.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  Papo Especial
  Especiais PB
  O Jogo da Minha Vida
  Rádio PB
  PB Interativo
  Sites Parceiros
 

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

Segunda, 26 de agosto de 2013 - ANO 11, EDIÇÃO 16
A despedida dos campeões mundiais

Fim de semana triste este para o futebol mundial e, especialmente, o brasileiro. Dois jogadores vencedores de Copa do Mundo faleceram. Um deles foi o ex-lateral direito De Sordi, que tinha 82 anos e sofreu falência múltipla de órgãos. Portador do Mal de Parkinson, De Sordi nasceu na paulista Piracicaba, começando no futebol pelo XV local. Dele, foi para o São Paulo e jogou entre 1952 e 1965, conquistando o Campeonato Paulista em 1953 e 1957. Pela Seleção Brasileira, conquistou o Mundial de 1958, na Suécia, mas não disputou a final contra o país anfitrião por estar lesionado - foi aí que entrou Djalma Santos, outro mito que nos deixou recentemente. De Sordi foi treinador do União Bandeirante e morava há dois anos com o filho na paranaense Bandeirantes, onde morreu.

A outra perda irreparável entristece demais, mas de certa maneira era esperada diante do noticiário dos últimos dias: a da lenda das metas Gylmar dos Santos Neves, três dias após completar 83 anos. O goleiro sofreu um infarto no Hospital Sírio Libanês, onde estava internado. Um quadro de desidratação piorou o quadro que já não era bom desde 2000, quando um acidente vascular cerebral limitou seus movimentos e o dom da fala. A notícia da morte de Gilmar foi confirmada às 6 e meia da tarde deste domingo e ele foi acompanhado no hospital pelos filhos Marcelo e Rogério. O enterro acontecerá às 3 da tarde desta segunda-feira, em São Paulo.

Gylmar - que a vida toda era chamado Gilmar e, depois, teve o "i" abandonado quando se soube que o nome na certidão de nascimento estava com "y" - foi o maior goleiro do Brasil em todos os tempos. Seu primeiro time foi o Jabaquara, mas depois ele foi defender o Corinthians, onde começou a construir o status de mito dos campos. Foram 10 anos no Timão, com as conquistas de três Paulistões e de dois RJ/SP. Foi enquanto arqueiro do clube de Parque São Jorge que ele venceu a Copa do Mundo de 1958, na Suécia, onde não só marcou época em um dos maiores esquadrões da história como ficou eternizada a imagem dele dando apoio em seu peito para um choro desenfreado de emoção do então gurizote e já campeão mundial Pelé, futuro Atleta do Século 20.

Ao repetir a dose no Chile, em 1962, Gylmar era goleiro do Santos, que entrou para os anais do futebol mundial. Se dizem que todo grande time começa por um grande goleiro, o Peixe do quinteto ofensivo Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe estava muitíssimo bem representado. Foram faixas e mais faixas de campeão: cinco de São Paulo, seis nacionais (cinco da Taça Brasil e uma do Roberto Gomes Pedrosa), três do RJ/SP e mais uma Recopa dos Campeões Mundiais. Depois de Gilmar, quem defendia o gol do alvinegro praiano tinha uma missão de valor não duplicado, triplicado ou quatriplicado, mas sim multiplicado infinitamente por ter que se fazer jus à camisa que um dia foi tão brilhantemente defendida. Muitos honraram esta condição, outros nem tanto.

Pela Seleção Brasileira, Gylmar dos Santos Neves ganhou não só as duas Copas do Mundo, mas também três Taças Bernardo O'Higgins, cinco Taças Oswaldo Cruz, duas Taças do Atlântico e três Copas Roca. Foram 104 atuações, com 104 gols sofridos - exata média de um gol por jogo. 73 vitórias, 15 empates e 16 derrotas. E um detalhe fundamental: Gilmar é o único goleiro titular a ganhar duas Copas. O italiano Guido Massetti também tem duas Copas no currículo, mas tanto em 1934 quanto em 1938 não atuou uma só vez que fosse.

Djalma Santos há poucas semanas, De Sordi e Gylmar agora. Perdas que entristecem o futebol do Brasil e que reforçam com muito talento o time do Céu, que precisou convocá-los para vencer o Mundial Celestial.

Os públicos do fim de semana pelo país

Antes de mais nada, informo que duas plateias eu não encontrei até a conclusão desta coluna: as de Boa Esporte 1 x 0 Palmeiras (Dilzon Melo, Varginha) e Sampaio Corrêa 4 x 2 Treze (Castelão, São Luís).

Dito isto, o destaque total ficou para o Cícero Pompeu de Toledo, onde o ingresso de valor reduzido levou mais de 55 mil fãs ao fim do jejum do São Paulo no Campeonato Brasileiro. Fora isso, apenas três partidas na casa das 20 mil pessoas, mas com preço médio de ingresso pra lá de distinto, indo da média de 10 "dilmas" na vitória do Santa Cruz no Arruda aos 95 mangos no empate entre Vasco e Corinthians no Mané Garrincha. As partidas em Curitiba foram semelhantes nos públicos, mas o Paraná arrecadou um pouco mais que o Atlético. Negativa com "NE" maiúsculo foi a plateia do Internacional em Novo Hamburgo: 2 mil pessoas, pouco menos de pagantes e pouco mais de presentes. Algo que, para um clube do status que o Colorado possui - e sem ignorar o fator da noite fria com chuvarada na Grande Porto Alegre -, não dá para não considerar ridículo, na boa.

