.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Rádio PB

.

.

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

Quarta e quinta, 28 e 29 de dezembro de 2016 - ANO 14, EDIÇÃO 49
Alguém salve a Super Rádio Tupi, pelo amor de Deus!

Primeiro foi uma de 24 horas, depois outra de 48 e a última foi de 72 no fim-de-semana de Natal. Não tem como piorar as coisas na líder de audiência do AM/FM do Rio de Janeiro, tem? Infelizmente, tem. A Super Rádio Tupi fará sua quarta greve nos últimos meses, começando à meia-noite de quinta para sexta-feira. Desta vez, é por tempo indeterminado, conforme decidido em assembleia dos funcionários nesta terça. Leio no Rádio de Verdade que o Sindicato dos Radialistas do RJ quer o pagamento integral dos salários atrasados e que, caso haja um comprador para a emissora, que se faça um documento por escrito com a promessa e previsão da venda. Outro problema para piorar o que já está calamitoso é a falta de iniciativas por parte dos Diários Associados, que deixaram a situação ir fraquejando e fraquejando até um ponto em que tudo ficou absolutamente insustentável, não tomando uma ação para melhorar tudo nem sequer depois das três greves - sem contar mais de 40 processos individuais contra a Tupi na justiça trabalhista e seis ações coletivas movidas pelo Sindicato. De verdade: estou apavorado com o que se faz com um dos dínamos do rádio brasileiro. Os comunicadores e equipes técnica e de retaguarda fazem o seu e fazem bem, tanto que estão em primeiro lugar no histórico embate com a arqui-rival Globo. Mas quando os gestores apatifam a parada, tudo é posto a perder e a maior das boas vontades se torna mínima diante da falta de solução. Tempos atrás, quando a crise já batia forte, muita gente lembrava do fim da TV Tupi em 1980. Eu achava aquilo um exagero. Infelizmente, hoje percebo que não era errado fazer tal comparativo pois "querem" que o mesmo se repita. Alguém salve a Super Rádio Tupi, pelo amor de Deus! Em nome dos funcionários e dos ouvintes.

Só Fatos, Sem Boatos (tópico atualizado)

Tópico fixo de fim de ano, no qual é mais fácil eu falar do CD de funk ostentação lançado pelo Roberto Carlos no ano que vem (ainda bem que ele nunca será louco a esse ponto) do que publicar especulações. Às últimas:

*O Palmeiras contratou por 3 anos o meia venezuelano Guerra, campeão da Libertadores pelo Atlético Nacional. Os brincalhões descontraídos que curtem Tolstói já lançaram essa: em 2017, o Verdão será "Guerra e Prass".

*O São Paulo não tem mais os meias Michel Bastos, de contrato rescindido antes do término no fim de 2017, e Jean Carlos, cujo empréstimo junto ao São Bernardo iria até abril próximo e foi cancelado, mas renovou com o lateral esquerdo Júnior Tavares, comprado do Grêmio e permanecido até o fim de 2019.

*O Santos fechou com o volante Leandro Donizete, do Atlético Mineiro, por 3 anos.

*O Corinthians terá Osmar Loss, técnico do sub-20, como auxiliar de Fábio Carille no profissional.

*O Guarani adquiriu o zagueiro Alef, do Red Bull Brasil, por 1 ano.

*O Flamengo renovou com o goleiro Alex Muralha até 2020, o volante William Arão até 2019 e o beque Juan até 2017. Somando essas à do Márcio Araújo, já são quatro permanências definidas.

*O Botafogo fechou com o lateral direito Jonas, do América Mineiro.

*O Brasil de Pelotas renovou com o técnico Rogério Zimmermann por 1 ano, o sexto seguido no clube.

*A Chapecoense obteve o lateral esquerdo Reinaldo, emprestado pelo São Paulo, que renovou com ele por 1 ano, e terá também o meia Nadson, que rescindiu com o Paraná, por 2 anos.

