.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  Papo Especial
  Especiais PB
  O Jogo da Minha Vida
  Rádio PB
  PB Interativo
  Sites Parceiros

.

.

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

Segunda e terça, 7 e 8 de dezembro de 2015 - ANO 13, EDIÇÃO 74
Um balanço do encerrado Brasileirão

Atenção: excepcionalmente, esta coluna é publicada perto das 15:00 de segunda-feira. Para que seu conteúdo possa ficar mais tempo acessível via capa do site, esta edição valerá também pela terça-feira, dia em que terá adendos com assuntos do dia corrente para incrementarem os escritos publicados originalmente.

São Paulo na pré-grupos da Libertadores; Avaí, Vasco e Goiás na Série B; Atlético Mineiro vice-campeão; Inter nas oitavas da Copa do Brasil. Consequências do terminado Campeonato Brasileiro, do qual esta "24 Horas" trataria na coluna de ontem se conseguisse publicá-la não fosse um problema técnico do mouse do meu equipamento me forçar a ter que adquirir um novo, o que pôs o domingo deste PB a ser perdido, embora normal o andamento das atividades no perfil do Twitter com o acompanhamento total (dentro do possível) de todos os jogos.

Repassemos abaixo as 10 últimas partidas da Série A em 2015 e algumas curiosidades delas:

Coritiba 0 x 0 Vasco - O povo se pergunta: quando Eurico Miranda irá para a Sibéria? Aquilo de "o respeito voltou" acabou não se impondo, tardia que foi a reação cruzmaltina. Mesmo que se reclame com razão de um pênalti não marcado sobre o Nenê, acabaria não adiantando de nada convertê-lo se anotado pois a diferença no saldo para o Figueirense era tão grande que só uma dezena de gols resolveria isso - e seria mais fácil eu ser par da Camila Pitanga na "Dança dos Famosos" do que isso acontecer (ó que não é nada má a ideia, hein?). O empate bastou para livrar o Coxa, que estava em situação tranquila pois isso lhe bastava para salvá-lo do descenso. O jogo não foi nada bom pois muito prejudicado foi devido à chuvarada que encharcou o gramado. Pela terceira vez nas últimas oito edições, os cariocas estão rebaixados. Uma pouca vergonha inadmissível para um gigante como o Vascão, embora um castigo merecido pro Euricão, mesmo que nada merecido para Jorginho, Nenê e cia. pela luta nessas últimas rodadas. Segundo rebaixamento vascaíno como visitante diante de um paranaense, vide o Atlético em 2013. Já nas últimas 11 temporadas, conforme observado ontem pela ESPN Brasil, um jogo do Cori no Couto Pereira definiu o descenso para uma das partes: o dele mesmo diante de Internacional em 2005 e Fluminense em 2009 e os de Figueirense em 2012, Bahia no ano passado e Vasco agora. Os alviverdes não perdem há 4 partidas, mas não emendaram 4 vitórias e venceram um dos últimos 5 mandos. Os cruzmaltinos não perdem há 5 jogos com 3 vitórias e caíram uma vez nos últimos 12, faturando 4, e completaram 5 visitas sem derrota, ganhando duas. São três jogos sem derrota carioca para os coxas, mas desta vez de nada isso valeu.

Figueirense 1 x 0 Fluminense - Com um gol do Marcão na segunda etapa, o Furacão do Estreito quebrou uma escrita: não superava o Fluzão no Scarpellão desde 2006, perdendo 4 seguidas e empatando as duas últimas antes da tarde de ontem. Hora melhor para este triunfo não poderia haver, ainda mais com a ajuda do Corinthians, que rebaixou seu inimigo Avaí para a segunda divisão. Os catarinenses não venciam havia 3 mandos (dois iguais). Sem fazer o "corpo mole" esperado por muitos, mas com seus torcedores celebrando o gol tomado pelo próprio time por isso interferir no Vasco - e isso era esperado e aconteceu -, os cariocas têm uma vitória nas últimas 5 partidas e perderam 3 delas, exitosos uma vez nas últimas 11 visitas e caindo em 8 destas vezes.

Corinthians 1 x 1 Avaí - Quando saiu na frente, o Leão da Ilha estava escapando da queda. Conseguiria tanto isso quanto finalmente ganhar este confronto em SP? Não foi desta vez, visto o gol do Vagner Love deixar tudo igual e dar ao Coringão a melhor campanha da história dos pontos corridos com 20 clubes, com seus 81 pontos à frente dos 80 do Cruzeiro no ano passado. Os catarinenses completaram 6 visitas sem sucesso, 4 delas derrotadas. Já os paulistas não ficavam duas seguidas sem vencer desde setembro (Palmeiras e Grêmio).

Goiás 0 x 1 São Paulo - O jogo só acaba quando termina, já diria o poeta. Dito e feito: um golaço do Rogério nos acréscimos evitou qualquer complicação na finaleira e confirmou a 18ª participação são-paulina na Libertadores, que será a primeira em mais de uma década sem o agora aposentado Rogério Ceni, que nem no banco ficou e que terminou a carreira profissional na derrota para o Santos na Baixada, na semifinal da Copa do Brasil (um amistoso festivo para ele está programado para a próxima sexta-feira). Sem empatar há 9 contendas e triunfando em 5 delas, o Tricolor vinha de 3 visitas perdidas e não empata há 6, das quais duas bem sucedidas. Novamente na Série B, o Esmeraldino voltou a perder para os paulistas no Serra Dourada em Brasileirões após 5 encontros desde 2006, ganhando os quatro anteriores ao de ontem. Uma vitória nas últimas 5 partidas, das quais 3 perdidas, e 11 mandos sem empatar, 6 deles perdidos. Sua queda confirmou o trio de grandes goianos na próxima Bêzona e também a primeira Série A sem representantes do estado desde 1999 (teve Atlético nas edições de 2011 e 2012) e a primeira sem o Centro-Oeste desde 1994 (o Gama compensou a ausência verde em 1999).

Internacional 2 x 0 Cruzeiro - Dobra do Vitinho não adiantando para fins de pré-grupos da Libertadores, mas colocando os gaúchos direto nas oitavas da Copa do Brasil como melhores do Brasileirão fora os classificados para o torneio sul-americano (que nem foi neste ano com o Fluminense, já que são seis vagas de Libertadores na CB, mas tanto neste 2015 quanto em 2016 são cinco os nossos representantes por não termos o atual campeão). Ao menos serviu para voltar a vencer os mineiros depois de 6 enfrentamentos desde 2012, sobre eles emendando 3 vitórias no Beira-Rio. O Colorado, cuja direção garante Argel na casamata para o ano que vem, não é superado há 3 cotejos (dois vitoriosos) e 16 mandos (13 ganhos, os últimos 5 em sequência). Na despedida do Mano Menezes, cuja ida para o Shandong Luneng fez o empresário Carlos Leite romper com ele, a Raposa perdeu uma invencibilidade de 13 jornadas (7 positivas) e 5 visitas (duas exitosas).

