.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  Papo Especial
  Especiais PB
  O Jogo da Minha Vida
  Rádio PB
  PB Interativo
  Sites Parceiros
 

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

Quinta e sexta, 10 e 11 de julho de 2014 - ANO 11, EDIÇÃO 276
Explicação ao povo



Quando começo a escrever as inéditas desta quinta-feira, que valerão também pela sexta-feira, são quase 11 e meia da manhã (atualização: ao término de escrita e edição, são quase 4 da tarde). A essa hora, nos meus dias mais apertados de horário, eu deveria no máximo publicá-las neste horário e nunca fazê-las pois, da forma como faço este Papo de Bola com colunões que devem valer por um dia inteiro, sempre foi melhor pra mim fazer tudo na madrugada, quando o noticiário esportivo está "parado", do que durante a manhã e a tarde, quando as informações vão se atualizando e muitas coisas separadas para serem escritas podem ser alteradas ou anuladas. Mas falarei depois dessa minha parada no tempo com o que faço. Antes, quero dar uma explicação ao povo, que acabei soltando a partir de um questionamento do conviva Mário Cesar Berns no Facebook. O que falei pra ele não foi direcionado a ele especificamente. Sua mensagem foi só um pretexto que liberou o que veio.

Não atualizei este PB nesta quarta-feira, dia seguinte ao vexame aplicado pela Alemanha sobre o Brasil, porque capotei. Capotei bonitaço. Eram quase 7 da manhã e eu ainda não tinha começado a escrever as colunas do dia mesmo tendo separado todos os assuntos, mas tive esgotamento físico pois estava havia quase 24 horas acordado e não aguentei. Meu bem estar físico falou mais alto. Antes disso, não atualizei o site nem sábado, nem domingo e nem segunda-feira. Nestes dias, tive umas chateações particulares que ainda não puderam ser resolvidas e também fiquei sem ânimo para escrever tanto por isso quanto pela internet encher demais minha cabeça com o falatório sobre a questão do Neymar e do Zuñiga, fosse defendendo um ponto de vista da história ou defendendo outro, qualquer que fosse. Confesso até que não assisti Alemanha x França na sexta-feira pois as chateações particulares me fizeram ter vontade de dar uma caminhada longa para aliviar um pouco a cabeça.

Sou humano, infelizmente não sou máquina. Eu não deveria "pifar" numa hora de Copa do Mundo, mas pifo. Do mesmo jeito que eu não deveria "pifar" em outras datas importantes, como no ano retrasado no dia seguinte ao encerramento da Olimpíada de Londres. Não escolho a hora para isso acontecer. Infelizmente, as coisas boas e ruins não chegam no meu caminho de acordo com o que preciso e com o que quero. Mesmo sem conseguir manter o Papo de Bola nestes dias, o que pude atualizar normalmente foi o espaço que tenho tido no NaTelinha a pedido do grande Fabrício Falcheti, com exceção da segunda-feira, quando também falhei com ele - como tenho falhado com bastante gente que me contatou nos últimos meses e que até hoje não respondi por ser demais de bagunçado com meu tempo e com as coisas que faço no computador e também fora dele, homem da casa que sou para afazeres variados sem hora programada para tanto conforme a necessidade pede.

Outra: tenho uma coisa de sempre sentir sono e bocejar um pouco quando faço um lanche de sal, por isso que não exagero muitas vezes quando o tranco é largo e preciso esticá-lo. Mas perto das 7 da manhã desta quarta, minha avó me fez uma torrada com salame e queijo para eu me alimentar pois achou que seria bom. A torrada foi boa, mas ela no estômago não foi pois veio o sono que me fez capotar quando já resistia bravamente contra ele. Só que eu não poderia ser indelicado de recusar o lanche feito pela vó sem que eu o pedisse. Enfim, tem tudo isso que as pessoas nem sempre lembram ou mesmo sabem ou até não pensam que aconteça - e não foi caso do Mário especificamente, mas de muitas pessoas é, sim. Pessoas que acabam pensando somente no site por serem leitoras assíduas dele, o que muito contente me deixa, de verdade, mas que nem sempre imaginam que possa ocorrer algo fora do computador que cause alguns sumiços ou ausências em horas impensadas.