Eis os públicos pagantes (presentes entre parênteses), as arrecadações e o preço médio do ingresso na sexta, no sábado e no domingo nas quatro séries do Brasileirão e mais uma de competição estadual.

55.256 (55.351) / R$ 658.280,00 (R$ 11,91) - São Paulo 2 x 1 Fluminense (Série A) - Morumbi, São Paulo (SP)
23.978 / R$ 257.420,00 (R$ 10,73) - Santa Cruz 0 x 0 CRB (Série C) - Arruda, Recife (PE)
21.627 / R$ 2.070.800,00 (R$ 95,75) - Vasco 1 x 1 Corinthians (Série A) - Mané Garrincha, Brasília (DF)
20.580 / R$ 951.590,00 (R$ 46,23) - Flamengo 0 x 1 Grêmio (Série A) - Mané Garrincha, Brasília (DF)
12.295 (13.382) / R$ 277.875,00 (R$ 22,60) - Paraná 1 x 0 Sport (Série B) - Vila Capanema, Curitiba (PR)
12.124 (13.202) / R$ 186.490,00 (R$ 15,38) - Atlético Paranaense 2 x 0 Botafogo (Série A) - Vila Capanema, Curitiba (PR)
10.614 (12.578) / R$ 315.190,00 (R$ 29,69) - Bahia 2 x 0 Náutico (Série A) - Fonte Nova, Salvador (BA)
10.520 / R$ 206.670,00 (R$ 19,64) - Vila Nova 1 x 1 Duque de Caxias (Série C) - Serra Dourada, Goiânia (GO)
8.555 / R$ 258.690,00 (R$ 30,23) - Atlético Mineiro 2 x 1 Portuguesa (Série A) - Independência, Belo Horizonte (MG)
8.350 / R$ 157.380,00 (R$ 18,84) - Santos 2 x 0 Vitória (Série A) - Vila Belmiro, Santos (SP)
7.603 / R$ 84.500,00 (R$ 11,11) - Joinville 1 x 0 São Caetano (Série B) - Arena Joinville, Joinville (SC)
7.564 / R$ 148.345,00 (R$ 19,61) - Paysandu 1 x 2 Icasa (Série B) - Curuzu, Belém (PA)
6.714 (7.544) / R$ 57.935,00 (R$ 8,62) - Botafogo/PB 4 x 2 Juazeirense (Série D) - Almeidão, João Pessoa (PB)
6.204 / R$ 72.800,00 (R$ 11,73) - Criciúma 2 x 1 Coritiba (Série A) - Heriberto Hulse, Criciúma (SC)
5.974 / R$ 103.755,00 (R$ 17,36) - Ponte Preta 0 x 2 Cruzeiro (Série A) - Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
4.023 / R$ 60.350,00 (R$ 15,00) - CRAC 2 x 0 Barueri (Série C) - Genervino da Fonseca, Catalão (GO)
2.759 / R$ 39.640,00 (R$ 14,36) - Mogi Mirim 1 x 1 Guarani (Série C) - Romildo Ferreira, Mogi Mirim (SP)
1.826 / R$ 37.195,00 (R$ 20,36) - Atlético Goianiense 1 x 1 América Mineiro (Série B) - Serra Dourada, Goiânia (GO)
1.815 (2.174) / R$ 43.680,00 (R$ 24,06) - Internacional 3 x 3 Goiás (Série A) - Do Vale, Novo Hamburgo (RS)
1.628 (1.904) / R$ 20.310,00 (R$ 12,47) - Metropolitano 1 x 0 Botafogo/SP (Série D) - Monumental do SESI, Blumenau (SC)
1.595 (1.821) / R$ 16.570,00 (R$ 10,38) - Figueirense 3 x 0 Oeste (Série B) - Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
1.490 / R$ 2.972,00 (R$ 1,99) - Rio Branco 0 x 1 Osasco (Copa Paulista) - Décio Vitta, Americana (SP)
1.372 (1.577) / R$ 15.120,00 (R$ 11,02) - Santo André 3 x 2 Marcílio Dias (Série D) - Bruno José Daniel, Santo André (SP)
1.095 (1.395) / R$ 9.570,00 (R$ 8,73) - Paragominas 4 x 0 Plácido de Castro (Série D) - Arena Verde, Paragominas (PA)
1.020 / R$ 6.590,00 (R$ 6,46) - Guarany 3 x 2 Ypiranga (Série D) - Junco, Sobral (CE)
869 / R$ 5.515,00 (R$ 6,34) - América de Natal 2 x 3 Avaí (Série B) - Barrettão, Ceará-Mirim (RN)
855 / R$ 12.357,25 (R$ 14,45) - Bragantino 1 x 0 Chapecoense (Série B) - Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)

Brasileirão: assim foi a 16ª rodada

O Cruzeiro foi o grande vencedor do fim de semana por fazer sua parte e contar com tropeços paralelos que lhe deram a condição da liderança. Numa partida onde dominou o tempo, venceu por dobro a nada uma Ponte Preta que não só perdeu em casa como ainda perdeu o técnico, já que Paulo César Carpegiani caiu fora (o substituto é Jorginho, que neste ano trabalhou no Flamengo). Dedé marcou seu primeiro gol pela Raposa e Borges, depois de um erro inacreditável na linha da pequena área, se redimiu com um fuzilaço beleza pura.

