Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Quinta, 30 de janeiro de 2020
Lúcio encerrou sua carreira

Ontem, o agora ex-zagueiro anunciou em entrevista à edição gaúcha do "Globo Esporte", na RBS TV, que pendura as chuteiras aos 41 anos. Saído do Distrito Federal para despontar no Rio Grande do Sul, ganhou depois a Europa e o mundo.

Campeão brasiliense de 1996 pelo Guará, começou como atacante antes de passar para a zaga, o que explica o faro de gol constante para um beque. Na Copa do Brasil de 1997, seu time tomou 7 x 0 do Internacional, que apesar do escore elástico viu potencial nele e o contratou. Ficando no Colorado até 2000, foi campeão gaúcho de 1997 e da Copa SP Júnior de 1998. Do último ano dele nos gaúchos, fica seu gol no 1 x 0 diante do Corinthians em 1º de novembro, pela Copa João Havelange. Pedro Ernesto Denardin estava no Beira-Rio pela Rádio Gaúcha.



Saído para a Alemanha, defendeu inicialmente o Bayer Leverkusen e, mesmo indo às redes na final de 2002, foi apenas vice europeu pois o Real Madrid de Zidane estava impossível. Título em 2002 ele venceu pela Seleção Brasileira: o da Copa do Mundo na Coreia do Sul e no Japão. Ponto maior de sua longa história com a amarelinha, mas não dá para dizer que tenha sido o mais especial em nível pessoal. Voltando à Alemanha: os canecos vieram no Bayern de Munique. 3 nacionais, 3 copas nacionais (ambos 2005, 2006 e 2008) e 2 Copas da Liga (2004 e 2007).

Na Copa de 2006, apesar da frustração pela eliminação para a França, o zagueiro fez história nesta derrota pois uma falta cometida em Zidane aos 26 minutos do 2º tempo - quando os Bleus já ganhavam por 1 x 0 - tornou ele o defensor com mais minutos sem cometer infração em partidas mundialistas: 386, três a mais que Gamarra pelo Paraguai em 1998. Aliás, marca esta findada também diante dos franceses e também numa partida que representou para os europeus uma classificação (em 98 para as quartas e em 2006 para a semifinal).

Enquanto estava na África do Sul para a Copa das Confederações, Lúcio soube que o Bayern não iria renovar seu contrato por querer rejuvenescer a equipe. Azar do clube de Munique, sorte da Seleção Brasileira por ser campeã com participação decisivíssima do zagueiro. Em 28 de junho de 2009, foi dele o tento da virada de 3 x 2 sobre os Estados Unidos na final realizada no Ellis Park, em Joanesburgo. Uma vitória eletrizante vinda graças à sua cuca legal. Na TV Bandeirantes, a narração foi de Luciano do Valle.



De volta à Europa, Lúcio foi pra Itália defender a Internazionale. Só em 2010, faturou Mundial, Liga dos Campeões, Supercopa da Itália, Italiano e Copa da Itália, esta última repetida em 2011. A seguir foi para a Juventus, mas ficou apenas meio ano e não jogou praticamente nada, embora ainda fosse campeão da Supercopa da Itália de 2012. Retornado ao Brasil, defendeu São Paulo e Palmeiras, mas sem levantar taças. Arriscou uma ida à Índia, ao Goa, e depois desembarcou de volta no território natal, primeiro no Gama e por último no Brasiliense.

Era justamente no Jacaré onde o jogador estava em maio de 2018, quando foi alvo desta reportagem de Stephanie Alves apresentada no "Globo Esporte" por Cristiane Dias. À ocasião, Lúcio era o último atleta vencedor da Copa do Mundo pelo Brasil ainda em atividade. Com sua aposentadoria anunciada nesta semana, não temos mais nenhum campeão mundial ainda jogando.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.