Desde 02/06/2003 Criação, produção e edição: Edu Cesar


papodebola@gmail.com


papodebola


sitepapodebola


edupapodebola


(51) 99843-7700

SOBRE ESTA SEÇÃO
O editor Edu Cesar comenta os resultados dos campeonatos de futebol e o dia-a-dia dos clubes. Destaque para o que de principal ocorre em todas as modalidades e ainda os tópicos não-esportivos "Sintonia PB", "Clipe do Dia" e "Bela do Dia".
 
LEIA AQUI as colunas anteriores VEJA AQUI as "Belas do Dia" anteriores
 
Sexta, 1 de janeiro de 2021
Bahia completa 90 anos



Primeiro campeão nacional do futebol brasileiro, o Esquadrão de Aço agora é nonagenário. Vencedor da Taça Brasil de 1959 contra o Santos (para quem perderia as decisões de 1961 e 1963), repetiu a dose do Campeonato Brasileiro de 1988 diante do Internacional - em comum entre as duas conquistas o fato de seus epílogos acontecerem no ano seguinte (29 de março de 1960 e 19 de fevereiro de 1989). Foi o primeiro clube do país a disputar a Libertadores, enfrentando o San Lorenzo na primeira fase e sendo eliminado sofrendo 3 x 0 fora e marcando 3 x 2 na Fonte Nova. Vice do Nordeste em 2020, foi campeão em 2001 diante do Sport e 2002 e 2017 em clássicos contra o Vitória.

Tricampeão estadual e exitoso 45 vezes totais, faturou o troféu do ano passado nos pênaltis contra o Atlético de Alagoinhas após dois empates. No ainda não encerrado Brasileirão de 2020, sua situação não é nada fácil: é 16º colocado com 28 pontos e 8 vitórias, mesma pontuação com uma vitória a mais que o Vasco - este, porém, tem uma partida a menos a ser jogada no dia 27, visitará o Palmeiras. Se 2020 acabou para os tricolores contra um gaúcho na derrota por 2 x 1 para o Internacional no domingo passado em Salvador, o compromisso que abrirá 2021 será diante do outro gaúcho na quarta-feira da semana que vem, encarando o Grêmio aqui em Porto Alegre.

Roberto Rivellino completa 75 anos



Desde 1946, o primeiro dia de cada ano marca o aniversário de um dos maiores jogadores do mundo em todos os tempos, um cracaço de bola. A patada mais atômica do seu tempo foi fundamental para o Brasil do tri mundial em 1970, infelizmente não repetindo o sucesso em 1974 e 1978, mas dele fazendo um três vezes futebolista mundialista.

Reprovado em peneira no Palmeiras, o "Bigode" - ou "Orelha", como diz seu parceirão Gerson - marcaria época no Corinthians, mas pegaria a época do jejum de títulos dele. Sim, consta a conquista do RJ/SP de 1966, mas acaba não valendo por não ter sido individual e sim dividida com Vasco, Santos e o 1º nos critérios, o Botafogo (porém, critérios não estavam previstos e decidiram que todos os líderes empatados em pontos seriam campeões por falta de datas para jogos extras devido à Copa do Mundo na Inglaterra). Além disso, justamente uma partida contra o Verdão cessaria a passagem de Riva pelo Coringão: a final paulista de 1974, gol alviverde do saudoso Ronaldo.

A glória que não veio no Parque São Jorge viria nas Laranjeiras pois no Fluminense o meia seria bicampeão carioca em 1975 e 1976, com direito a estreia diante do ex-time num sábado de carnaval e "só" três gols marcados. Pelo Tricolor, Rivellino anotou aquele que é provavelmente seu gol por clubes mais famoso: o inesquecível elástico em Alcir Portela no 1 x 0 diante do Vasco em 1975. Faltaria um título brasileiro, mas nos dois anos em questão o máximo que veio foi a semifinal, primeiro diante do Internacional e depois - que ironia do destino - contra o... Corinthians.

Fora do Brasil, o "Patada Atômica" seria campeão saudita de 1979 e da Copa do Príncipe de 1980 pelo Al-Hilal, últimos de uma carreira sem muitos títulos por clubes, mas que nem por isso faz diminuída uma trajetória tão brilhante e genial (de ápice na conquista mundial da constelação única que o México viu de pertinho em 1970) que Maradona, partido recentemente, disse várias vezes em entrevistas ter nele um ídolo máximo, mais do que Pelé em termos de Brasil. Há mais de três décadas, Riva se dedica aos comentários de futebol na televisão. Reverências sempre!