Para ajudar os azuis mineiros, o Botafogo não foi páreo para um Atlético Paranaense que completou nove jogos sem derrota na Série A, cinco deles vencidos, um deles o de ontem à noite. Dellatorre assistindo e Ederson concluindo foram os líderes da vitória do Furacão, construída em dois gols nos primeiros 10 minutos do tempo complementar. O Glorioso pouco fez de ameaçador e ainda teve duas perdas sérias para a próxima rodada: a de Jefferson, por terceiro cartão amarelo, e a de Vitinho, por expulsão. Esperava-se um confronto mais parelho, mas o momento rubro-negro das araucárias é especial e o time de Vagner Mancini vai de vento em popa.

Foi um fim de semana tão bom para o Atlético Paranaense que seu rival Coritiba, desfalcado de quase um time inteiro, não só perdeu para o Criciúma, como ainda perdeu mais uma vez com gol irregular - e o mais incrível de tudo: um golaço irregular do Fabinho, numa bicicleta lindíssima da parte dele e feiérrima do bandeirinha, que não dá para entender como não assinalou um impedimento tão flagrante que até Stevie Wonder o acusou. Quarta partida sem vitória do Coxa e jornada importante para o Tigre recuperar o moral na busca pela reversão difícil de situação na Copa Sul-Americana, fora de casa, mas contra uma Ponte que agora é só problemas.

Brasília teve bola em jogo em dose dupla. No sábado, com boa presença da sua torcida no Mané Garrincha, o Grêmio contou com o primeiro gol de Pará pelo clube numa bucha em cobrança de falta e deixou de ampliar em duas chances preciosas do Barcos, uma em cabeceio na pequena área que beijou o travessão e outra em chute defendido por Felipe. Como o Flamengo pouco ameaçou, os três pontos foram conquistados na boa pelo Imortal Tricolor, que chegou à quarta vitória consecutiva e não derrotava o rubro-negro como visitante desde 2002. O Mengão teve quebrada uma série de seis pelejas sem derrota na capital federal e cinco jogos invicto.

Já no domingo, Vasco e Corinthians empataram, o que foi melhor para o Timão pois, embora saísse na frente antes de fechadas 5 voltas no ponteiro e perdesse a chance do 2 x 0 num cabeceio do Douglas no travessão, o Cruzmaltino teve maior volume ofensivo relevante e empatou apenas na etapa final, com Juninho Pernambucano tirando proveito de má saída de bola adversária para servir André pro empate. Enquanto o clube paulista só teve mais uma oportunidade legal com Romarinho, a equipe carioca teve um Marlone persistente, mas sem êxito nas suas três boas tentativas. Porém, o destaque muito negativo foi a pancadaria entre torcedores no intervalo, que foi provocada por alguns torcedores organizados corintianos. Até quando teremos cenas como aquela que vi na Globo, de um torcedor assustado protegendo seu filho do quebra-quebra? Tipo da cena que dói no coração.

De volta ao futebol dentro das quatro linhas, valeu sal grosso no vestiário e a presença de 55 mil pessoas nas arquibancadas do Cícero para o São Paulo ganhar a primeira no Brasileirão após 12 rodadas, graças a Luís Fabiano e Reinaldo. Vantagem sólida e o Fluminense não chegou a fazer tanta frente, até diminuindo com um xará meu em arremate bonito no ângulo direito, mas já era 46 do segundo tempo e não daria em nada. A má fase tricolor carioca persiste e a expectativa é se a má fase tricolor paulista passou ou teve apenas uma breve pausa.

Outro paulista vencedor na rodada foi o Santos, que teve outro gol do Gabriel (com falha do Wilson, verdade seja dita) e dominou amplamente o Vitória, que só quando já perdia por dobro a nada ameaçou efetivamente em duas chances com Dinei, uma para fora e outra detida por Aranha. Primeiro sucesso santista na competição depois de seis rodadas e queda rubro-negra para alegria do Bahia, que foi superior ao Náutico, mas teve sustos quando uma defesaça de Marcelo Lomba em desvio de Leandro Amaro no primeiro pau quase rendeu empate. Testaço do Fernandão na sequência é que tranquilizou o tricolor baiano. Esqueci de falar algo? Não. Só deixei pro fim do comentário o registro do Helder, autor do gol mais bonito da rodada em um sapataço de fora da área no ângulo.