*O Atlético Goianiense contratou por 1 ano o atacante Willians, que estava no Matsumoto Yamaga do Japão.

*O Vila Nova adquiriu o goleiro Elisson, do Cruzeiro, por 1 ano de empréstimo.

*O Ceará perdeu o meia Diego Felipe, que foi jogar o Paulistão pelo Linense, mas renovou com o atacante Lelê por 1 ano.

*O Bahia renovou com o atacante Edigar Junio por 3 anos e manterá o diretor de mercado Jorge Avancini por 1 ano.

*O Fluminense de Feira de Santana acertou com o meia Jorge Wagner, aquele mesmo ex-Internacional, São Paulo e dupla Ba-Vi, entre outros, como seu grande reforço para o Campeonato Baiano. Detalhe: o também ala canhoto nasceu justamente nesta cidade baiana, mas apenas agora aos 38 anos ele defenderá um time de lá.

Curtinhas

*Tópico novo: Acertado para 22 de janeiro o amistoso Desportiva x Botafogo, às 17h, no Engenheiro Araripe.

*Uma homenagem feita pelo Internacional não se sabe se foi única ou praticamente única no futebol brasileiro (se outras assim aconteceram, avisem que farei questão de registrar): ele iluminou o Estádio Beira-Rio com as cores de Uganda em memória às vítimas da tragédia do último fim-de-semana, quando jogadores e treinadores de uma equipe amadora viajavam para uma partida de Natal e o barco onde estavam naufragou. Uma bola dentro!

*Inter, que foi notificado pela prefeitura aqui de Porto Alegre para uma cerca de 5 metros que era instalada rente à Avenida Edvaldo Pereira Paiva, próxima ao cruzamento com a Ipiranga, ser retirada. Ela isolava os gramados de futebol à beira do Guaíba e não estava incluída em convênio firmado com a Secretaria de Esportes. Bola fora...

*Quem passou pelo Colorado em 2011 e não deixou saudades foi Cavenaghi, que saudade deixará mesmo é no River Plate, pelo qual conquistou uma Libertadores, uma Sul-Americana, uma Recopa e três Argentinos. O avante abandonará os gramados aos 33 anos e quer fazer uma última partida no começo de 2017.

*Rolo resolvido no Campeonato Cearense: o TJDF/CE deu liminar que recoloca o Guarany de Sobral na divisão de elite e mandaria novamente o Ferroviário para a segunda divisão. O Guarasol não apresentou para a Federação uma documentação de "fair play financeiro" dentro do prazo. Mas o Ferrim teve seu rebaixamento cancelado pois o Alto Santo desistiu de disputar a primeira divisão e, assim, também o terceiro grande da capital nela estará.

*Tópico novo: Tevez saiu do Boca Juniors e jogará no Shangai Shenhua da China, onde ganhará uma dinheirama absolutamente irreal e tão gigantesca que o tornará mais bem pago até que Cristiano Ronaldo e Messi. Para se ter ideia: ganhará o equivalente a 7 milhões de "temers" por mês, o que significará 244 dinheiros por minuto - e não é minuto jogado e sim minuto de vida. Simplesmente não entra na minha cabeça algo assim.

*Tópico novo: Anunciadas duas aposentadorias no esporte. A do ciclismo é a do britânico Bradley Wiggins, aos 36 anos, que venceu a Volta da França em 2012 e tem 8 medalhas olímpicas, sendo 5 apenas de ouro. Já a do tênis é da sérvia Ana Ivanovic (ah, Aninha...), campeã de Roland Garros em 2008 e do WTA Finals em 2010 e 2011. Agora, a gata de 29 anos curtirá a vida em família ao lado do maridão, o futebolista alemão Schweinsteiger.