Atlético Mineiro 3 x 0 Chapecoense - Triunfo sem traumas que deu o vice-campeonato ao Galo, que assim lucrará duas milhas de "dilmas" a mais. Com Diego Aguirre como espectador privilegiado, os donos da casa não tiveram Douglas Santos, ausente de última hora pelo luto com a morte de sua avó na Paraíba, mas contaram com Victor, que assim esteve presente em todas as 64 atuações da equipe nesta temporada, algo extraordinário e muito "raridade rara". Primeira vitória atleticana após 3 partidas. Permanecido na divisão principal, o que não é pouca coisa, o Verdão do Oeste completou 3 enfrentamentos sem sucesso e não perdia duas seguidas desde agosto/setembro (Corinthians e Santos).

Joinville 0 x 2 Grêmio - O gramado encharcado pela chuva rendeu uma das cenas mais bizarras do torneio no segundo gol, quando Bobô castigou Agenor, que inventou de querer dominar e "tomou o penalty" da poça que brecou a bola e "quebrou suas costelas ao meio". Finalmente os gremistas venceram no norte catarinense pela primeira vez após 6 tentativas mal sucedidas, a última antes de ontem em 1990 - o que me faz concluir que o problema estava no finado Ernestão. (rs) Os gaúchos não empatam há 6 jogos (4 vencidos) e não se davam bem havia 6 visitas (perdendo metade), não emendando duas vitórias desde setembro (Figueirense e Goiás). Rebaixado muito antecipadamente, o JEC nem contou com Paulo César Gusmão, que foi para o casório da filha no Rio. São 7 partidas sem vitória (6 derrotadas, incluindo as 4 últimas) e 3 mandos sem triunfar. Os catarinenses não perdiam duas seguidas em seus domínios desde julho (Flamengo e Internacional).

Flamengo 1 x 2 Palmeiras - Antes da bola rolar, a coisa começou ruim para os cariocas com a lamentável tentativa de agressão ao Alan Patrick na saída da concentração até o Maracanã. Ao término da bola rolando, sem o lesionado Guerrero, tudo continuou ruim por derrotada a despedida da competição. Melhor para o reservão dos paulistas, que tiveram somente quatro titulares relacionados - e coube a um deles, Dudu, abrir os trabalhos e ter 16 gols neste ano, sendo o principal anotador palestrino. Desde os emocionantes 3 x 2 sobre o Fluminense em 2005, os campeões da Copa do Brasil não saíam vencedores na última rodada. O Mengão não vence há 4 compromissos e perdeu os dois últimos, enquanto o Verdão não se davam bem fora de casa havia 4 tentativas (3 perdidas) e não emendava duas vitórias desde setembro (Figueirense e Fluminense).

Santos 5 x 1 Atlético Paranaense - Os gols que fizeram falta contra o Palmeiras chegaram ontem, como que sendo gasta de uma só vez a "cota de tentos da semana". Ricardo Oliveira não jogou, mas deu aos santistas a liderança na artilharia com 20 gols. O Peixe não empata há 5 pelejas e venceu duas. Já o Furacão não era superado havia 5 encaradas (3 iguais).

Ponte Preta 0 x 1 Sport - Vitória que valeu para o Leão derrotar a Macaca em Campinas pela primeira vez na história e lhe dar a melhor campanha de um clube do Nordeste nos pontos corridos em termos de pontuação, igualando o Vitória de 2013, mas esse ainda melhor por ter sido quinto colocado (dica do Rodolfo Brito, do Sr. Goool). O rubro-negro foi o segundo clube a menos perder nesta divisão principal: 9 vezes, quatro acima do campeão Corinthians. 3 presenças sem queda dos pernambucanos e um tombo nas últimas 5, das quais 3 exitosas. Não empata há 7 visitas e faturou duas. Os paulistas não vencem há 5 jogos e perderam 4 deles.

Repetindo o que publiquei na coluna de sexta-feira passada para os clubes da Série B, destacarei a seguir a classificação com retrospectos ampliados de cada equipe da Série A ao longo de toda a temporada:

1°) Corinthians, 81 pontos (oitavas de Copa do Brasil e Libertadores e semifinal em SP)
Ano geral: 44 vitórias, 16 empates e 11 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 26 jogos de janeiro a abril (19 vencidos)
Maior seca do ano: 4 jogos entre abril e maio (metade perdida)
Ano mandante: 27 vitórias, 6 empates e 3 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 15 jogos de janeiro a abril (11 vencidos)
Maior seca mandante: 3 jogos entre abril e maio (2 empatados)
Maior vitória do ano: 6 x 1 no São Paulo em 22/11 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: São Paulo 2 x 0 em 22/4, Guaraní 2 x 0 em 6/5, Palmeiras 2 x 0 em 31/5, Grêmio 3 x 1 em 3/6 e Santos 2 x 0 em 19/8 (todas por dois gols)

2°) Atlético Mineiro, 69 pontos (oitavas de Copa do Brasil e Libertadores e campeão em MG)
Ano geral: 34 vitórias, 11 empates e 19 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 7 jogos entre junho e julho (6 vencidos)
Maior seca do ano: 4 jogos em agosto (metade perdida)
Ano mandante: 21 vitórias (4 no Mineirão e 1 no Mané Garrincha), 6 empates (1 no Mineirão) e 5 derrotas (1 no Mineirão)
Maior invencibilidade mandante: 10 jogos de março a maio (7 vencidos)
Maior seca mandante: 2 jogos entre abril e maio, junho, agosto e novembro
Maior vitória do ano: 4 x 0 na URT em 15/3 (quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Santos 4 x 0 em 16/9 (quatro gols)

3°) Grêmio, 68 pontos (quartas da Copa do Brasil e vice no RS)
Ano geral: 37 vitórias, 17 empates e 15 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 16 jogos de fevereiro a abril (11 vencidos)
Maior seca do ano: 3 jogos entre abril e maio (2 empatados)
Ano mandante: 22 vitórias, 7 empates e 5 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 16 jogos de fevereiro a julho (12 vencidos)
Maior seca mandante: 3 jogos em fevereiro (2 perdidos)
Maior vitória do ano: 5 x 0 no Internacional em 9/8 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: Coritiba 2 x 0 em 16/5 e São Paulo 2 x 0 em 6/6 (dois gols)

