Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Domingo, 13 de maio de 2018
Os títulos de Fábio Koff no Grêmio

O maior presidente da história do clube morreu na última quinta-feira, a três dias de completar 87 anos. A comoção da parte dos azuis, pretos e brancos foi enorme, como só mesmo alguém que tanto engrandeceu o Tricolor em seus três mandatos (1982 a 1983, 1993 a 1996 e 2013 a 2014) poderia causar. No primeiro, atingiu a maior glória: a conquista do mundo. No segundo, acumulou títulos. E no terceiro, se não ganhou, preparou o terreno para o atual mandatário Romildo Bolzan Jr.

Depois da perda do Brasileirão de 1982 para o Flamengo, o primeiro título de Koff como mandatário do Grêmio veio no ano seguinte. Foi no inesquecível 28 de julho que o time derrotou o Peñarol por 2 x 1, no Olímpico, para conquistar a Libertadores. Eis os gols de César e Caio na voz de Armindo Antônio Ranzolin, da Rádio Guaíba.



O que já era ótimo ficou ainda melhor em 11 de dezembro, quando Renato teve uma atuação extremamente decisiva no Nacional de Tóquio para obter a Copa Intercontinental diante do Hamburgo. Os dois gols fizeram dos gremistas campeões mundiais. Haroldo de Souza acompanhou tudo de perto pela Rádio Gaúcha.



Evidentemente, a festa foi enorme na volta para Porto Alegre. Só notar pela reportagem de João Bosco Vaz na RBS TV, com direito a Koff como um dos entrevistados.



10 anos depois, Koff reassumiu o clube para mandato até 1996, eleito que foi por aclamação. A reportagem da RBS TV cobriu o acontecimento com Régis Rosing.



No mesmo 1993, o primeiro título desta segunda passagem: o Campeonato Gaúcho, decidido em um octogonal. Caio marcou e o 1 x 1 com o Pelotas, na Boca do Lobo, em 14 de julho, assegurou o 1º lugar com duas rodadas de antecipação. O vídeo da RBS TV tem narração de Paulo Brito e reportagem de Vanderlei Leivas.



Mais um troféu para a galeria: 10 de agosto de 1994, Copa do Brasil conquistada sobre o Ceará por 1 x 0. Nildo deflagrou a festa no Olímpico ainda nos primeiros minutos da decisão. A Rádio Gaúcha transmitiu com Armindo Antônio Ranzolin, Ruy Carlos Ostermann, Sílvio Benfica e Jorge Estrada.



Novo título gaúcho em 1995. Com prioridade para outras competições, o time do estadual (denominado por Koff como "cafezinho") ficou conhecido por "Banguzinho". Em 13 de agosto, no Olímpico, Nildo abriu o placar, Zé Alcino empatou e Carlos Miguel fez o gol decisivo. A narração na RBS TV foi de Paulo Brito.



Ainda em agosto de 1995, mas no dia 30, o bicampeonato da Libertadores veio em Medellín num peleado 1 x 1 com o Atlético Nacional. Aristizábal deixou os colombianos na frente, mas Dinho empatou no Atanásio Girardot. Haroldo de Souza, Edegar Schmidt, Ricardo Vidarte e Rogério Bohlke acompanharam pela Rádio Guaíba.



A "Tríplice Coroa" de 1996 começou em 7 de abril, na Recopa Sul-Americana. Jardel abriu o placar no Universiade Memorial de Kobe, Burruchaga empatou e Carlos Miguel, Adílson e Paulo Nunes abotoaram o Independiente: 4 x 1. Pedro Ernesto Denardin, Wianey Carlet, Farid Germano Filho e Flávio Fiorin cobriram pela Rádio Gaúcha.



Jardel foi o senhor da tarde em 30 de junho, quando os mosqueteiros golearam o Juventude por 4 x 0 para conquistar o bicampeonato gaúcho. Ailton foi quem abriu a sacola de gols no Olímpico. Em sua primeira final estadual como locutor titular da Rádio Gaúcha, Pedro Ernesto Denardin contou os lances.



1996 acabou eletrizante em 15 de dezembro. Paulo Nunes marcou no 2º minuto, mas o Olímpico só explodiu com Ailton a 6 minutos do fim. 2 x 0 sobre a Portuguesa e o segundo título brasileiro. Haroldo de Souza, Edegar Schmidt, Paulo Sérgio Pinto, Luiz Carlos Reche, Luís Henrique Benfica e Rogério Bohlke relataram na Rádio Guaíba.



Após deixar o Grêmio, Fábio Koff presidiu o Clube dos 13 e teve participação importante na negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro a partir de 1997, primeiro ano do pay-per-view. Sua saída do comando aconteceu em 2011, ano derradeiro da própria entidade criada em 1987.

Em 2014, o presidente gremista foi tema-enredo no carnaval de Porto Alegre. Reportagem de Débora de Oliveira no SBT destaca o desfile da Unidos do Capão, da Série A (grupo de acesso), que cantou "Das terras de Santa Tereza surge a lenda e o mito, o líder Fábio André Koff, o Imortal Tricolor".

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.