manhãs, fazendo o esporte do "Bom Dia Rio" e do "Bom Dia Brasil", mas foi escalado para transmitir o carnaval do Rio de Janeiro, que fez seguidamente de 1985 até 1999, ano no qual relatou assim o desfile da campeã Imperatriz Leopoldinense.



Esportivamente, um dos últimos registros de Fernando na Globo - e não é mentira nenhuma - é de 1º de abril de 1999, quando apresentou no "Bom Dia Brasil" os gols da noite anterior pela Copa do Brasil.



O apresentador decidiu deixar a Globo, que cobrou uma multa rescisória por isso - mas ele ganharia da emissora na Justiça. Transferido para a Bandeirantes, cujo esporte era assumido pela Traffic, apresentou a nova fase do "Show do Esporte" aos domingos e também fez o programa "Esporte Agora" durante a semana, além de cobrir os Jogos Olímpicos de Sydney em 2000 e fazer transmissões de carnaval. Do "Show" com sua participação, um registro de 1999 é o quadro "Sua Vida", que homenageava ídolos. Este foi com Dunga. (som de apenas um dos lados)



Em 2002, a Traffic trocou a Bandeirantes pela Record, reduzindo bastante o número de contratados - e Fernando continuou como um deles, mas sua passagem por lá foi pouco memorável. Um raro registro dele é de 15 de maio, quando apresentou o intervalo de Brasiliense 1 x 1 Corinthians, pela finalíssima da Copa do Brasil.



Depois da Globo, a passagem profissional mais longa de Fernando Vannucci foi pela RedeTV!, na qual ficaria de 2003 até 2011. No ano de estreia, transmitiu as corridas da Fórmula Mundial (C.A.R.T.) ao lado de Celso Itiberê, que também fazia a Fórmula 1 pelas rádios Globo e CBN. Este é um compacto da etapa de Brands Hatch.



Ele apresentou jornais como o "RedeTV! News" e programas como "TV Esporte", "RedeTV! Esporte" e "Bola na Rede", que assumiu em 2005 após a saída de Roberto Avallone e no qual ficou até deixar a emissora. Sim, foi nele que aconteceu o famoso e lamentável episódio do dia da Itália campeã mundial de 2006, mas até por ser algo doloroso demais e que lhe marcou negativamente a ponto de muitos nem mais lembrarem do que positivamente fez até então, é melhor deixá-lo de lado ao menos neste momento de respeito e reverência à sua memória. Assim, melhor resgatar um trecho do programa em 2009, já quando a emissora transmitia em alta definição.



Após deixar a RedeTV!, Vannucci não foi recontratado por outra emissora e foram raras suas aparições. Uma delas aconteceu em 2013, quando foi entrevistado ao lado do saltador triplista Jefferson Sabino no quadro "Papo na Padoca", apresentado de uma padaria de São Paulo pelo saudoso Cadu Cortez no "Guia do Dia", da TV Cultura.



Desde 2014, Fernando era editor de esportes da Rede Brasil (RBTV) e dava as notícias deles no jornal "RB Notícias". Este vídeo é de novembro de 2016, quando destacou o Palmeiras campeão brasileiro.



Em 2018, apresentou o programa "A Rússia é Logo Ali" no portal UOL, recebendo convidados para falar sobre a Copa do Mundo. Nesta edição, esteve com Luís Augusto Simon, Milton Neves e Roque Júnior.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.