Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
Imagens que marcaram época, sons inesquecíveis, personagens que fizeram história. Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui, recordar é mais do que viver. É saber, é contextualizar, é rememorar. Viaje no tempo.
 
LEIA AQUI as colunas anteriores
 
Domingo, 13 de maio de 2018
Os 45 anos da Chapecoense

A data foi completada pelo clube do oeste de Santa Catarina na última quinta-feira. Momento não muito propício para festa considerando-se os insucessos dentro de campo, mas o que representa isso para quem teve que recomeçar praticamente do zero depois do tristíssimo choque sofrido pelo mundo da bola há um ano e meio?

A Chape venceu seis Campeonatos Catarinenses. O primeiro veio em 1977 e o segundo só chegou em 1996. Neste século 21, é uma das agremiações mais "copeiras" do torneio pois o conquistou em 2007, 2011 e no bicampeonato de 2016 e 2017, além de ser vice em 2009, 2013 e 2018.

Um pouco dos primeiros 38 anos do clube foram guardados por um torcedor despachante que eternizou em quadros todos os times do Verdão do Oeste desde a fundação. Essa história foi registrada em 2011 pelo sobrevivente Rafael Henzel para a produtora independente Clássico TV.



Do primeiro título, infelizmente, não existem vídeos. Mas temos o áudio da Rádio Chapecó naquele 30 de outubro de 1977. Em homenagem feita em 2016 (e publicada pouco menos de um mês antes de infelizmente você bem sabe o quê), Casemiro Roberto apresenta a narração de Teles da Silva para o gol de Jaime. 1 x 0 sobre o Avaí no Índio Condá. A decisão foi tensa pra dedéu, com muita briga nos bastidores entre os clubes. Nascia ali uma baita rivalidade.



Já a decisão de 1996 foi caótica. Deveria ser em julho, mas um foguetório perto do hotel onde o Joinville se hospedou fez com que o time não dormisse na véspera e a direção decidiu não levá-lo a campo. A Chapecoense entrou. O W.O. foi declarado. Mas o campeonato só acabou em 18 de dezembro, no Índio Condá. O Verdão foi campeão ao vencer por 2 x 0, gols de Marquito no tempo normal e Gilmar Fontana na prorrogação. Roberto Alves recordou o episódio na RBS TV em 2016.



Outra conquista que vale lembrar é a de 2011, novamente na agora Arena Condá. O 1 x 0 de 15 de maio foi sobre o Criciúma, com quem tem uma espetacular rivalidade em termos de decisões: ganhou duas (2007 e essa aí) perdeu três (1991, 1995 e 2013). Um detalhe: a Chape tinha sido rebaixada em 2010 e só jogou a Série A pois o Atlético Hermann Aichinger desistiu de disputá-la. Lembre o gol contra de Carlinhos Santos com o saudoso Fernando Doesse, da Rádio Chapecó.



Para não faltar uma partida contra o Figueirense, separei uma vitória por 3 x 1 pelo Campeonato Catarinense, na Arena Condá, em 5 de fevereiro de 2012. O vídeo a seguir não tem o gol de Roni para o clube do Estreito e sim apenas os três dos alviverdes, marcados por João Paulo, Tiago Cavalcanti e Esquerdinha. O áudio é da Rádio Super Condá e traz a narração de Ivan Carlos, cronista que há mais tempo cobre a Chape, e reportagem do saudoso Edson Luiz Picolé.



Uma peculiaridade da Chapecoense é nunca ter sido rebaixada para a Série B do Brasileirão. O clube disputou a edição de 1978 e não esteve entre os últimos de sua chave, embora não passasse de fase, mas ficou de fora da edição seguinte. Vindo no campo, o regresso aconteceu em 2014. A primeira vitória naquela Série A aconteceu em 25 de maio: 2 x 0 sobre o Palmeiras. Os gols de Tiago Luís e Dedé têm a narração de Rogério Assis pela Rádio Jovem Pan.



Segurei ao máximo a menção, mas é inevitável não terminar lembrando da tragédia aérea de 29 de novembro de 2016, em Medellín, onde a Chape disputaria a final da Copa Sul-Americana, título que ficou sendo seu a pedido do adversário Atlético Nacional, que rendeu lindas homenagens. É um episódio ainda muito doído, são feridas que ainda não cicatrizaram. Algumas daquelas 71 vítimas foram rememoradas nos parágrafos acima. De mais três lembrarei. Seis dias antes do voo fatídico, Danilo foi entrevistado por Victorino Chermont e escutou sua defesa decisiva no 0 x 0 com o San Lorenzo, pela semifinal, na narração de Deva Pascovicci pelo Fox Sports.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.