Chegamos às partidas mais divertidas do fim de semana. Olhei no Twitter um comentário sobre o jogo em Belo Horizonte ser fraco tecnicamente, mas o compacto que vi de Atlético Mineiro x Portuguesa me mostrou uma partida bem divertida, com chances e mais chances de gol, que poderia resultar numas 6 ou 8 estufadas de redes. Dois tempos distintos. O primeiro teve a Lusa melhor e saindo na frente com Bruno Henrique e o segundo foi dominado pelo Galo, que empatou com Diego Tardelli e virou com Dátolo no finalzinho. Mesmo com uma boa atuação, a rubro-verde paulistana segue lá embaixo, enquanto o alvinegro libertador segue em recuperação.

Por fim, o quinto empate seguido do Internacional, que não vence há seis rodadas. Melhor no primeiro tempo, saiu na frente com D'Alessandro. Não bastou para ir em vantagem pro intervalo pois Renan Oliveira, depois de errar uma primeira tentativa, acertou uma segunda em assistência do Walter. A virada veio no tempo segundo por um William Matheus livrinho da silva e, ao invés de novo empate por Scocco ou Caio, aconteceu o terceiro tento goiano em mais uma participação do Walter, desta vez não mandando pro barbante, mas colaborando para isso - Ramon que o diga. A conclusão do Juan no alvo recolocou o Colorado no jogo e Leandro Damião disparou no ângulo para empatar. No fim, ele ainda tomou um pescoção na área, mas não deram a penalidade máxima.

Pontuação após 16 rodadas

Assim está o Campeonato Brasileiro (*um jogo a menos; **dois jogos a menos): 1) Cruzeiro, 31; 2) Botafogo, 29; 3) Grêmio, 28; 4) Atlético Paranaense, 27; 5) Corinthians, 26; 6) Coritiba, 24; 7) Bahia e Internacional*, 23; 9) Vitória e Goiás, 22; 11) Vasco, 20; 12) Atlético Mineiro*, Santos** e Flamengo, 19; 15) Fluminense, 18; 16) Criciúma, 17; 17) Ponte Preta*, 15; 18) São Paulo*, 14; 19) Portuguesa, 13; e 20) Náutico**, 8.

Rescaldo dos palpites

Fui bem... mal: só três acertos em dez jogos (2 x 0 Bahia, Cruzeiro e Atlético Mineiro). Vejamos seus índices:

7 acertos
Hugo Leonardo Souza Pinto (1 exato: 1 x 1 em Brasília, Grêmio, Santos, Bahia, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense e empate em Novo Hamburgo)

6 acertos
Rodrigo Servo (3 exatos: 2 x 1 Criciúma, 2 x 1 São Paulo, 2 x 0 Atlético Paranaense, Grêmio, Bahia e Atlético Mineiro)
Carlos Eduardo Sampaio Queiroz (2 exatos: 1 x 1 em Brasília, 2 x 1 Atlético Mineiro, Santos, Cruzeiro, Criciúma e Bahia)
Amauri Piauilino da Silva (1 exato: 2 x 0 Cruzeiro, Grêmio, Santos, Bahia, Atlético Mineiro e Atlético Paranaense)
Anderson Costa (1 exato: 1 x 1 em Brasília, Grêmio, Santos, Cruzeiro, Bahia e Atlético Mineiro)
Rodrigo dos Reis Evaldt (1 exato: 1 x 0 Grêmio, Santos, São Paulo, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense e empate em Novo Hamburgo)

5 acertos
Edemir Vilagran de Oliveira (2 exatos: 2 x 1 São Paulo, 2 x 0 Bahia, Santos, Cruzeiro e Atlético Mineiro)
Eldio Venancio (2 exatos: 2 x 1 Criciúma, 2 x 0 Bahia, Cruzeiro, São Paulo e Atlético Mineiro)
Fernando Clemente (2 exatos: 2 x 1 Criciúma, 1 x 1 em Brasília, Cruzeiro, Bahia e Atlético Mineiro)
Natanael Felipe Rhoden (1 exato: 2 x 0 Bahia, Santos, Cruzeiro, Atlético Mineiro e empate em Brasília)
Daniel Lage de Castro (Grêmio, Cruzeiro, Bahia, Atlético Mineiro e Atlético Paranaense)
Douglas Ernesto Fernandes Gonçalves (Cruzeiro, São Paulo, Bahia, Atlético Mineiro e empate em Brasília)
João Arruda (Cruzeiro, Criciúma, Bahia, Atlético Mineiro e Atlético Paranaense)
Lucas Fernandes de Albuquerque Lira (Santos, Cruzeiro, São Paulo, Bahia e Atlético Mineiro)

4 acertos
Celso Luís Gallo (1 exato: 1 x 1 em Brasília, Cruzeiro, Bahia e Atlético Mineiro)
Ezequias M. dos Santos (1 exato: 2 x 0 Bahia, Cruzeiro, São Paulo e Atlético Mineiro)
Charles Tavares (Santos, São Paulo, Bahia e Atlético Mineiro)

3 acertos
Fernando Melotti Constancio (1 exato: 2 x 0 Cruzeiro, Bahia e Atlético Mineiro)
Clayton Moreira (Cruzeiro, Bahia e Atlético Mineiro)
Sandro Francischini (Santos, São Paulo e Atlético Mineiro)

O que vem por aí

Estes são os próximos 10 jogos do Campeonato Brasileiro: sábado, Grêmio x Ponte Preta, Portuguesa x Bahia, Náutico x Atlético Paranaense, Goiás x Atlético Mineiro e Fluminense x Santos; e domingo, Corinthians x Flamengo, Botafogo x São Paulo, Coritiba x Internacional, Vitória x Criciúma e Cruzeiro x Vasco.