Usando uma figura de linguagem: seria como se não pensassem tanto na pessoa física Eduardo de Oliveira Cesar e sim na "pessoa jurídica" Edu Cesar - e é "pessoa jurídica", com aspas, pois sem aspas ainda não me é possível por eu não ter condição de completar este procedimento necessário até para eu conseguir patrocínios para o site devido à necessidade de passar e receber nota fiscal, o que inclusive me fez perder duas chances que poderiam dar um apoio bacana. Uma delas foi há alguns anos, quando quase consegui uma telefônica para ser patrocinadora aqui do PB e até fui na agência de publicidade responsável pela conta deles, mas faltou isso de pessoa jurídica. A outra foi no começo deste ano mesmo, eu poderia ter conseguido uma verba de 400 mangos com um patrocínio. De novo, deu esse problema (problema pra mim especificamente pois, evidentemente, sei que tais procedimentos são necessários, justos e devidos para que tudo se faça de maneira decente e correta).

Parece não ter a ver, mas tem sim. Pode parecer bobagem, mas não é. Tudo acaba influindo, mas nem sempre falo disso como falo agora pois sei que muitas pessoas não estão nem aí pra isso e sim se tal narrador trocará de emissora, se tal comentarista fará esse ou aquele jogo, quantos pontos deu tal programa, enfim. Só falo o que falo agora tanto por ter tido como pretexto essa mensagem do Mário Cesar Berns no Facebook (em momento algum fora da linha em absolutamente nenhum sentido, correto que ele procura sempre ser a exemplo de tantos e tão corretos leitores que felizmente tenho, pelo que sou muito agradecido por não ser algo fácil numa internet onde a imbecilidade nas sessões de comentários acaba reinando - que o digam aqueles que derem olhadelas em certas notícias nos grandes portais) quanto porque estamos em tempos de reta decisiva de Copa do Mundo e não ser normal passar alguns dias sem atualização, embora não seja por minha vontade isso, nunca, jamais.

Para acabar esse monte de groselha vencida ao qual tenho que submetê-los no "abre" das duas colunas: agora no fim deste mês de julho, vai completar um ano que tô com esse "Ajude o PB a se manter no ar" à direita das duas colunas diárias e da capa no site. Se até agora não tirei esse aviso, é só por tudo continuar difícil. Se não fossem vários auxílios, socorros e ajudas de muitos amigos seja meus ou da mãe, além de uma pequena renda mensal ganha pela minha avó, não teria este site para ser mantido porque não teria nem telefone fixo e internet, não teria energia elétrica aqui em casa, não teria comida na geladeira, enfim, tudo ainda decorrente do processo judicial de ordem familiar até hoje não resolvido, das limitações que impedem a mãe de fazer mais e melhores atividades e do que faço aqui não ser remunerado por ninguém, talvez por me faltar competência para tanto. Às vezes, a paciência acaba. E aí, damas e cavalheiros, não tem Copa do Mundo que alivie a cachola.

Peço desculpas a vocês por encher suas cabeças com algo que tenho certeza que não é o que lhes interessa e nem o que faz com que venham aqui, embora tudo esteja interligado para que aqui esteja o que é do desejo de sua leitura, pelo que repito estar agradecido enquanto mostra de consideração e atenção. Se algo que mude para melhor a situação aqui em casa acontecer, evidentemente avisarei todos. De igual maneira, se algum dia sem atualização deste PB for por não me dar vontade sem um só pretexto que seja, também avisarei. Mas é como falei: nem sempre tudo acontece como se quer, embora admito não aguentar mais percalços em alta escala e perspectivas mais reduzidas que o casebre de uma formiguinha. Ah, ia esquecendo: nesta madrugada de quarta para quinta, acabei "capotando" de novo lá pelas 3 horas e fui encostar a cabeça no travesseiro por uns poucos minutos. Só queria um repouso rápido. Dormi 7 horas. Contra minha vontade. E vamos começar a função em si.