Momento Raridade Rara: 30 anos do "Jornal da Cultura"

O sucessor do "RTC Notícias" estreou em 29 de dezembro de 1986, alguns anos depois ganhando também uma edição de meio do dia além da habitual noturna. Hamilton Tramontá foi o primeiro apresentador do "JC", que há pouco mais de 3 anos é comandado por Willian Corrêa. A seguir, recorde 10 momentos do noticiário:

De 1988, abertura do "JC" com Carlos Nascimento apresentando. Repórteres e outros jornalistas passavam as manchetes na escalada, na qual são notados Caio Blinder (quando ainda residente aqui no Brasil) e Valéria Grillo. O tema de abertura era o do filme "De Volta Para o Futuro", de Alan Silvestri.

De 1989, um intervalo com chamada do "JC" na época que William Waack o apresentava. Entre os repórteres vistos ali, aparece Graziela Azevedo, que na mesma Cultura apresentou o esportivo "Vitória".

De 1990, trecho do "JC" com o também editor-chefe Rodolfo Konder e Valéria Grillo. Reportagens de Regina Mamede em Brasília e Lúcia Soares em SP, além do tempo com Tânia Nomura. Som de apenas um dos lados.

De 1993, "JC" com Marco Antônio Rocha e Valéria Grillo apresentando um VT sobre a morte de Grande Otelo.

De 1995, trecho de uma edição de sábado apresentada por Mílton Jung com uma reportagem de Wilson Ferreira Jr. sobre a Gueri-Gueri, banda que embalava o carnaval de rua em São Paulo.

De 1998, encerramento de um jornal apresentado por Mílton Jung e Valéria Grillo, incluindo a lindíssima trilha musical de Hélio Ziskind nos créditos finais com a imagem da iluminada torre da Cultura.

De 2001, trecho do "JC" com Heródoto Barbeiro e Valéria Grillo no dia do ataque ao World Trade Center. Heródoto já estava na emissora anos antes como apresentador do programa de debates "Opinião Nacional".

De 2004, jornal com Heródoto Barbeiro e Celso Zucatelli, além de uma reportagem de Vera Souto em Brasília.

De 2006, uma "raridade rara": considerando-se a atualidade, Globo e SBT juntas na época da Cultura. Assistimos Maria Júlia Coutinho apresentando uma reportagem de Simone Queiroz sobre um evento gastronômico.

De 2010, "JC" com Maria Cristina Poli apresentando as notícias com comentários de dois convidados especiais, nesta edição Mozart Neves Ramos (Movimento Todos Pela Educação) e Maristela Basso (USP). Foi esta fórmula que se consolidou desde então no "Jornal da Cultura", persistindo até os dias de hoje.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*Você leu na coluna anterior que a Rádio Bandeirantes de São Paulo estreou novas vinhetas e trilhas próprias nesta semana para "O Pulo do Gato", "Primeira Hora" e "Jornal Gente". Um dos elaboradores delas fez um acréscimo nos comments de post do Radioamantes que reproduziu o registro deste PB: além de Rogério Tervydis e Hugo Alexander Afonso (dos quais falei por terem sido citados no ar pelo José Paulo de Andrade), um terceiro nome na criação das obras é Rodrigo "Padre" Soter. Assim, é uma ação a seis mãos. Tá feito o adendo.

*Recentemente estreado na União FM de Novo Hamburgo como apresentador e diretor, a exemplo do que fizera antes na Rádio ABC, Rodrigo Giacomet começará em janeiro um novo programa na emissora do Vale: o "Lado B", semanal de entrevistas às 20h das terças-feiras. Ele não revela o nome do primeiro entrevistado.

*Tópico novo: Já se sabe o primeiro grande nome da Jovem Pan Grande Porto Alegre FM 90,7, com sinal vindo de Montenegro. É ninguém mais e ninguém menos que Arlindo Sassi, a belíssima voz por décadas do "Love Songs" na extinta Cidade FM. Horário e programa ainda a saber, mas a data da estreia já temos: 9 de janeiro.

*Má notícia no interior do Rio de Janeiro: depois de 3 anos, acabou a TV Diário de Campos dos Goytacazes, canal transmitido regionalmente nas TVs a cabo de lá e pertencente ao Grupo O Diário, que vive uma forte crise.