Cadê a Série B, Edu?

Vitória do Boa Esporte sobre o Palmeiras e as outras cinco porfias do sábado foram devidamente destacadas e comentadas na coluna de ontem, onde trouxe o rescaldo dos palpites e as próximas 11 partidas para envio dos seus prognósticos - 11 partidas pois mais uma atrasada da Chapecoense será recuperada amanhã.

40 anos de um início vencedor

Curiosidade deliciosa para torcedores do Palmeiras neste dia em que eles celebram os 99 anos de fundação do clube: há exatos 40 anos hoje completados, tinha início a campanha do primeiro seu primeiro bicampeonato do Brasil (considerando-se por bicampeonato ganhar por dois anos seguidos, consequentemente não me refiro às conquistas de Taça Brasil e Robertão no mesmo ano - 1967 -, mesmo que reconhecidas como Brasileirões pela CBF). Com dois gols de Ronaldo, o Verdão ganhou do Remo por 2 x 0, no Baenão, em Belém. O Palmeiras seria campeão num quadrangular final com Inter, Cruzeiro e São Paulo, com quem empatou sem gols no último jogo.

40 anos de uma inauguração trágica

26 de agosto de 1973 apresenta outra data importante, esta triste: a inauguração do Albertão, em Teresina, com Tiradentes 0 x 0 Fluminense, pela mesma rodada inicial do Brasileirão. A construção não estava completa, mas o estádio foi inaugurado mesmo assim. Um avião passou perto dele e causou um tremor, decorrente disso da conclusão ainda não 100%. Um torcedor gritou que o novo palco futebolístico estava caindo e deixou a todos em pânico. As pessoas acabaram rompendo a grade de segurança e caíram no fosso. Oficialmente foram cinco as mortes, mas tem quem diga ter ocorrido muitas mais. A partida, naquele momento irrelevante diante de algo que tirou qualquer sensação de alegria que poderia existir até então, ficou interrompida por 40 minutos.

Em meio à Copa do Brasil

Atuaram nas suas séries do Brasileirão três times que estão nas oitavas do mata-ou-morre nacional. Na Série C, o Luverdense ganhou do Cuiabá fora de casa e assim vai até SP para defender a vantagem contra o Corinthians. Na D, o Salgueiro foi ao Piauí e venceu o Parnahyba, agora voltando para o sertão pernambucano, onde duelará com o Internacional, enquanto o Nacional atuou em Manaus e começou perdendo pro Náutico de Roraima, mas virou e ampliou para 1, 2, 3, 4, 5, 6 a apenas 1 - será que bastará isso para reviravoltar contra o Vasco no Rio?

O fim de semana teve dois trincadores (jogadores que marcaram três gols no mesmo jogo, mas assim não tem graça e por isso adoto a variante única deste espaço "trincadores"): na quarta divisão, Hiltinho assim fez nos 5 do Maranhão; e na terceira, o trincador foi Thiago Cavalcanti nos 4 gols do Sampaio Corrêa contra 2 do Treze, um deles anotado por Sapé - veja bem: não é sapê, que nem a casinha da música cantada por Hyldon e Paula Toller e nem sepé da cidade da Carla Fachim (a.k.a. "Sharon Stone de São Sepé"), mas sim Sapé.

Mas e os times que estavam com defesas invictas? Não são mais invictas. Na Série C, o Guarani empatou em uma proeza com o Mogi Mirim, mas há um detalhe interessante: a invencibilidade do arqueiro Juliano persiste pois o gol do Sapão foi marcado não nele, que saiu aos 5 minutos do segundo tempo por passar mal, e sim em Léo. Com isso, a marca de Juliano sem ser vazado chegou aos 950 minutos. Já na Série D, o Tiradentes tomou dobro a nada do Central - ou seja: melhor na parada ficou o Bugre por seguir sem derrotas no seu torneio.

Por falar na quarta divisão do Brasileirão, definidas foram neste fim de semana as oitavas-de-final. Curiosíssimo: uma delas será entre dois times que estão nas oitavas da Copa do Brasil. Já projetando a próxima fase, a rota das quartas é essa: Salgueiro ou Nacional x Plácido de Castro ou Gurupi, Sergipe ou Tiradentes x Central ou Botafogo de João Pessoa, Resende ou Mixto x Aparecidense ou Tupi e Londrina ou Juventude x Santo André ou Metropolitano. Oito desses 16 times estão a 360 minutos do acesso para a Terceirona do ano que vem.

Duas regionalizadas

Acabou a Série B do Campeonato Goiano e o título foi da Anapolina, que perdeu por 3 x 2 para o Trindade, mas ficou com o título por vencer a ida por 3 x 1. Os dois subiram para a divisão principal em 2014.