4°) São Paulo, 62 pontos (oitavas da Libertadores e semifinal da Copa do Brasil e de SP)
Ano geral: 37 vitórias, 11 empates e 23 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 6 jogos entre maio e junho (4 vencidos)
Maior seca do ano: 4 jogos entre junho e julho (metade perdida)
Ano mandante: 25 vitórias (2 no Pacaembu), 6 empates e 4 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 17 jogos de março a agosto (14 vencidos)
Maior seca mandante: 3 jogos em agosto (2 perdidos)
Maior vitória do ano: 5 x 0 no Bragantino em 14/2 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: Corinthians 6 x 1 em 22/11 (cinco gols)

5°) Internacional, 60 pontos (quartas da Copa do Brasil, semifinal da Libertadores e campeão do RS)
Ano geral: 39 vitórias, 19 empates e 18 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 16 jogos de março a maio (11 vencidos)
Maior seca do ano: 4 jogos entre julho e agosto (metade perdida) e setembro (metade perdida)
Ano mandante: 28 vitórias, 7 empates e 3 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 19 jogos de fevereiro a junho (15 vencidos)
Maior seca mandante: 2 jogos em julho (ambos perdidos)
Maior vitória: 6 x 0 no Vasco em 2/9 (seis gols de diferença)
Maior derrota: Grêmio 5 x 0 em 9/8 (cinco gols)

6°) Sport, 59 pontos (terceira fase da Copa do Brasil, oitavas da Sul-Americana, semifinal no Nordeste e terceiro em PE)
Ano geral: 33 vitórias, 20 empates e 19 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 13 jogos de maio a julho (8 vencidos)
Maior seca do ano: 8 jogos entre julho e agosto (metade perdida)
Ano mandante: 24 vitórias (6 na Arena Pernambuco), 11 empates (3 na Arena) e 1 derrota (na Arena)
Maior invencibilidade mandante: 26 jogos de fevereiro a agosto (18 vencidos)
Maior seca mandante: 2 jogos em abril, entre abril e maio, agosto (2 empatados nos três casos) e entre agosto e setembro (metade perdida)
Maior vitória do ano: 5 x 0 no Central em 29/4 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: Huracán 3 x 0 em 30/9, São Paulo 3 x 0 em 31/10 e Cruzeiro 3 x 0 em 15/11 (todas por três gols)

7°) Santos, 58 pontos (vice da Copa do Brasil e campeão em SP)
Ano geral: 40 vitórias, 15 empates e 16 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 13 jogos de julho a setembro (10 vencidos)
Maior seca do ano: 6 jogos entre maio e junho (metade perdida)
Ano mandante: 31 vitórias (3 no Pacaembu, 1 no Teixeirão e 1 no Martins Pereira), 5 empates e 1 derrota
Maior invencibilidade mandante: 19 jogos de julho a dezembro (18 vencidos)
Maior seca mandante: 2 jogos entre maio e junho (ambos empatados)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Atlético Mineiro em 16/9 e 5 x 1 no Atlético Paranaense ontem (ambas por quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Goiás 4 x 1 em 8/7 (três gols de diferença)

8°) Cruzeiro, 55 pontos (oitavas da Copa do Brasil, quartas da Libertadores e semifinal em MG)
Ano geral: 27 vitórias, 17 empates e 21 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 14 jogos de janeiro a março (8 vencidos)
Maior seca do ano: 6 jogos em agosto (5 perdidos)
Ano mandante: 14 vitórias, 11 empates (1 no Mané Garrincha) e 7 derrotas (1 na Arena Pantanal)
Maior invencibilidade mandante: 9 jogos de setembro a novembro (6 vencidos)
Maior seca mandante: 4 jogos entre março e abril (3 empatados)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Villa Nova em 11/3 e 5 x 1 no Figueirense em 6/9 (ambas por quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: River Plate 3 x 0 em 27/5, Joinville 3 x 0 em 13/8 e Corinthians 3 x 0 em 23/8 (todas por três gols)

9°) Palmeiras, 53 pontos (campeão da Copa do Brasil e vice em SP)
Ano geral: 37 vitórias, 13 empates e 22 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 8 jogos entre junho e julho (7 vencidos)
Maior seca do ano: 6 jogos em novembro (4 perdidos)
Ano mandante: 24 vitórias (1 no Pacaembu), 5 empates e 8 derrotas (1 no Pacaembu)
Maior invencibilidade mandante: 10 jogos de fevereiro a maio (9 vencidos)
Maior seca mandante: 3 jogos entre maio e junho (2 empatados) e novembro (2 perdidos)
Maior vitória do ano: 5 x 1 no Sampaio Corrêa em 12/5 e 4 x 0 no São Paulo em 28/6 (ambas por quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Chapecoense 5 x 1 em 4/10 (quatro gols)

10°) Atlético Paranaense, 51 pontos (segunda fase da Copa do Brasil, quartas da Sul-Americana e torneio da morte no PR)
Ano geral: 26 vitórias, 15 empates e 24 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 5 jogos em abril (3 empatados), entre agosto e setembro (3 vencidos) e novembro (3 empatados)
Maior seca do ano: 5 jogos entre fevereiro e março (4 perdidos), setembro e entre setembro e outubro (3 perdidos nestes dois casos)
Ano mandante: 18 vitórias, 8 empates e 7 derrotas (1 no Couto Pereira)
Maior invencibilidade mandante: 8 jogos de maio a julho (7 vencidos)
Maior seca mandante: 3 jogos entre fevereiro e março e entre setembro e outubro (2 perdidos nos dois casos)
Maior vitória do ano: 7 x 0 no Nacional em 22/3 (sete gols de diferença)
Maior derrota do ano: Santos 5 x 1 ontem (quatro gols)

11ª) Ponte Preta, 51 pontos (terceira fase da Copa do Brasil, segunda fase da Sul-Americana e quartas de SP)
Ano geral: 26 vitórias, 18 empates e 21 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 9 jogos entre fevereiro e março (5 vencidos)
Maior seca do ano: 9 jogos entre agosto e setembro (5 empatados)
Ano mandante: 19 vitórias, 6 empates e 8 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 9 jogos de março a junho (8 vencidos)
Maior seca mandante: 5 jogos entre agosto e setembro (3 empatados)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Fort Lauderdale em 20/6 (quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Capivariano 3 x 0 em 8/4, Chapecoense 3 x 0 em 26/8 e São Paulo 3 x 0 em 29/8 (todas por três gols)