*Após alguns anos fora do ar, tem regresso no telejornalismo do Ceará: o da apresentadora Danielly Portela, que voltou a apresentar jornais através da TV Diário, que pertence ao mesmo Sistema Verdes Mares do qual é a TV Verdes Mares, na qual ela ancorou o "CETV" até deixá-la em meados de 2013.

*Quarta-feira de "Retrospectiva 2016" no SBT do Rio Grande do Sul, apresentada por Marcelo Coelho e por uma mais deslumbrantemente maravilhosa do que nunca Luciane Kohlmann. Exibição anunciada para logo depois do "Programa do Ratinho", mas sem especificação se às 23h30 (pegando parte do espaço dele) ou à 0h30 (o que faria o "The Noite com Danilo Gentili" não ser transmitido). Sempre melhor avisar o horário certinho. (Atualização da quinta-feira: foi à meia-noite o programa, com meia hora de duração e divisão de rede feita pelo Carlos Massa, não só aqui pra aldeia pampeana, mas também no RJ, onde a retrô local teve Isabele Benito e Liane Borges - ah: e além da Lu e do Marcelo, a daqui do RS teve ainda a Débora de Oliveira no futebol.)

*Tópico novo: Luciane Kohlmann, que terminou nesta quarta-feira seu período de apresentação do "SBT Rio Grande" das 19h20. Quinta e sexta com comando do Marcelo Coelho e, na próxima segunda-feira, tem a volta da titular Edieni Ferigollo após licença-maternidade. Luciane saiu de férias e volta dia 12 na reportagem.

*Luto no jornalismo gaúcho: morreu vitimado pelo diabetes aos 69 anos José Mitchell, correspondente do Jornal do Brasil aqui na aldeia pampeana por mais de três décadas desde os tempos da Ditadura Militar e atuante no jornalismo da RBS TV por 10 anos, além de comandante do programa de resgate "Histórias" na TVCOM.

*Leio no Flávio Ricco que Carlos Chagas vai encerrar sua carreira jornalística após 58 anos. As despedidas do tradicional comentarista político ex-Rede Manchete e SBT começarão nesta quinta-feira em uma série de quatro especiais do "Jogo do Poder", da CNT, que atualmente José Marcelo Santos apresenta. A convidada das 23h deste dia será justamente Helena Chagas, jornalista e filha do próprio Carlos, ele também atuante na CNT.

*Não sei se é escala de Ano Novo ou se será regular igual é com colegas como Carol Nogueira e Paula Valdez, mas começou nesta semana a presença de Luiza Zanchetta, atual repórter do "Brasil Urgente" na TV Bandeirantes, apresentando os jornais do BandNews TV na madrugada - reprisando uma função exercida algumas vezes tanto na Record/RS quanto no noticiário "Record News Sul". Na falta de uma TV por assinatura, agora sim tenho um excelente motivo para ouvir a retransmissão do canal de 1h às 6h na Rádio Bandeirantes aqui de Porto Alegre.

*Olhei um pouco a "Retrospectiva dos Famosos" na Record, muito mais pelo trio formado pelas divinas Salcy Lima, Patrícia Costa e Thalita Oliveira do que pelos assuntos em si. Aí achei ter havido um erro: colocar como produto com cara de jornalístico geral algo referente a pautas basicamente irrelevantes como são praticamente todas as da editoria de "celebridandos". Mais sentido faria se elas fossem apresentadas por quem convive diariamente com tais temas, como notadamente a "fofoqueira-mor" Fabíola Reipert, a "Venenosa" do "Balanço Geral SP" - no qual está em férias e, por isso mesmo, substituída no período pela Poliana Rozado, a "Venenosa" de Minas Gerais.