Aviso importante aos navegantes

Esta coluna valerá por quinta e por sexta-feira, mas sofrerá atualizações até meados da manhã desta sexta-feira com assuntos importantes que surgirem e que não der para segurar até uma edição totalmente nova no fim de semana. O que for assunto adicionado estará devidamente identificado com um alerta em negrito itálico.

Ainda a lambada da Alemanha no Brasil

Muita gente que torce apaixonadamente pela Seleção Brasileira não se confirmou com brincadeiras feitas por brasileiros com os 7 x 1 impostos pela Alemanha, como se fosse algo desrespeitoso. Da minha parte, a única coisa com a qual brinquei desde então foi com uma loja virtual que prometeu 10% de desconto por cada gol da Alemanha e que teve que oferecer 70% de desconto para seus clientes. A derrota por 7 x 1 em si não dá para brincar, embora eu compreenda as gozações que surgiram não como algo ofensivo contra a Seleção, não isso, mas sim uma válvula de escape para aliviar a chateação e a insatisfação com o que assistimos. Típico exemplo daquele famoso e popular ditado que diz que tem que rir pra não chorar. E de bom humor, o brasileiro entende.

Não vivi 1950, mas por tudo que já li, vi e ouvi, aquele acontecimento não é nada perto desta semifinal de 2014. O que aconteceu nesta terça-feira deveria não apenas ser justamente lamentado por ser um vexame sem paralelo, mas servir como reflexão para repensar algumas coisas do nosso futebol, enfim, não limitar a coisa a este jogo, mas à própria condição do nosso futebol. A Seleção não inspirou confiança a Copa inteira, já contra o Chile pareceu aquela mocinha que só não despenca pra morte pois o mocinho chega e dá seu braço para ela agarrá-lo e ser milagrosamente salva (claro que me refiro ao chute do Pinilla na trave no fim da prorrogação).

Muita gente, por muito tempo, ficou apenas com relatos falados daquele jogo de 1950, à base da memória de quem o acompanhou, com a história contada dessa maneira por uns e daquela por alguns. Graças à internet, existem agora registros preciosos em áudio, pela qual se percebe que a disputa foi bem intensa e sem qualquer paralelo com o que aconteceu hoje. Se fosse para aumentar com a Seleção de 2014 a proporção da reação recebida pela de 1950, a de agora deveria ser execrada em praça pública. Mas não é para tanto.

A Seleção de 1950 nem deveria ser humilhada como foi por tantos desde então e a de 2014 não é que deva ou não ser humilhada, mas sim criticada com razão em todas as suas esferas (jogadores, comissão técnica e dirigentes) com a devida racionalidade e cabeça fria na análise - ainda que no calor do momento pouquíssimos fizeram isso pois a maioria só coloca a cuca nos eixos depois de algumas horas. É ver o que está errado, o que deve ser mantido e o que precisa ser corrigido para que algo assim nunca aconteça outra vez, seja em Copa do Mundo ou em qualquer competição. A instituição Seleção Brasileira merece respeito, mas também precisa se dar o respeito da parte de todos. A Alemanha apenas deu uma colaborada para esta reflexão acontecer, que valeria mesmo que viesse o título pois ele chegaria mais na base da garra, da vibração e da superação, mas nem tanto no talento dentro do campo por outras seleções se mostrarem melhores tecnicamente e em conjunto.