Já o triangular decisivo da Série B do Campeonato Carioca teve um empate entre América e Cabofriense, que levou o time de Cabo Frio aos 3 pontos e o Sangue a 1 ponto. O terceiro de seis jogos da reta decisiva para definir dois acessos para a Série A do Rio de Janeiro será Bonsucesso x América, depois de amanhã.

Futebol da categoria de base

A Taça Belo Horizonte de Juniores teve neste domingo as oitavas-de-final. O América Mineiro aplicou 1 x 0 no Corinthians e enfrentará na próxima fase o Vasco, que meteu 3 x 1 no Goiás. O Sport fez 1 x 0 no Osasco e vem aí no seu caminho o Grêmio, que derrotou o Santos por 2 x 0. O Coritiba precisou de 5 x 3 nos pênaltis contra o Internacional após 1 x 1 no tempo normal para ter pela frente o Atlético, que enfiou 3 x 1 no Cruzeiro por este clássico mineiro da base. Já o Vitória fez 3 x 2 no Criciúma e atuará contra o Fluminense, que empatou no tempo regulamentar com o Londrina e se classificou após 4 x 2 nas penalidades máximas.

Todos os jogos das quartas-de-final acontecerão amanhã: Sport x Grêmio às 2 e meia da tarde em Sete Lagoas, América x Vasco às 3 e meia em Ouro Preto, Atlético x Fluminense às 5 em SL e Coritiba x Vitória às 6 em OP.

"Pelas Zoropa"

Não foi ainda desta vez que Neymar foi titular do Barcelona, mesmo com Messi machucado. Ainda assim, deu Barcelona com gol do Adriano sobre o Málaga. Agora, o time catalão vai para a Supercopa da Espanha diante do Atlético de Madrid, que neste fim de semana meteu 5 a nada no Rayo Vallecano, com um do Diego Costa. A segunda-feira reservou a segunda partida do Real Madrid na competição, fora de casa, contra o Granada.

Segunda-feira com futebol também na Inglaterra, "apenas" com Manchester United versus Chelsea, que fechará uma rodada que teve o Arsenal trincando o Fulham com dobra do Podolski, o Manchester City saindo na frente e levando a virada do Cardiff, além de vitórias do Tottenham sobre o Swansea e do Liverpool contra o Aston Villa.

A Alemanha celebrou no sábado os 50 anos do início da Bundesliga em uma rodada onde o Bayern de Munique bateu o Nuremberg, o Borussia Dortmund superou o Werder Bremen, o Bayer Leverkusen precisou marcar duas vezes mais para não empatar em dois gols com o Borussia Monchengladbach e o Schalke perdeu pro Hannover.

Terceira rodada também na França e o Olympique manteve os 100% após ganhar do Valenciennes fora de casa. O Monaco "oxou" com o Toulouse, o Paris Saint Germain ganhou do Nantes e o Lyon foi derrotado pelo Reims.

Portugal chegou à segunda rodada e teve trinca do Porto no Marítimo, dobra do Benfica de virada contra o Gil Vicente (virada emocionante aos 46 e aos 48 da etapa final) e quatrilho do Sporting visitando a Académica.

Por fim, teve a primeira rodada na Itália. A Juventus começou ganhando ao visitar a Sampdoria e contar com bola na rede do Tevez para tanto. A Internazionale só conseguiu dobro a nada diante do Genoa nos 15 minutos finais. A Roma visitou o Livorno, fez dois e não levou nenhum. O Napoli meteu três a nada no Bologna. Com um gol do Hernanes, a Lazio derrotou a Udinese. E na abertura do certame, o Milan foi abotoado de virada pelo Verona.

Curtinhas

*Túlio Maravilha diz agora estar a um gol do bendito milésimo depois de guardar um nos 2 x 1 do seu time atual, o Vilavelhense, diante do Linhares, pela Copa Espírito Santo. Gol "moqueca capixaba", definiu ele. Sábado que vem, o Vilavelhense jogará contra a Desportiva Ferroviária. Será que sairá aí o gol que é sua obsessão?

*Rincón não corre risco de vida, mas segue internado no Hospital San José de Buga após o acidente de carro que sofreu no sábado, com múltiplas fraturas e uma ferida aberta na cabeça de consequência. O ex-volante vai ficar mais cerca de cinco dias em observação. Sustaço com esse colombiano que jogou um monte.

*Tá difícil a situação do Independiente na Série B do Campeonato Argentino. Após quatro rodadas, foram dois empates e duas derrotas. O promedio do eterno "Rei de Copas" é o penúltimo, com 0.500, contra 1.100 do Gimnasia y Esgrima, primeiro fora da zona de risco. Mas quero crer que seja fase passageira.

*Salto com vara: Fabiana Murer disputou neste domingo o Meeting da alemã Beckum e conquistou a primeira posição com 4,75 metros, contra 4,70 da chucruteira Silke Spiegelburg e 4,50 da ianque Mary Saxer.

*Pentatlo moderno: Yane Marques tirou uma inédira prata na final do Mundial, disputada na madrugada de sexta para sábado em Taiwan. Ela somou 5.292 pontos, contra 5.312 da lituana Laura Asadauskaite. Legal isso.