12°) Flamengo, 49 pontos (oitavas da Copa do Brasil e terceiro do RJ)
Ano geral: 35 vitórias, 11 empates e 22 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 10 jogos entre janeiro e fevereiro (7 vencidos) e entre março e abril (8 vencidos)
Maior seca do ano: 6 jogos entre maio e junho (4 perdidos)
Ano mandante: 18 vitórias (1 na Arena das Dunas e 1 no Engenhão), 5 empates (2 no Mané Garrincha) e 9 derrotas (1 no Mané Garrincha)
Maior invencibilidade mandante: 10 jogos de janeiro a abril (9 vencidos)
Maior seca mandante: 4 jogos entre abril e maio (metade perdida)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Barra Mansa em 4/2, 5 x 1 na Cabofriense em 11/2 e 4 x 0 na Desportiva em 11/10 (todas por quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Corinthians 3 x 0 em 12/7, Atlético Mineiro 4 x 1 em 20/9, Figueirense 3 x 0 em 14/10 e Atlético Paranaense 3 x 0 em 29/11 (todas por três gols)

13°) Fluminense, 47 pontos (semifinal da Copa do Brasil e quarto do RJ)
Ano geral: 28 vitórias, 8 empates e 27 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 6 jogos entre junho e julho (5 vencidos)
Maior seca do ano: 8 jogos entre agosto e setembro (6 perdidos)
Ano mandante: 19 vitórias (1 no Kléber Andrade, 1 no Moacyrzão e 1 no Cidadania), 5 empates e 7 derrotas (1 no Engenhão)
Maior invencibilidade mandante: 13 jogos de março a julho (10 vencidos)
Maior seca mandante: 4 jogos entre agosto e setembro (3 perdidos)
Maior vitória do ano: 4 x 1 no Nova Iguaçu em 4/2, 3 x 0 no Boavista em 12/2, 3 x 0 no Bonsucesso em 12/3 e 3 x 0 na Cabofriense em 26/3 (todas por três gols de diferença)
Maior derrota do ano: Bayer Leverkusen 3 x 0 em 15/1, Flamengo 3 x 0 em 5/4, Atlético Mineiro 4 x 1 em 17/5 e Palmeiras 4 x 1 em 16/9 (todas por três gols)

14ª) Chapecoense, 47 pontos (segunda fase da Copa do Brasil, quartas da Sul-Americana e hexagonal de SC)
Ano geral: 28 vitórias, 21 empates e 21 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 9 jogos entre fevereiro e março (5 vencidos)
Maior seca do ano: 10 jogos de agosto a outubro (metade perdida)
Ano mandante: 19 vitórias, 8 empates e 7 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 7 jogos entre julho e agosto (5 vencidos)
Maior seca mandante: 5 jogos de agosto a outubro (3 perdidos)
Maior vitória do ano: 5 x 0 no Inter de Lages em 31/1 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: Sport 3 x 0 em 27/9 e Atlético Mineiro 3 x 0 ontem (ambas por três gols)

15°) Coritiba, 44 pontos (oitavas da Copa do Brasil e vice do PR)
Ano geral: 25 vitórias, 13 empates e 24 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 10 jogos de fevereiro a abril (8 vencidos)
Maior seca do ano: 9 jogos entre julho e agosto (5 empatados)
Ano mandante: 16 vitórias, 8 empates e 5 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 10 jogos de junho a setembro (6 empatados)
Maior seca mandante: 3 jogos em outubro (2 perdidos)
Maior vitória do ano: 3 x 0 no Villa Nova em 4/3 e 3 x 0 no Londrina em 19/4 (ambas por três gols de diferença)
Maior derrota do ano: Operário 3 x 0 em 3/5, Santos 3 x 0 em 8/8, Atlético Mineiro 3 x 0 em 3/10 e Ponte Preta 3 x 0 em 18/10 (todas por três gols)

16°) Figueirense, 43 pontos (quartas da Copa do Brasil e campeão em SC)
Ano geral: 27 vitórias, 20 empates e 23 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 12 jogos entre março e abril (7 vencidos)
Maior seca do ano: 9 jogos entre setembro e outubro (7 perdidos)
Ano mandante: 18 vitórias, 10 empates e 7 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 11 jogos de janeiro a abril (9 vencidos)
Maior seca mandante: 5 jogos em setembro (4 perdidos)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Metropolitano em 15/3 (quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Cruzeiro 5 x 1 em 6/9 (quatro gols)

17°) Avaí, 42 pontos (segunda fase da Copa do Brasil e quadrangular do rebaixamento em SC)
Ano geral: 17 vitórias, 16 empates e 25 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 7 jogos de março a maio (4 vencidos)
Maior seca do ano: 7 jogos de setembro a novembro (4 perdidos)
Ano mandante: 13 vitórias, 8 empates e 8 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 8 jogos de março a maio (6 vencidos)
Maior seca mandante: 5 jogos de janeiro a março (3 empatados)
Maior vitória do ano: 4 x 0 no Guarani de Palhoça em 6/4 (quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Atlético Mineiro 4 x 1 em 3/6, Palmeiras 3 x 0 em 8/7 e Santos 5 x 2 em 22/8 (todas por tres gols)

18°) Vasco, 41 pontos (quartas da Copa do Brasil e campeão do RJ)
Ano geral: 28 vitórias, 19 empates e 22 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 11 jogos entre abril e maio (6 empatados)
Maior seca do ano: 10 jogos entre maio e junho (metade perdida)
Ano mandante: 13 vitórias (3 no Maracanã e 1 na Arena Pantanal), 12 empates (7 no Maracanã) e 8 derrotas (3 no Maracanã, 1 no Mané Garrincha e 1 no Engenhão)
Maior invencibilidade mandante: 14 jogos de fevereiro a maio (8 vencidos)
Maior seca mandante: 6 jogos de julho a setembro (4 perdidos)
Maior vitória do ano: 5 x 1 no Nova Iguaçu em 15/3 (quatro gols de diferença)
Maior derrota do ano: Internacional 6 x 0 em 2/9 (seis gols de diferença)

19°) Goiás, 38 pontos (terceira fase da Copa do Brasil, segunda da Sul-Americana e campeão de GO)
Ano geral: 26 vitórias, 16 empates e 24 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 15 jogos de fevereiro a maio (10 vencidos)
Maior seca do ano: 8 jogos de maio a julho (5 perdidos)
Ano mandante: 15 vitórias, 8 empates e 9 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 14 jogos de janeiro a maio (9 vencidos)
Maior seca mandante: 4 jogos de maio a julho (metade perdida)
Maior vitória do ano: 6 x 1 no Grêmio Anápolis em 12/3 (cinco gols de diferença)
Maior derrota do ano: Atlético Paranaense 3 x 0 em 30/8, Corinthians 3 x 0 em 15/10 e Flamengo 4 x 1 em 8/11 (todas por três gols)