Tirando o Neymar, quem de diferenciado a equipe tinha para se esperar uma excepcionalidade que mudasse a história? A rigor, ninguém. E dá pra dizer que uma convocação diferente mudaria a história? Talvez não. Nos nossos clubes tem gente tão melhor assim? Nos clubes europeus? Francamente, posso até estar enganado, mas acho que não. Alguns nomes poderiam ser lamentados em tempos passados. Ganso? Ronaldinho? Luís Fabiano? Adriano? Já tiveram grandes momentos. Hoje, infelizmente para a Seleção com sua exigência muito maior que nos clubes, por mais exigentes que eles sejam, não é o caso. É para uma reflexão assim que serve a humilhação aplicada pela Alemanha - aliás, humilhação não; se os alemães fossem mais incisivos ainda, pisassem mais no acelerador, facilmente ganhariam de bem mais, talvez passasse dos 10.

Por fim: torcer contra a Seleção eu não torço, mas uma derrota elástica dessas não pode ser aceita. Não é um fato isolado esse 7 x 1, mas claro que ninguém esperaria algo assim, seja da Alemanha na gente ou fosse da gente pra cima deles por ser um clássico onde goleada massacrante é absolutamente anormal. Debates que já vêm de algum tempo voltaram à pauta na ordem do dia, como o de termos ou não um estrangeiro treinando a Seleção um dia, entre outros menos ou mais importantes, mas nunca irrelevantes). Gente boa para colocar as ideias na mesa para discussão existem. O problema é acreditar em mudanças pois a corja que aí está na linha de frente da CBF e das federações não vai largar o osso de jeito nenhum. O deles sempre em primeiro lugar.

Vale ou não vale o terceiro lugar?

O jogo de terceiro lugar serve como um prêmio de consolação para os perdedores das semifinais, claro que longe do ideal que era decidir a Copa e ganhá-la, mas ao menos para não sair de maneira tão ruim da competição. Muitas vezes ele cai bem para países de presença mais modesta e que tomam isso como algo valoroso, tipo Portugal em 66, a Polônia em 74, a Croácia em 98 e a Turquia em 2002. Claro que para seleções que almejam algo mais o terceiro lugar e nada é a mesma coisa, tipo o Brasil depois desses 7 x 1 ou a Holanda por mais uma vez não atingir a tão sonhada conquista, mas o jogo em si eu acho válido e acho que outros torneios poderiam realizá-lo por servir, nem que seja, como um passatempo para entreter antes da emoção da finalíssima.

Curtinhas dos 7 x 1

*Antes de Alemanha 7 x 1 Brasil, o placar mais elástico em diferença de gols numa semifinal de Copa do Mundo tinha sido 6 x 1 da Argentina nos Estados Unidos e do Uruguai na Iugoslávia, ambos em 1930, e da Alemanha Ocidental sobre a Áustria em 1954. Detalhe: a Alemanha de 2014 chegou ao quinto gol antes dos 30 minutos do primeiro tempo e a Argentina de 1930 só atingiu isso aos 40 do segundo. Assistimos algo único.

*Klose se tornou o primeiro jogador a disputar quatro semifinais de Copa do Mundo e quebrou o recorde do Ronaldo justamente contra o Brasil. Algo cruel, mas que tem tudo a ver com uma Copa diferente como a nossa.

*Cafu virou "pessoa estranha" quando? Expulso não deveria ser ele do vestiário da Seleção pelo José Maria Marin e sim ele, Marin, ser expulso da CBF e do futebol brasileiro. Não só ele. Seus semelhantes também.

*Mick Jagger no estádio torcendo pelo Brasil. Demorou, mas aquele tuíte falso ganhou valor de verdadeiro.

*Brasil x Colômbia acontecerá de novo, desta vez como amistoso em Miami, no dia 5 de setembro. Será que teremos um reencontro de Neymar e Zuñiga? Convenhamos: seria o extremo da crueldade.

*Luiz Felipe Scolari errou nesta atual passagem pelo Brasil e não tem feito tantos trabalhos bons nos últimos anos, exceção ao Palmeiras campeão da Copa do Brasil de 2012 - mas o rebaixamento meses depois fez um monte de palestrinos desconsiderarem a campanha vitoriosa. Mas seu crédito é muito, muitíssimo maior, que o de Wagner Ribeiro, empresário do Neymar. Esse não tem moral nenhuma pra falar de ninguém. Irrelevante.