*Basquete: a seleção brasileira masculina tá fechando sua preparação para a Copa América ao jogar a Copa Tuto Marchand, pela qual perdeu neste fim de semana por 90 x 70 pra Argentina e por 84 x 81 para Porto Rico.

*Fórmula Indy: Will Power venceu sua primeira corrida desde a São Paulo Indy 300 do ano passado. Primeirão dele em Sonoma, segundão de Justin Wilson e terceirão de Dario Franchitti. Hélio Castroneves foi o sétimo e foi beneficiado por Scott Dixon ser apenas o décimo quinto, duas posições atrás de Tony Kanaan. A quatro provas do encerramento, Helinho tem 479 pontos e Dixon 440. O próximo GP é domingo que vem, em Baltimore.

*Fórmula 1: em corrida que apenas escutei em "audiotape" na madrugada e que não assisti ao vivo por encarar a rua na manhã chuvosa de "Inverno Alegre", Sebastian Vettel ganhou na Bélgica e se tornou o quinto piloto que mais ganhou provas na história da categoria. Fernando Alonso foi o segundo e Lewis Hamilton o terceiro. Vettel foi aos 197 pontos, contra 151 de Alonso, 139 de Hamilton e 134 de Kimi Raikkonen, que ontem abandonou e interrompeu uma série de 27 etapas pontuando. Sétima posição do Felipe Massa, tanto em Spa-Francorchamps quanto no mundial de pilotos, com 67 pontos. A próxima corrida de F-1 é dia 8 de setembro, na Itália.

*Tênis: segunda-feira de começo do Aberto dos Estados Unidos, o último dos quatro Grand Slam. Serão duas semanas de competição. Ano passado, Andy Murray venceu a deles e Serena Williams a delas.

*Judô: o Mundial tem início hoje no Rio de Janeiro. A agenda de eventos desta semana passei na "24" de ontem.

Sintonia PB

Começa o tópico desta "24 Horas" que está antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*Começa hoje a nova fase do "Roda Viva", da TV Cultura, com apresentação novamente de Augusto Nunes, que já tinha feito o programa entre 1987 e 1989, além daquela fase como participante fixo na fase da Marília Gabriela. O primeiro entrevistado do substituto de Mário Sérgio Conti será Miguel Reale Jr., ex-ministro da justiça.

*Leio no Flávio Ricco que tem bonitona saindo do ar por alguns meses em seguidinha: Thaís Furlan, repórter da Record na Inglaterra, que sairá de licença-maternidade e será substituída por André Tal, deslocado do Japão.

*João Kléber virou a nova paixonite da TV Pampa. Não bastasse as exibições próprias da RedeTV! dos seus programas "Você na TV" de segunda a sexta e "Teste de Fidelidade" inédito no domingo e reprisado no sábado, agora tem reprises extras destes programas aqui no Rio Grande do Sul, reprises próprias da Pampa. Eu mereço isso? "Você na TV" repetido após o "Sábado Total" e ao longo da tarde de domingo, e "Teste" repetido durante a madrugada nos fins de semana. Não dá mesmo pra levar a sério o canal 4 aqui da minha cidade.

*Semana rara esta, que terá "Bom Dia Brasil", "Mais Você", "Bem Estar" e "Encontro com Fátima Bernardes" de segunda a sábado na Globo. Sábado em versões especiais por causa do "Criança Esperança".

*Surpresa na saideira: o SBT anunciou em letreiros que o "Programa Silvio Santos" mudará de horário a partir do próximo domingo e começará às 5 da tarde. Mesclando o que li do Flávio Ricco, do Fernando Oliveira e do José Armando Vannucci, o resumo da ópera é este: o "Domingo Legal" será reduzido e entregará para "Eliana" à 1 da tarde, enquanto às 10 da noite ainda é um mistério se passará uma sessão de cinema ou algum projeto secreto da emissora - que tem gente nas redes sociais pensando que envolva Gugu Liberato, mas não pode envolvê-lo pois o acordo de rescisão com a Record estabeleceu que ele permaneça seis meses fora do ar. E agora?

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna.

Bela do Dia: Aline Prado

Aline Prado, repórter da TV Globo, mais especificamente do "Encontro com Fátima Bernardes". Outro bom motivo para ver este programa matutino.

Ajude o PB

É o banner que está à esquerda desta página. Forçado fui a adotar por tempo indeterminado o sistema chamado de "crowdfunding" (financiamento coletivo). Clicando aqui, entenderão o que me levou a algo que relutei em fazer.

Convivas

As mensagens aqui publicadas são remetidas pelos leitores deste PB ao e-mail papodebola@gmail.com.