Bela do Dia: Isadora Aires

Isadora Aires, repórter da InterTV (Globo) de Cabo Frio. Não, não exagerei na virada de ano. Não, não estou lelé da cuca. (rs) Sim, sei que desde setembro ela era uma das novidades da RBS TV no interior gaúcho a partir de Santa Cruz do Sul. Mas na mudança de amarelo para vermelho na sinaleira, a primeira estrela desta seção neste novo ano teve mudança profissional. Anteontem, Isadora estreou na afiliada do interior fluminense e já foi vista no "RJ InterTV" das 12h. Uma curiosidade sobre ela é ter no Instagram um perfil chamado "27 aos 30", um objetivo de vida que traçou: até completar 30 anos (hoje tem 24), quer visitar todos os 26 estados brasileiros e mais o Distrito Federal. Não nego que também gostaria muito de um dia fazer isso, ainda que à beira dos quarenta o máximo de fora daqui de Porto Alegre tenha sido um bate-e-volta até Canoas, eh, eh... Mas tomara que ela conquiste este desejo. As boas vontades merecem sempre ser recompensadas.

Datas em 0 ou 5

É um hábito desta "24 Horas" de bastante tempo e que será mantido aqui ao observar datas importantes que completam 5, 10, 25, 40, 65, 100 anos, enfim, sempre em 0 ou 5 pois é como consigo me organizar melhor. As desta sexta, 1º de janeiro, são estas:

*95 anos do nascimento de Maria Della Costa, falecida em 2015 e grande atriz de teatro e cinema com pouquíssima atuação televisiva, tendo até hoje em São Paulo um teatro com seu nome, idealizado pela própria em 1954.

*85 anos de Emiliano Queiroz, ator com seis décadas de trabalhos na Globo e algumas dezenas de filmes, atualmente sendo revisto em "Haja Coração" e que eternizou o Dirceu Borboleta tanto na novela quanto na série "O Bem-Amado", batendo ponto também na "Escolinha do Professor Raimundo".

*80 anos do Fluminense de Feira de Santana, campeão baiano em 1963 e 1969 (primeiro campeão do interior do estado), além de vice brasileiro em 1992 e nordestino em 2003.

*75 anos de Takão, técnico do Brasil campeão mundial de futsal em 1992 e 1996.

*60 anos do nascimento de José D'Artagnan Júnior, ator falecido em 2019 e que fez várias novelas na Globo de "A Sucessora" até "Salve Jorge", além de algumas na Bandeirantes e na Record.

*45 anos ao dobrado: do Centro Olímpico, primeiro campeão brasileiro feminino do atual formato em 2013; e de Rodrigo Bocardi, apresentador e ex-repórter da TV Globo desde que assumiu o "Bom Dia SP" em 2013 (na emissora desde 1999 com parada entre 2003 e 2004 por trabalhar na TV pública de Angola) e também apresentador do "Ponto Final" da Rádio CBN desde novembro, inicialmente sendo produtor e editor da Rádio e TV Bandeirantes de 1994 até 1999.

*40 anos de Zsolt Baumgartner, ex-piloto da Fórmula 1.

*35 anos de Pablo Cuevas, tenista campeão de duplas em Roland Garros 2008 junto de Luis Horna.

*25 anos de Andreas Pereira, jogador do Manchester United que está emprestado à Lazio, belga de nascimento e de pais brasileiros, por isso atuante na base da seleção da Bélgica e no profissional da seleção do Brasil.

*20 anos da morte de Ray Walston, nascido em 1914 e ator das séries "Meu Marciano Favorito" e "Picket Fences".

Arremate

Coronavírus já vitimou no Brasil 195 mil dos quase 7 milhões e 700 mil infectados. Força e solidariedade.

"24 Horas" volta rezando que um dia este mal cesse ou diminua drasticamente.

Torneios de futebol, todas as modalidades e variedades não-esportivas.

Destaques da imprensa esportiva. O que acontece em TV, rádio, jornal e web.

Podcasts com pitacos sobre os esportes e outros registros interessantes.

Convidados escrevem sobre temas de agora no futebol e em todos os esportes.

Para entender o presente, é preciso conhecer o passado. Aqui se faz isso.

Teste de conhecimentos com direito a charadas e perguntas "pega-ratão".

Verde para o bom, vermelho para o ruim e amarelo para chamar a atenção.

Gente do esporte dá dicas de livros, filmes, música, culinária e mais.