*Felipão foi mal ao falar de Santa Catarina. O que falei do Wagner Ribeiro vale também pro Delfim de Pádua Peixoto, não cabendo mérito nenhum da Federação Catarinense em três clubes atualmente na Série A e sim em mérito total, único e exclusivo dos próprios clubes e de seus administradores. Mas se é verdade que o futebol catarinense tem como ponto máximo a Copa do Brasil de 1991 com o Criciúma sendo Felipão seu treinador, não menos verdade é que o que veio depois para ele precisou deste ponto de partida, pois sem ele nada chegaria.

Curtinhas da Argentina finalista

*Do jogo em si, pouco a falar, ruim que foi pois as defesas se mostraram praticamente perfeitas e os ataques sucumbiram, que o diga Mascherano naquela recuperação espetacular ao impedir Robben de marcar o gol da vaga aos 45 do segundo. Primeira semifinal em 84 anos de Copas a terminar sem gols. E sem futebol também.

*Messi não atuou bem ontem, mas não pode ser desvalorizado e desconsiderado de jeito nenhum. É um grande trunfo para os tangueiros no domingo. Com Messi em campo, Argentina invicta há 28 jogos (24 vencidos). Esta semifinal o deixou na frente de Maradona em atuações pela seleção vizinha, com 92 a 91.

*Na coletiva, Alejandro Sabella enalteceu Valdir Espinosa, seu técnico no Grêmio entre 1986 e 1987, ao lembrar que ele o ensinou do valor do domínio dos espaços para vencer o jogo. Bacana este reconhecimento dele.

*Em 1990, Sergio Goycochea decidiu os pênaltis na semifinal. Em 2014, Sergio Romero foi o cara. Coincidência no primeiro nome, coincidência na consequência final? Só falta dar Alemanha 1 x 0 com gol de pênalti discutível.

*Alemanha x Argentina será a décima decisão de Mundial entre uma seleção sul-americana e outra europeia, com sete êxitos da América do Sul e dois da Europa. Aqui no nosso continente, nunca os europeus se deram bem: Uruguai em 1930 e 1950, Brasil em 1962 e Argentina em 1978. Tradição mantida ou quebrada?

*Será o sétimo Argentina x Alemanha em Copas. Até agora, três vitórias alemãs, dois empates e um sucesso dos argentinos, que foi justamente o da decisão de 1986. Confronto mais reprisado na história do certame, antes empatado com Brasil x Suécia, que este ano nem tinha como acontecer pois os nórdicos não vieram.

Curtinhas da Copa

*Rejeitada a apelação para redução da pena do Suárez, que ficará mesmo 9 jogos e 4 meses suspenso. É...

*Triste esta segunda morte de um jornalista argentino que aqui estava para cobrir a Copa, a de Jorge Luis Lopez num acidente com o táxi no qual estava sendo atingido por um carro roubado em São Paulo. Lamentável.

*Devolvida por Raymond Whelan sua credencial do Mundial. Essa história da Match e da máfia dos ingressos não pode ser esquecida ao término da Copa do Mundo. Mas será que os reais cabeças da história surgirão?

*Nigéria suspensa por tempo indeterminado pela FIFA por ingerência governamental. Compreendo...

*Renovado por mais 2 anos o contrato do treinador Safet Susic com a seleção da Bósnia.

*Tirado das páginas oficiais da Federação Alemã um vídeo da seleção que usava "A Luz de Tieta", do Caetano Veloso. Tudo isso por causa de uma chatice dessa mala sem alça e sem noção que é a tal de Paula Lavigne.

Curtinhas fora da Copa

*Fluminense x Santos não será no Maracanã pois no dia 25 ele ainda estará sob comando da FIFA. Ah, mas essa FIFA que vá plantar batatas em dia de 45 graus à sombra! A Copa acaba no dia 13! Pela mãe do guarda...