*Mais abaixo, destacarei a triste notícia que foi a morte da Carrie Fisher. Antes disso: causou enorme repercussão na internet uma tentativa de descontração feita pelo Jorge Pontual no "Em Pauta" da GloboNews, quando destacou o fato e encerrou seu registro imitando o personagem Chewbacca, da saga "Guerra nas Estrelas", com aquela que seria a sua reação para o adeus à intérprete da Princesa Leia. Depois, ao responder não a um ou dois e sim a vários internautas, Pontual disse que tem gente no Brasil sem senso de humor que não conhecia a autogozadora escrachada que ela era. Um dia depois, talvez vendo melhor a repercussão do fato, pediu desculpas pela brincadeira feita no programa e afirmou que não quis nem ofender e nem desrespeitar a atriz e escritora.

*O "Em Pauta" habitualmente permite espaços mais descontraídos, até não é anormal o Pontual "sair do sério" com gozações brincalhonas ao tratar de algumas notícias não muito exigentes de seriedade extrema. O dia que ele falou algo que não lembro o que foi do "Gangnam Style" do Psy e arriscou-se a dançá-lo achei da hora, muito bem sacado, ou como quando botou uma barbona de lenhador pra falar da moda dos "lumbersexuals" nos EUA. Mas eram casos onde algo assim cabia perfeitamente sem grilo. Desta vez, ao abordar um falecimento, por mais que não tenha sido intenção fazer algo desagradável, achei inadequado, poderia ter sido evitado até por muita gente não conseguir associar a graça do riso a uma morte no dia em que ela acontece (só mesmo um pouco depois, nas horas dos velórios, quando aí meio que já "cai a ficha" das passagens físicas e ficam as memórias de boas lembranças das figuras partidas, invariavelmente associadas à alegria). Mas isso eu achando. Eu.

*Mais GloboNews: o apresentador do "Jornal das 10" terá um novo programa a partir de 20 de janeiro. Dony de Nuccio divulgou no Instagram que estreará neste dia o "GloboNews Internacional" (título ainda provisório), às 23h30 das sextas, que discutirá com correspondentes e especialistas um assunto de impacto da semana no mundo. A nova atividade não interferirá no noticiário das 22h, no qual ele permanecerá normalmente.

*Tópico novo: Silvio Santos resolveu tirar do marasmo o fim de ano da TV ao promover mais uma mexida na programação do SBT, começando a partir de segunda-feira. Acabam o "Jornal do SBT" e o "Primeiro Impacto", o que fará o "SBT Notícias" ocupar os lugares deles, aumentando mais ainda sua duração. Até estes escritos serem publicados, não estava confirmado se os apresentadores dos horários habituais seguiriam onde estão, sendo o único assegurado Dudu Camargo das 6h às 7h15 (humpf, blergh, blé, unf, baaahhh!!!!). Li no Daniel Castro que o "JSBT" e o "Impacto" acabam pois não tinham patrocínio, eram pouco assistidos e isso resultará em economia financeira. Outra mudança é no "Fofocando", que deixará de competir com a "Hora da Venenosa" do "Balanço Geral" e vai para as 8h. Detalhe: com meia hora e gravado na noite anterior, pelo que li no Flávio Ricco, o que o tornará absolutamente frio pois não terá como incluir nas pautas as novidades lançadas pelos colunistas na madrugada e início da manhã em portais e jornais. Além disso, vem aí a volta do "Clube do Chaves" de segunda a sexta, às 13h30 para São Paulo e cidades sem programação local e às 14h15 para toda a rede nacional. Como assistem aqui, a chamada dá a entender que a faixa mescle episódios das três produções do Roberto Gomez Bolaños: "Chaves" clássico, "Chapolin" clássico e "Chespirito" (a série com vários personagens nos anos 80).

*Globo anunciando para 23h da próxima terça-feira a estreia de "Raízes", série em 8 episódios que é refilmagem do canal History para uma produção homônima feita em 1977 e estreada no Brasil pelo próprio Plim-Plim, embora eu recorde mais seja é da reapresentação no SBT. Interpretados antes por LeVar Burton e Louis Gossett Jr., Kunta Kinte e Fiddler agora são interpretados por Malachi Kirby e Forest Whitaker.