20°) Joinville, 31 pontos (primeira fase da Copa do Brasil, segunda da Sul-Americana e vice de SC)
Ano geral: 17 vitórias, 19 empates e 27 derrotas
Maior invencibilidade do ano: 7 jogos entre abril e maio (4 vencidos)
Maior seca do ano: 10 jogos de abril a junho (6 perdidos) e de agosto a outubro (metade perdida)
Ano mandante: 13 vitórias, 12 empates e 7 derrotas
Maior invencibilidade mandante: 13 jogos de fevereiro a maio (7 vencidos)
Maior seca mandante: 4 jogos entre maio e junho (metade perdida) e setembro (todos empatados)
Maior vitória do ano: Cruzeiro 3 x 0 em 13/8 (três gols de diferença)
Maior derrota do ano: Ituano 3 x 0 em 1/4, São Paulo 3 x 0 em 23/5, Corinthians 3 x 0 em 13/9, Goiás 3 x 0 em 20/9 e Cruzeiro 3 x 0 em 29/11 (todas por três gols)

Assim termina o Brasileirão de 2015, que teve os rebaixamentos de três dos quatro subidos do ano passado (Avaí, Vasco e Joinville), continuando apenas a Ponte Preta. Agora é esperar pela Libertadores, que terá o Grêmio aqui do RS, o Atlético por MG e o trio de grandes da capital de SP (Corinthians, São Paulo e Palmeiras). Série A no campo? Apenas daqui a cinco meses. Até lá, férias e, depois delas, os "ótimos" Estaduais.

Os públicos de toda a semana

O levantamento considera os dados divulgados da segunda-feira da semana passada até ontem.

43.389 (43.652) / R$ 2.678.940,00 (R$ 61,74) - Corinthians 1 x 1 Avaí (Brasileiro) - Arena Corinthians, São Paulo (SP)
39.660 / R$ 5.336.631,25 (R$ 134,55) - Palmeiras 2 x 1 Santos + 4 x 2 (Copa do Brasil) - Allianz Parque, São Paulo (SP)
34.284 (35.375) / R$ 329.310,00 (R$ 9,60) - Goiás 0 x 1 São Paulo (Brasileiro) - Serra Dourada, Goiânia (GO)
32.229 / R$ 733.720,00 (R$ 22,76) - Atlético Mineiro 3 x 0 Chapecoense (Brasileiro) - Mineirão, Belo Horizonte (MG)
29.386 (34.815) / R$ 715.730,00 (R$ 24,35) - Internacional 2 x 0 Cruzeiro (Brasileiro) - Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
16.047 (16.402) / R$ 183.370,00 (R$ 11,42) - Figueirense 1 x 0 Fluminense (Brasileiro) - Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
14.136 (16.070) / R$ 498.535,00 (R$ 35,26) - Flamengo 1 x 2 Palmeiras (Brasileiro) - Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10.322 (13.228) / R$ 266.515,00 (R$ 25,82) - Coritiba 0 x 0 Vasco (Brasileiro) - Couto Pereira, Curitiba (PR)
5.979 / R$ 199.245,00 (R$ 33,32) - Joinville 0 x 2 Grêmio (Brasileiro) - Arena Joinville, Joinville (SC)
3.836 / R$ 124.970,00 (R$ 32,57) - Santos 5 x 1 Atlético Paranaense (Brasileiro) - Vila Belmiro, Santos (SP)
2.542 / R$ 37.660,00 (R$ 14,81) - Ponte Preta 0 x 1 Sport (Brasileiro) - Moisés Lucarelli, Campinas (SP)

Rio Preto campeão! (e São José também)

Não, não bebi. Não, não estou louco. Não, não embirutei. O Rio Preto é campeão feminino brasileiro ao segurar o empate em 1 gol com o São José ontem à noite, no Vale do Paraíba, e tirar proveito da vitória em casa na ida. Terceira edição do Brasileirão delas e terceira conquista paulista (as anteriores de Ferroviária e Centro Olímpico). Mas como é isso do São José também ser campeão? Simples: anteontem, estas mesmíssimas equipes decidiram o futebol feminino dos Jogos Abertos do Interior de SP e a Águia venceu pelo marcador mínimo. A decisão dos JAI aconteceu dentro do cronograma original. A do Brasileiro é que demorou devido ao rolo do STJD.

Os destaques da Europa

Espanha (14 rodadas) - O Barcelona ainda lidera e teve Suárez indo às redes, mas entregou o empate para o Valencia a 4 minutos do fim e foi a apenas 34 pontos. O Atlético de Madrid se aproximou ao derrotar o Granada e chegar aos 32. Com direito a um do Cristiano Ronaldo, o Real quatrilhou o Getafe e tem 30.

Itália (15 rodadas) - 33 pontos para a Internazionale, que bateu o Genoa, e 32 para a Fiorentina, que deixou para trás a Udinese. Quem dormiu no ponto foi o Napoli, que seria líder se vencesse o Bologna, mas que perdeu e ficou com 31.

Inglaterra (15 rodadas) - Permanece o Leicester em primeiro com 32 pontos após dar de 3 no Swansea. Com 30 está o Arsenal, que fez o mesmo no Sunderland. A dupla de Manchester está com 29. O City perdeu para o Stoke City e o United "oxou" com o West Ham.

Alemanha (15 rodadas) - Bayern de Munique ainda em primeiro, mas não tão na frente quando já esteve. São 40 pontos mantidos com a derrota para o Borussia Monchengladbach. O outro Borussia é o segundão e tem 35 após um desempate nos estertores. O Dortmund tomou a igualdade do Wolfsburg aos 45 da etapa final e venceu aos 48.

França (17 rodadas) - Esse aí nem tem graça. Paris Saint Germain com 45 pontos ao tocar 3 no Nice, dobra do Ibrahimovic. O mais próximo é o Angers, que tem 30 ao derrotar o Lyon na despedida do Gerland (o ex-time do Juninho Pernambucano, que estava lá, atuará no novo Stade des Lumières, feito para a Eurocopa).

Portugal (12 rodadas) - O Sporting ganhou do Marítimo e lidera com 32 pontos. Em segundo está o Porto, que foi aos 30 ao virar sobre o Paços Ferreira. Com um jogo a menos, o Benfica tem 24 após trincar o Académica com dobra do "Mestre" Jonas.

