Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Terça, 4 de fevereiro de 2020
10 anos de um caos no rádio de SP

Assim como fora um dia antes em Porto Alegre no Grêmio 1 x 1 São Luiz do desmaio de Batista, outra partida de campeonato estadual marcada para 17h de um dia útil por causa da grade de programação do PFC Internacional foi marcada por um cenário de caos: Palmeiras 1 x 1 Portuguesa, pelo Campeonato Paulista. Pela "ducentésima octogésima milionésima" vez seguida só naquele ano de 2010, choveu na capital bandeirante. Como se isso já não fosse suficiente, a energia elétrica do Parque Antártica caiu cerca de meia hora antes da bola rolar, assim ficando até meia hora depois do último apito. Todas as rádios paulistanas transmitindo. E todas sofreram, umas menos, outras mais e algumas completamente. Mas ninguém passou sem uma só interferência disso.

É que, sem energia no estádio, só gerador para manter as linhas funcionando. Mas se acabasse a bateria deles, já viu o drama que geraria. A Jovem Pan, por exemplo, teve os dois gols narrados pelo plantão Vander Luiz, revivendo seus dias de narrador. A Eldorado/ESPN também foi forçada a apelar para o tubo com Carlos Lima. A Capital também teve o equipamento derrubado. Enfim, todas sofreram. À ocasião, acompanhei a maior parte da partida pela Globo, cujo equipamento conseguiu resistir firme e forte - mas até a página 9: funcionou com Silva Jr. e Osvaldo Pascoal na cabine, mas não com Gustavo Zupak no campo, ficando a dupla da cabine segurando as pontas.

Aperto parecido sofreu a Bandeirantes. O equipamento dela até aguentou até meados do segundo tempo, mas morreu. Pra não deixar o jogo sem narração, improvisaram Eduardo Vaz, do BandSports, para segurar as pontas no estúdio ao lado de Estevan Ciccone - Dudu até soltou em dado momento um "veja como foi", evidente cacoete televisivo. Depois até voltaram José Silvério e Mauro Beting, mas via telefone, como no rádio das antigas - e sem reportagem, ainda mais que ficou apenas Alexandre Praetzel, pois Leandro Quesada acabou indo embora antes.

Lamentavelmente, tristemente e infelizmente, não existe na internet mais um único registro em áudio de nenhuma emissora neste clássico caótico. Dois links indicados no dia seguinte por este PAPO DE BOLA - O SITE na coluna "Papo de Mídia" não têm mais os acréscimos que ajudariam a contar esta história ainda melhor: um era o blog do "Globo Esportivo" no antigo site da Rádio Globo, no qual um post sobre este episódio fora publicado por Natalie Gedra, que reportou o clássico na transmissão da CBN via internet; e o outro é um post de Rodney Brocanelli no blog Rádio Base Urgente, que até permanece no ar, mas não com os áudios ali publicados originalmente.

Por fim, ficam a seguir os gols na transmissão do motivador que a bola rolasse no horário das 17h: o PFC, que aparentemente não parece ter tido problemas, visto que Linhares Jr. relatou normalmente os tentos.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.