*Completando 30 anos nesta quarta-feira a estreia do "Criança Esperança", exibido pela primeira vez como um especial comemorativo dos 20 anos dos Trapalhões, que foram seus primeiros anfitriões. Desde então, o show é exibido todos os anos pela Globo, marcando tanto pelo aspecto beneficente ligado à Unicef quanto pelas inevitáveis e geralmente bem divertidas gozações brincalhonas, como a expressão "Criança Lambança" do Faustão.

*50 anos fazendo na quarta-feira a atriz Giulia Gam, brasileira nascida na Itália. Atuante em produções como "Que Rei Sou Eu?", "Fera Ferida", "Dona Flor e Seus Dois Maridos", "Mulheres Apaixonadas" e "Sangue Bom", todas na Globo, foi vista por último como a bandidona Carlota em "Boogie Oogie" e reaparecerá no ano que vem tanto em "Novo Mundo", nova trama das 6, quanto na reprise de "A Padroeira", repassada pela Globo à TV Aparecida.

*Alô, Ana Paula Padrão! Essa vai para você (que nunca lerá pois jamais eu teria nestes escritos uma leitora tão extra-classe como a apresentadora do "MasterChef", que não perderia seu tempo lendo as groselhas vencidas que publico): faz 80 anos nesta quinta-feira Mary Tyler Moore, que venceu três Emmys e um Globo de Ouro pela série com seu nome de 1970 a 1977, na qual fazia a jornalista televisiva Mary Richards - personagem que foi uma das pela própria Ana admitidas inspirações para seguir esta carreira ao ser uma mulher independente e determinada para a época. No cinema, Mary venceu um Globo de Ouro por "Gente Como a Gente".

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Clipe do Dia I

Três temas setentistas: de 1973, "Keep Playin' That Rock 'N Roll" com Edgar Winter, músico de blues e rock que faz 70 anos na quarta-feira; de 1979, "The Ballad of Lucy Jordan" com Marianne Faithfull, 70 anos na quinta-feira; e de 1973, "I Don't Know How To Love Him" com Yvonne Elliman, 65 anos também na quinta. Esta última canção é de "Jesus Cristo Superstar", excelente filme de Norman Jewison baseado em peça de teatro igualmente de muito sucesso. Tanto no palco quanto no cinema Yvonne interpretou Maria Madalena. Até por isso, preferi separar este momento ao destacá-la e não "If I Can't Have You", inesquecível tema de "Os Embalos de Sábado à Noite".

Clipe do Dia II

Quinta-feira dos 15 anos de uma perda irreparável que o rock brasileiro teve: a de Cássia Eller, nascida em 1962. Foram poucas décadas de atuação, mas suficientes para colocá-la na história de nossa música. Separei cinco canções que ilustram isso muito bem. Duas são do disco com seu nome em 1994: "Malandragem", que estourou na trilha de "Malhação", e "Try a Little Tenderness", versão de um original de Otis Redding em 1966 que, até dias atrás, era escutada toda terça-feira na abertura de "Nada Será Como Antes". Do álbum "Com Você... Meu Mundo Ficaria Completo" em 1999, dois destaques: a belíssima "O Segundo Sol", da novela "Tempos Modernos", e a não menos bela "Palavras ao Vento", tema de abertura da muito boa "Além do Tempo". Por fim, do "Acústico MTV" de 2001 destaco "Relicário" em brilhante dueto com o titã Nando Reis. Cássia faz muita falta até hoje.

Bela do Dia: Danielle Berti

Danielle Berti, jornalista em São Paulo. Também ela está na história dos 30 anos nesta semana completados pelo "Jornal da Cultura", repórter dele que foi em 2013 e 2014.