Terminando a fase inicial da Champions (novo)

Grupos da Liga dos Campeões da UEFA encerrando terça e quarta. 16 equipes classificadas, 8 "rebaixadas" para a Liga Europa e 8 ganharão um "bye, bye", "so long" e "farewell", como explicaria Guilherme Arantes ao falar do "adeus" em "Pedacinhos". A seguir, um panorama completo de cada chave e o que está em jogo:

Grupo A - Real Madrid assegurado em primeiro com 13 pontos e Paris Saint Germain classificado com 10.

Grupo B - Wolfsburg com 9, Manchester United com 8 e PSV Eindhoven com 7. Alemães e ingleses jogarão entre si, enquanto os holandeses recebem o CSKA Moscou. Se o PSV ganhar e o Wolfsburg empatar, ambos terão 10 pontos e se classificarão, ficando para saldo e gols pró a definição pela igualdade total no confronto direto.

Grupo C - Benfica e Atlético de Madrid classificados com 10 pontos. Ambos se enfrentarão em Portugal pelo primeiro lugar, que é dos portugueses tanto vencendo quanto empatando.

Grupo D - Juventus classificada com 11 pontos e Manchester City classificado com 9. Basta empatar fora de casa com o Sevilla para a Velha Senhora assegurar a primeira posição.

Grupo E - Barcelona classificado com 13 pontos, Roma e Bayer Leverkusen com 5 e Bate Borisov com 4. Se tivermos empates da Roma com o Bate e do Leverkusen com o Barça, o confronto direto classificará os italianos.

Grupo F - Bayern de Munique assegurado em primeiro com 12 pontos, Olympiacos com 9 e Arsenal com 6. Duelo direto entre gregos e ingleses. Os Gunners precisam vencer por dois ou mais gols de diferença para passarem pois, no confronto direto, perderam em casa por 3 x 2. Como gol fora conta para desempate em igualdade agregada, fazer 1 x 0 ou 2 x 1 em território grego será insuficiente. Um gol só serve de 4 x 3 em diante.

Grupo G - Aqui está a situação mais deliciosa de todas: Porto e Chelsea com 10 pontos e Dínamo de Kiev com 8. Os ucranianos recebem o Maccabi Tel Aviv, enquanto ingleses e portugueses se confrontarão. Se o Dínamo ganhar e der empate em Londres, teremos empate triplo em 11 pontos. Neste caso, os embates diretos entre estes três resolverão sua sorte. Partiríamos para o saldo de gols e isso deixaria o Porto de fora por já ter -1, contra 0 do Chelsea e 1 do Dínamo (que, com o escore mínimo, teria 2 justamente no mínimo). Isso aconteceu em 2013 no Grupo F, que teve empate triplo em 12 pontos. Ali, o Borussia Dortmund passou por ter saldo 1 e o Arsenal foi com saldo 0, de fora estando o Napoli com -1. Será que nesta quarta o mesmo se repetirá?

Grupo H - Zenit assegurado em primeiro com 15 pontos, Gent com 7 e Valencia com 6. Os belgas receberão o líder do quadrangular e os espanhóis serão mandantes contra o já eliminado Lyon. Se o Gent perder e o Valencia empatar, o Gent se classificará pois, embora cada um tenha vencido um jogo no confronto direto e haja igualdade no saldo em 0, o gol fora decidiria tudo pois o Valencia ganhou por 2 x 1 em casa e sofreu 1 x 0 fora.

Na UEFA Champions League, os critérios de desempate são sempre estes: confronto direto, saldo, gols pró e o coeficiente de pontos tanto da agremiação quanto da associação à qual corresponde nos últimos 5 anos.

Só Fatos, Sem Boatos (novo)

O tópico fixo de fim de ano começa na atualização de terça-feira. Aqui, rumores e especulações não têm vez. Mais fácil eu ter uma noite de amor com a Ivete Sangalo do que publicar hipóteses neste tópico. Vai!!!

Flamengo - Reeleito presidente com 1.632 votos, contra 834 de Wallim Vasconcellos e 259 de Cacau Cotta, além de 14 nulos e 14 brancos (apenas 2.753 votantes não é "nada" para o clube de maior torcida do país, na boa), Eduardo Bandeira de Mello anunciou que Muricy Ramalho é o novo treinador da equipe.

Botafogo - O goleiro Renan não renovou contrato e sai após 8 temporadas.

São Paulo - O atacante Alexandre Pato saiu e retornou para o Corinthians.

Santos - Atualmente machucado, Valencia permanecerá por mais 1 ano.

Internacional - Lisandro López saiu e retornou para o Racing Club.

Brasil de Pelotas - Rogério Zimmermann renovou por 1 ano, o que lhe deixará por 4 anos na casamata rubro-negra, e foi contratado o atacante Ramon, do Lajeadense.

América Mineiro - Marcelo Toscano saiu e foi anunciado pelo sul-coreano Jeju United por 2 anos.

Atlético Mineiro - Não renovados os compromissos do meia Cárdenas e dos volantes Josué e Danilo Pires. Já o zagueiro Edcarlos permanecerá por 1 ano.

Cruzeiro - O lateral direito Ceará deixa o clube ao não ter o contrato renovado.

Ceará - Contratado o volante Jhonnatan, do Paysandu, por 1 ano.

Sampaio Corrêa - Adquirido o zagueiro Genilson, do Fortaleza, com quem estava acertado verbalmente.

Santa Cruz - Continuarão o técnico Marcelo Martelotte e o zagueiro Neris por 1 ano e o meia João Paulo por mais 2 anos.

Sport - O atacante André deixou o clube pois voltará para o Atlético Mineiro.

Bahia - O volante Souza foi embora e é de novo do Cruzeiro, que está por negociá-lo com o Japão.

Paysandu - Se Jhonnatan foi para o Ceará, o treinador Dado Cavalcanti renovou por 1 ano.

Vila Nova - Renovados em 1 ano os contratos do meia Zotti e do lateral esquerdo Marinho Donizete.

Metropolitano - O time de Blumenau será treinado no Catarinão por Valdir Espinosa. Boa sorte, grande Valdir!

Curtinhas (atualizado)

*Eleito melhor jogador do Brasileirão na votação oficial da CBF com jornalistas de todos os veículos de todo o país, Renato Augusto também ganhou a Bola de Ouro da Placar, cuja seleção Bola de Prata ficou assim (essa definida pelas médias das notas recebidas por todos os jogadores em cada uma das 38 rodadas): Marcelo Grohe (Grêmio); Galhardo (GRE), Gil (Corinthians), Geromel (GRE) e Douglas Santos (Atlético Mineiro); Elias (COR), Rafael Carioca (CAM), Renato Augusto e Jadson (ambos COR); Luan (GRE) e Pratto (CAM).