*Idas e vindas na Azenha e no Humaitá: o Grêmio contratou o atacante Fernandinho, que estava sem clube desde que saiu do Atlético Mineiro, e emprestou o lateral direito Moisés para o Goiás.

*Edinho preso para cumprir a pena de 33 anos por se envolver com traficantes de drogas. Triste fim dele.

*Oficializado nesta tarde de quinta-feira para nós e noite para os europeus: Alexis Sanchez, autor do gol chileno sobre o Brasil no Mineirão, deixa o Barcelona após 3 anos e jogará no Arsenal.

*O Atlético de Madrid perdeu Diego para o Fenerbahce, mas adquiriu Mandzukic do Bayern de Munique.

*Duas datas ainda da terça-feira: 45 anos de Aguinaga, considerado o maior jogador da história do Equador e que venceu taças por Necaxa e LDU; e 50 anos de Vialli, atacante campeão por Sampdoria, Juventus e Chelsea.

*Vôlei: o Brasil pegará Rússia e Irã na fase final da Liga Mundial, que começa na sexta da semana que vem.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*Novo âncora na Rádio Jovem Pan: Adalberto Piotto, que está fora da latinha desde o fim de 2011, quando saiu da CBN, por investir na direção de documentários. Ele comandará o "Jornal da Manhã" ao lado de Joseval Peixoto, Paulo Pontes e locutores. O tradicional matinal da Pan tinha ficado desfalcado de um âncora neste ano após a saída do Oliveira Andrade, que ficou exclusivo como narrador esportivo das TVs do Grupo Bandeirantes.

*De Belo Horizonte: leio no NaTelinha que o noturno "MG Record" foi segundo colocado isolado na sexta-feira da semana passada, marcando 13 pontos de média e 14 de pico, entregando com 11 pro "Jornal da Record".

*Outra vez mudança diretiva na Record aqui do Rio Grande do Sul, que troca mais de comando do que eu de roupa no começo de cada dia: Fabiano Freitas deixou o grupo após 11 meses para assumir a Record do Rio de Janeiro, da qual chega à aldeia pampeana Reinaldo Gilli, que trabalha na Rede Record há 22 anos.

*Leio no NaTelinha que a Record/RS dispensou 10 funcionários nesta semana, a maioria da área técnica, e que mais dispensas podem acontecer. Consta que o "Direto da Redação", que abre o jornalismo matinal, só não saiu do ar pois a matriz da rede nacional interferiu para tanto. Já o "Balanço Geral RS" tem oscilado entre apenas 3 e 5 pontos, contrastando com o período mais áureo de até 10 pontos. Que coisa... Como é que pode isso?

*Leio no Flávio Ricco que Luciano Faccioli e TV Bandeirantes confirmaram o encerramento do compromisso entre as partes. Terminou a passagem de 4 anos de Faccioli na Band. Demorou, mas Daniel Castro cravou certinho.

*Assistem aqui o hilário momento em que, após um homem com a bunda de fora apareceu rapidamente (mas nitidamente) num vivo do Lucas Cappatto no "Jornal da Band" após Argentina x Holanda, Ricardo Boechat falou sobre aquilo antes de deixar a sequência do noticiário para Ticiana Villas Boas - que, diga-se de passagem, será mamãe enquanto grávida de 3 meses que está, assim noticiou o site Glamurama.

*Leio no Flávio Ricco que Regina Brandão, a psicóloga da Seleção, estará no "Roda Viva" de segunda que vem, na Cultura. Promete muito essa conversa, ainda mais depois de tudo que bem sabemos que aconteceu.

*Marcelo Adnet tomando um empurrão por trás de um torcedor, Danielle Winits na área dos fotógrafos por uma ação da Sony ao tomar o lugar de muita gente que tentou credenciamento e não obteve, reclames ufanistas quando estava 5 x 0 no intervalo... Não foi apenas dentro de campo que teve estrago em Alemanha x Brasil.