Clipe do Dia III

2016 não tem dado descanso em termos de más notícias neste fim de ano. A da terça-feira foi o falecimento aos 60 anos da Carrie Fisher, que não conseguiu vencer as complicações do ataque cardíaco sofrido na última semana. Filha de Debbie Reynolds e do cantor Eddie Fisher, ela teve sua biografia a respeito do relacionamento com a mãe transformada em filme através de "Lembranças de Hollywood", do qual foi roteirista, com Meryl Streep e Shirley MacLaine como protagonistas. Além da Princesa Leia de 1977 a 1983 em "Guerra nas Estrelas", "O Império Contra-Ataca" e "O Retorno de Jedi", Carrie voltou a interpretar a agora General em "O Despertar da Força" - e ainda deixou gravada toda a sua participação num novo filme da saga, que ainda será lançado. Mas Carrie Fisher foi além da Leia de "Star Wars" ao fazer obras como "Os Irmãos Cara-de-Pau", "Hannah e Suas Irmãs", "Amazonas na Lua", "Loverboy - Garoto de Programa" e "Harry e Sally, Feitos um Para o Outro".

Mas por qual motivo falo da morte da Carrie no tópico musical do site? É que eu não lembrava que casada ela foi com Paul Simon, admito que só recordei disso ao ver a citação na matéria da conterrânea Carolina Cimenti na Globo (aliás, pena ter sido uma ocasião triste a fazê-la aparecer novamente no canal aberto, mas assisti-la assim foi um ponto alto da terça-feira). A atriz e o músico foram matrimoniados de 1983 a 1984. Justamente do ano em que casaram é a canção que destaco aqui: "Hearts and Bones", título do álbum homônimo lançado pelo Simon, cuja letra é toda sobre o relacionamento dele com Carrie. O registro é de show na Espanha em 1991.

Clipe do Dia IV (tópico novo)

Surreal o que aconteceu na quarta-feira: no dia seguinte à partida física da filha Carrie Fisher, morreu aos 84 anos sua mãe Debbie Reynolds. Não sei se fiquei entristecidamente chocado ou chocadamente entristecido, algo tão incrível que não parece ter explicação lógica. Ela ajudava a preparar o enterro da filha quando sofreu um derrame, falecendo poucas horas depois. Meu Deus... Bom, Debbie foi um grande nome sobretudo da chamada "era de ouro" do cinema, tendo como ponto alto o mais inigualável dos musicais da Metro: "Cantando na Chuva", com Gene Kelly e Donald O'Connor, no qual fazia a moça de bela voz que tinha que dublar uma artista visualmente bonita, mas de voz esganiçadamente insuportável. Fica aqui um belo momento deste filme: Debbie, Gene e Donald cantando "Good Morning". Antes, eram "Postcards From The Edge". Agora, mãe e filha enviarão "Postcards From Heaven". E para sempre ficarão as "Lembranças de Hollywood" desta história sem paralelo.

Antes do Arremate...

...um reforço sempre válido: este Papo de Bola - o Site precisa de patrocinadores para se manter no ar, por não ser apenas o custo da hospedagem o necessário para tanto e sim outros ainda maiores. Se você quiser anunciar nestes escritos, clique aqui e dê uma olhada nas maneiras de como fazê-lo que muito bem vindo serás e muito agradecido ficarei. Também continuo forçosamente adotando o "Ajude o PB", de colaborações avulsas.

Arremate

Presidente e jogador. É Verón, que assinou por 1 ano e meio para voltar a jogar pelo Estudiantes. Responsa!

"24 Horas" volta antes que ele estreie na condição de "mandatário-boleiro" no time de La Plata!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia").

TWITTER: @papodebola
FACEBOOK: SitePapoDeBola
FACEBOOK: SitePapoDeBola
INSTAGRAM: EduCesarPapoDeBola
E-MAIL: papodebola@gmail.com


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.


 
Seja mais um seguidor do Papo de Bola e leia as manchetes do site e comentários diversos.

PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.