*Dias especiais para o Santos. A segunda-feira por algo triste: a morte aos 61 anos, decorrente de um AVC, do gerente da base Paulo Mayeda, que revelou a geração de Diego e Robinho no início dos anos 2000. A terça-feira por algo alegre: os 50 anos da Taça Brasil conquistada ao derrotar o Vasco por 1 x 0 no RJ.

*Leio na Mônica Bergamo a quantidade de processos trabalhistas respondidos pelos clubes de São Paulo por jogadores e ex-funcionários que cobram vínculos não pagos: 212 da Portuguesa, 153 do Palmeiras, 130 do Santos, 113 do Corinthians e 103 do São Paulo. Barbaridade, algum dia tudo isso ficará em dia?

*Dica do atento João Renato Alves: terminado o ano de bola rolando, o Grêmio teve Luan como seu goleador com 17 proezas. Última vez que um gremista da base atingira tal patamar: Ronaldinho em 2000.

*GO entra na Copa Verde em 2016. Único estado do Centro-Oeste a ficar de fora nas duas edições anteriores, agora ele se fará representado pelo Vila Nova, que foi convidado pela CBF para disputá-la.

*Michel Platini julgado nesta terça pelo Tribunal Arbitral do Esporte por causa da suspensão aplicada pelo Comitê de Ética da FIFA. Esperado até a próxima sexta o veredicto para o ex-candidato ao comando da FIFA.

*Oscar Pistorius aguardando em liberdade o anúncio da sentença pelo assassinato da namorada Reeva Steenkamp, já que pagou uma fiança equivalente a 2,5 mil "dilmas". Dinheiro "de pinga" para o condenado.

*Atletismo: cassado pela IAAF o bronze da Tatyana Andrianova nos 800 metros do Mundial de Helsinque, em 2005, pois deu positivo seu exame antidopagem. Todos os resultados dela de 2005 a 2007 foram cancelados. Chegaram a puni-la com dois anos de suspensão, mas isso já não terá valor pois ela parou de competir em 2011.

*Judô: além do bronze da Sarah Menezes, a única outra medalha brasileira na etapa de Tóquio, que fechou o Grand Slam em 2015, coube à Maria Portela no médio feminino. Também ela ficou com o bronze.

*Fórmula Truck: Leandro Totti não é parente do Francesco, mas é o campeão da temporada de 2015 ao terminar em segundo a etapa derradeira em Londrina, ganha pelo Paulo Salustiano, que ficou com o vice.

*Handebol: após parir uma bigorna para estrear empatando em 24 gols com a Coreia do Sul, as gurias do Brasil voltaram a defender nesta segunda o bicampeonato mundial ao aplicarem 26 x 11 sobre Congo. Terceiro desafio marcado para o fim da tarde desta terça, a Alemanha pela frente.

*Futsal: mais uma Libertadores ganha por brasileiros, que venceram todas as edições realizadas desde 2000 (só em 2012 ela não aconteceu). Deu Brasil Kirin de Sorocaba por 4 x 2 sobre o Bucaramanga da Colômbia. Foi a primeira conquista do time do Falcão, que sucedeu no topo do pódio o Atlântico de Erechim. Foi também o último título do time chamado Brasil Kirin por este patrocinador se retirar. Outro está por chegar, confirmou o próprio Falcão à reportagem do SporTV após a partida. Dizem que será a Adimax, da ração Magnus.

*Convocados do Sérgio Schiochet para a Eliminatória da Copa do Mundo, no Paraguai, em fevereiro, quando Paraguai, Venezuela, Peru e Equador serão enfrentados pelo Brasil: os goleiros Gian (ACBF), Tiago (Brasil Kirin) e Dudu (Krona); os fixos Caio (Jaraguá), Rafael Rato (Inter Movistar) e Rodrigo (BKI); os alas Ari, Fernandinho (ambos do Dinamo da Rússia), Daniel (IMO), Xuxa (BKI), Bateria (Barcelona) e Marcênio (Gazpron); e os pivôs Jé (Kairat Almaty), Pito (ACBF) e Diego (JAR). Falcão está fora por tratar de lesões que o atazanam há horas.

Sintonia PB (atualizado)

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*Leio no Auvaro Maia que a Rádio 730 de Goiânia, de propriedade de Maurício Sampaio, passou a ser gerida por Adair Meira, que assumiu isso na condição de procurador. Ele se apresentou para os ouvintes ao vivo durante a programação da emissora. Ele pediu para ser chamado que nem fazem seus amigos próximos: Meira San.

*Exibido na virada de sábado para domingo no "Supercine" em homenagem à anteontem falecida Marília Pêra (o que desagradou muita gente por existirem outros filmes onde ela brilha muito mais e por muito mais tempo de cena), "Central do Brasil" não passou em rigorosamente todo o país neste dia. Apenas de ontem para hoje a Rede Globo o exibiu em Pernambuco e Paraíba na "Sessão de Gala", substituindo "Coração de Pescador", pois estes estados mostraram no sábado para domingo o filme pernambucano "A História da Eternidade". Grato ao conviva Alexandre Buarque, sem o auxílio do qual eu nem faria a menos remota ideia disso.

*Keila Jimenez lembrou um episódio marcante na carreira da Marília Pêra, do qual admito que não sabia (ou, se sabia, não lembrava): o SBT a contratou em 1996 para estrelar "A Pantera", novela que nunca foi realizada e cuja ideia era gravá-la em Rondônia para ambientá-la nos anos 50 com cassinos, drinques e shows mirabolantes. A artista seguiu contratada do Silvio Santos até outubro de 1997, quando de sua emissora saiu sem nada ter feito ali e foi gravar "Mandacaru" na Manchete. Foram quatro anos da Marília fora da Globo, desde "Incidente em Antares" até "Meu Bem Querer", período no qual também fez "O Campeão" na Band.

*A aguardar nesta terça o episódio de "Pé na Cova" e a prometida homenagem à intérprete da Darlene, que por muitas semanas mais será vista por, como lembra Cristina Padiglione, ainda existirem mais 16 episódios inéditos (contando o de hoje), sendo 12 deles para a última temporada, prevista para o início de janeiro de 2016.

*Leio no Flávio Ricco que a Record marcou para dia 23, às 22h30, a "Retrospectiva dos Famosos", com quatro apresentadores: Lorena Coutinho, Thatiana Brasil, Michael Keller e Rafael Machado.