*Leio no Flávio Ricco que a Igreja Universal, que domina quase que por completo CNT e Rede 21, além da madrugada da Record, deverá renegociar os horários em outras emissoras por todo o Brasil, sobretudo em São Paulo, não devendo renovar alguns compromissos com, por exemplo, Bandeirantes, RedeTV! e Gazeta.

*IURD, que aqui em Porto Alegre agora comprou a faixa das 13h às 14h na TV Pampa, o que a deixará no ar por duas horas seguidas no VHF por ter há muitos e muitos anos o espaço das 14h às 15h na Band.

*Completou 50 anos na quarta-feira Courtney Love, cantora da banda Hole, atriz de filmes como "O Povo Contra Larry Flynt" e viúva de Kurt Cobain, sendo até mesmo acusada de matar o vocalista do Nirvana.

*50 anos nesta quinta de Dalton Vigh, ator de novelas como "O Profeta", "Duas Caras" e "Salve Jorge".

*Também na quinta-feira, 25 anos da morte de Mel Blanc, nascido em 1908 e dublador norte-americano do Pernalonga ao longo de cinco décadas, além de criador da característica risada do Pica-Pau.

*Sexta-feira dos 25 anos sem Laurence Olivier, que nasceu em 1907. Sir Laurence fez filmes como "Rebecca, a Mulher Inesquecível" e "Spartacus", vencendo o Oscar de ator e filme por "Hamlet".

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Bela do Dia: Camila Kifer

Camila Kifer, jornalista de O Tempo e ex-Rádio BandNews FM. Lindindinha de Belo Horizonte que hoje escreve e não fala mais na latinha, mas que continua lindindinha e merece chegar à seção.

Ajude o PB

É o banner que está à esquerda desta página. Forçado fui a adotar por tempo indeterminado o sistema chamado de "crowdfunding" (financiamento coletivo). Clicando aqui, entenderão o que me levou a algo que relutei em fazer.

Convivas

As mensagens aqui publicadas são remetidas pelos leitores deste PB ao e-mail papodebola@gmail.com.

Atenção: a seção está suspensa temporariamente até que eu consiga resolver alguns poréns particulares. Por enquanto, continuem sem mandar e-mails com comentários, pitacos e opiniões pois aqui não serão publicados. Dicas e avisos informativos são bem-vindos. Espero resolver isso em breve e aqui avisarei assim que o fizer, permitindo que os amigos do Brasil voltem a participar com suas considerações sobre o que aqui destaco.

Clipe do Dia I

Chegou aos 55 anos na quarta-feira Jim Kerr, cantor do Simple Minds desde 1977. Um dos primeiros grandes sucessos desta banda veio em 1985 e está aqui: "Don't You (Forget About Me)".

Clipe do Dia II

65 anos nesta quinta-feira de Greg Kihn, que soltou nos anos 80 este temaço aqui: "Jeopardy".

Clipe do Dia III

Vocalista do Pet Shop Boys, Neil Tennant chega aos 60 anos nesta quinta-feira. Um dos principais momentos deste duo pop muito bom, no qual sua voz é fundamental, está aqui: "Domino Dancing".

Clipe do Dia IV

Sexta-feira dos 55 anos de Richie Sambora, guitarrista do Bon Jovi, que mostro aqui em "Never Say Goodbye".

Clipe do Dia V

Também 55 anos nesta sexta de Suzanne Vega, cantora que lançou aqui o musicaço "Luka".

Arremate

CBF falando em apoio popular a José Maria Marin. Deboche é bom, mas tem hora e vale quando tem graça.

"24 Horas" volta antes do próximo embuste que tentarão empurrar pelas nossas goelas!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia").

TWITTER: @papodebola
E-MAIL: papodebola@gmail.com


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.


 
Seja mais um seguidor do Papo de Bola e leia as manchetes do site e comentários diversos.

PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.