"Simplesmente inacreditável o que o SBT fez com sua programação: além de reprisar 'Privilégio de Amar' e começar 'Rebelde' à noite no dia 2, ainda li que confirmaram mesmo a reprise de 'Carrossel'. Cinco horários seguidos de novela - e, se for mais rígido ainda, são sete novelas quase que uma atrás da outra, apenas com 'Eu, a Patroa e as Crianças' e o 'SBT Brasil' separando essas 'atrações'." (Charles Tavares)

"Não faltam no Brasil cidades que podemos chamar de 'pobres, horríveis e velhas' pois aqui a classe política é de causar vergonha em qualquer pessoa de bem e que não compactua com a relativização da moral. A cidade onde moro é um exemplo. Não posso chamar São Gonçalo de velha porque tem apenas 123 anos de emancipação, mas posso chamá-la de feia, sem maiores atrativos e mal cuidada, com diversas localidades totalmente desassistidas onde não parece que vivem cidadãos e eleitores. Um dos meus projetos é um dia me mudar desta cidade, da qual não gosto porque sempre me limitou de alguma forma, já que tive que sair daqui para me formar e ter emprego, além de ter que sair daqui se quiser consumir cultura. Pensar assim é 'ter horror a pobre'? Na Rússia não deve ser diferente pois sabe-se que é uma das nações mais corruptas do mundo - não por acaso, a FIFA a escolheu para sediar a Copa de 2018. Essa própria lei antigays deixa claro que se trata de uma democracia de fachada. Por conta disso, creio que querer o melhor para si não faz de Yelena Isinbayeva uma 'dondoca riquinha'. E Emerson se comportou pior do que ela pois ele, não sei por que cargas d'água, resolveu comprar uma briga que não é a sua para, no fim, pagar pedágio às patrulhas do politicamente correto e, com isso, se revelar um sujeito tremendamente preconceituoso e que só queria 'causar' e posar de 'progressista' quando postou aquela foto do beijo. Ao pedir desculpas à ala troglodita, preconceituosa e desocupada da torcida corintiana que se dispõe a ir numa terça de manhã ao treino do time com faixas homofóbicas, ele ainda me saiu com a pérola de que nem era são-paulino. O que podemos dizer daquilo de que 'é preciso ser muito homem para expressar sentimentos de amizade sem temer os preconceitos'? Ao sair apressadamente para dizer que era hetero e coisa e tal em vez de segurar o tranco e dar uma banana para a claque pois ninguém tem nada a ver com a sua vida, além de depois ainda vir a público desculpar-se (de quê?), a postura anti-preconceito de Emerson revelou-se mais falsa que uma nota de 24 reais. Não haverá outras formas mais inteligentes e honestas de colocar-se contra o preconceito?" (Clayton Moreira)
É a forma de se falar as coisas, Clayton. Você, ao falar de São Gonçalo, se expressou de uma maneira que coloca a real da sua parada sem qualquer tom que soe de maneira negativa. Yelena, ao falar da cidade dela, já foi muito diferente e pareceu uma "dondoca riquinha". É a forma de falar as coisas que faz a diferença. E isso do Emerson nem valia a pena falar lá no começo, muito menos vale a pena falar agora porque é uma bobagem total. O futebol tem assuntos muito mais importantes para o povo debater.

"Além da TV Vanguarda de Taubaté, também as TVs Diário de Mogi das Cruzes e TEM de Itapetininga exibem programas locais de madrugada ao invés do 'Corujão' da Globo." (Ednilson Teixeira)
A TEM não mais, a Diário sim - mas da Diário eu só soube pela sua menção.

"Sei que você não vê mais o 'Pânico', mas procure as imagens da Nadja Haddad de biquíni pois não é todo dia que temos isso na TV. Se for preciso sair da Bandeirantes para aparecer em trajes mínimos, vou torcer pela saída da Paloma Tocci o mais rápido possível." (Hugo Leonardo Souza Pinto)
Mas uma coisa tem a ver com a outra? Aquele comercial de hidratante que a Nadja fez aparecendo de sutiã e calcinha não foi enquanto ela estava ainda na Band? E tem uns dois anos isso. Ademais, não é preciso eu ter que assistir o "Pânico" na sexta-feira para ver as imagens. É só eu ir no site do programa para isso, não entendi teres feito referência à reprise e não a este recurso bem mais fácil da Internet.

"Nadja Haddad participando do flyjet no 'Pânico na Band' representando muito bem a categoria dos jornalistas. É realmente um monumento de mulher, além de ótima profissional. Na boa: será difícil esquecer da imagem dela participando desse quadro. Em tempo: não sou tarado." (Saulo Maciel)
Imagina se fosse. (risos) Só brincadeira para descontrair.

Clipe do Dia

Filho de Dorival e irmão de Nana e Danilo, Dori Caymmi completa 70 anos nesta segunda-feira. Um exemplo da arte de sua música está aqui: "Alegre Menina", em apresentação no Heineken Concerts de 1996.

Antes do Arremate...

...digo que dois registros estão ausentes daqui da "24 Horas" pois ganharam "Momentos Raridade Rara" na coluna "Papo de Mídia" de hoje: os 40 anosdo Campeonato Paulista que Santos e Portuguesa dividiram por causa do erro de contagem de Armando Marques e a aposentadoria do meio-campista Deco, anunciada nesta manhã.

Arremate

Oito jogos entre cariocas e gaúchos na Série A. Saldo: sete vitórias do RS e um empate. Derrubadaço o RJ.

"24 Horas" volta antes que um time do Rio ganhe de um dos dois de Porto Alegre no Brasileirão!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia").

TWITTER: @papodebola
E-MAIL: papodebola@gmail.com


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.


 
Seja mais um seguidor do Papo de Bola e leia as manchetes do site e comentários diversos.

PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.