*Da série "não sei tudo de tudo sobre todos o tempo todo": apenas e tão somente nesta madrugada, em pesquisas sem relação com este assunto, que fui saber que a sedutoríssima paranaense Andressa Missio, que por mais de uma década brilhou na TV do seu estado ao ficar 10 anos na RPC e quase dois na Tarobá, trocou de emissora no Espírito Santo, onde está desde janeiro. Saiu da Gazeta (Globo) para a Rede Vitória (Record), na qual apresenta diariamente o "Fala Manhã" às 8h10. Tem que colocá-la todos os dias no "Fala Brasil", oras!

*Triste acontecimento do início da tarde de terça-feira aqui em Porto Alegre: uma equipe de vivo da Rede Record teve que se retirar da Vila Pedreira, próxima ao bairro Cristal, na Zona Sul, devido à insegurança no local. Pedras foram atiradas por moradores do local na unidade móvel da emissora, pela qual o repórter Frederico Vilhar estava ao vivo no "Balanço Geral RS" (cerca de 15 minutos depois de se retirar por orientação do Cel. Goulart, da Brigada Militar, a equipe retornou para a sede da emissora e Fred participou ao vivo no estúdio com Alexandre Mota). Tudo isso aconteceu numa manhã muito tensa na Vila Cruzeiro, onde dois jovens foram mortos pela manhã e houve revolta da comunidade com a Brigada Militar. A coisa por aqui anda muito difícil, minha gente.

*Uma social aqui do RS: tem casal na RBS TV festejando um bebê. Nasceu Malu, filha da Maíra Gatto, apresentadora de tempo e trânsito do "Bom Dia Rio Grande", e do repórter Léo Saballa Jr. Felicidades!

*"RedeTV! News" apresentado parte de São Paulo com Luciano Faccioli e parte de Brasília com Amanda Klein desde esta segunda-feira devido ao turbulentíssimo momento político (o lero do impeachment).

*Leio no Guia dos Curiosos que o Grupo J. Malucelli desmentiu informações que circulam nos bastidores da Editora Abril sobre fechar a aquisição dos direitos para o Brasil da Playboy. Por outro lado, leio no Lauro Jardim que será anunciada amanhã a publicação da revista via PBB Entertainment, do empresário Marcos Rodrigues e Silva, que voltará às bancas ainda no primeiro semestre do ano que vem. A PBB confirmou isso ao UOL.

*O domingo marcou os 15 anos da morte do ator Werner Klemperer, nascido em 1920 e que interpretou o Coronel Klink de 1965 a 1971 em "Guerra, Sombra e Água Fresca", a série que extraiu humor da guerra.

*Terça-feira dos 85 anos do nascimento de Maximilian Schell, ator austríaco falecido no ano passado. Vencedor do Oscar por "O Julgamento de Nuremberg", ele dirigiu o elogiado documentário "Marlene".

*Um mago da maquiagem fazendo 65 anos nesta terça: Rick Baker, vencedor de sete Oscar ("Um Lobisomem Americano em Londres", "Um Hóspede do Barulho", "Ed Wood", "O Professor Aloprado", "Homens de Preto", "O Grinch" e "O Lobisomem"), além do clipaço "Thriller", do Michael Jackson, dirigido por John Landis.

*Mais uma da série "delay com DE maiúsculo": apenas anteontem, por lembrança do João Renato Alves, me toquei dos 50 anos do lançamento do clássico "My Generation", do The Who. Data completada no dia 29 do mês retrasado (mas dá no mesmo dizer no outubro), só que não a registrei nesta "24". Foi mal, João.

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Clipe do Dia I

Completou 95 anos no domingo o nascimento de Dave Brubeck, que morreu há 3 anos fechados no sábado. Dos mais inesquecíveis pianistas de jazz, lembrado é aqui com "Take Five", instrumental ao vivo de 1966 que foi o tema do comentário diário do Falcão no "Hoje nos Esportes", da Rádio Gaúcha, na época do Nando Gross.

Clipe do Dia II (novo)

Nascimento de Dan Hartman fechando 65 anos nesta terça. O cantor dos sucessos "I Can Dream About You" e "Instant Replay" morreu em 1994 e é lembrado aqui pela discoteca "Relight My Fire".

Bela do Dia: Flávia Galdiole

Flávia Galdiole, repórter da TV Morena (Globo) no Mato Grosso do Sul. Vem... morena, ouvir comigo essa cantiga... Sair por essa vida aventureira...

Clipe do Dia III (novo)

Sammy Davis Jr. faria 90 anos nesta terça, caso não nos deixasse em 1990. Integrante do grupo de atores "Rat Pack", esteve em filmes como "Onze Homens e um Segredo", "Charity, Meu Amor", "Quem Não Corre, Voa" e "Luar Sobre Parador". Destaco aqui Sammy em "Keep Your Eye on The Sparrow", da série "Baretta".

Clipe do Dia IV (novo)

Há 35 anos completados nesta terça, o assassinato de John Lennon chocava todo o mundo. Seis tiros disparados por Mark Chapman, cinco acertando o ex-beatle. Um dos crimes mais horríveis da história do showbizz. No dia em que sua trágica partida completa mais um ano, destaco cinco ótimas canções: de 1970, "Mother"; de 1971, "Imagine"; de 1972, "Happy Xmas"; de 1973, "Mind Games"; e de 1974, "Whatever Gets You Thru The Night".

Momento Raridade Rara (novo)

Voltemos a 1980. Assista aqui a morte de Lennon reportada por Lucas Mendes no "Jornal Hoje", apresentado por Lígia Maria. A Rede Globo reprisou este trecho em 2010, por isso as logomarcas atualizadas na tela. Também aqui, olhe um trecho do "Fantástico" dias após o assassinato, com apresentação de Celso Freitas e reportagens dos correspondentes Luís Fernando Silva Pinto em Londres e Ederson Granetto em Nova York.

Antes do Arremate...

...um reforço sempre válido: este Papo de Bola - o Site precisa de patrocinadores para se manter no ar, por não ser apenas o custo da hospedagem o necessário para tanto e sim outros ainda maiores. Se você quiser anunciar nestes escritos, clique aqui e dê uma olhada nas maneiras de como fazê-lo que muito bem vindo serás e muito agradecido ficarei. Também continuo forçosamente adotando o "Ajude o PB", de colaborações avulsas.

Arremate

Vários jogos desta última rodada tiveram protestos do Bom Senso FC, que quer Marco Polo Del Nero punido.

"24 Horas" volta antes que o fujão número 1 do nosso futebol encare tudo que deve encarar!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia") e editor do blog "Papo Final" no Final Sports.

TWITTER: @papodebola
FACEBOOK: SitePapoDeBola
E-MAIL: papodebola@gmail.com
BLOG NO FINAL: papofinal.final.com.br


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.


 
Seja mais um seguidor do Papo de Bola e leia as manchetes do site e comentários diversos.

PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.