.


.

  24 Horas
  Papo de Mídia
  Academia Esportiva
  Papo Especial
  Especiais PB
  O Jogo da Minha Vida
  Rádio PB
  PB Interativo
  Sites Parceiros
 

OFERECIMENTO

.

ATENÇÃO: página melhor visualizada em 1024 x 768 - Seja bem vindo ao PAPO DE BOLA - O SITE!

.

24 HORAS
Futebol, esportes, sintonias e belas

.

20 de agosto de 2012 - ANO 10, EDIÇÃO 9
Quando acho que já vi de tudo em futebol...



Galo forte, vingador e com espírito vencedor

Em 22 anos acompanhando futebol, já vi um catatau de clubes vencer torneios nacionais e além-fronteiras. Um dos poucos dos principais que ainda não assisti ao vivo (mesmo que pela TV) festejando um grande feito foi o Atlético Mineiro. Sim, ele ganhou duas vezes a Copa Conmebol na década de 90, mas esta é uma competição que não recordo de ter acompanhado. A grande lembrança que tenho dos alvinegros das alterosas é da grande decisão do Campeonato Brasileiro de 1999, perdida para o Corinthians no terceiro jogo. Pois desta vez, como só mesmo há 13 anos, pinta em vivo preto e vivo branco a real possibilidade do Galo ser campeão nacional.

O duelo do Sudeste no Independência foi muito intenso e rendeu fortes emoções. Lodeiro quase abriu o placar para o Botafogo, não dá pra perder uma chance sem goleiro. O Atlético respondeu, Jefferson que o diga. Mas foi o goleiro carioca que sorriu primeiro pois Andrezinho converteu a jogada por ele iniciada. E sabe o gol perdido pelo Lodeiro? Um estrangeiro foi às redes antes do intervalo, mas não ele e sim Escudero para os mineiros. Depois disso, Seedorf reivindicou um pênalti, mas não achei que o existente pisão em seu pé fosse suficiente para impedi-lo de continuar em ação. Por isso, absolvo Anderson Daronco por nada marcar.

Na etapa final, o Atlético virou com mais um lance assistido por Ronaldinho e concluído por Jô, duas figuras fundamentais desta equipe. Falei em pênalti que eu não marcaria. O que eu marcaria foi anotado, do Leonardo Silva no Rafael Marques. 10 minutos para o último trilar de apitante, Andrezinho dobrou e o Fogão ao jogo voltou. A essa altura da parada, Carlos César e Neto Berola já pisavam na relva das alterosas. Pois eles protagonizaram o golaço que deu ao Galo os 3 pontos, com passe de calcanhar e conclusão sobre o goleiro.

Mesmo que perca as duas partidas que restam e que o Fluminense bata o Vasco, o empate em pontos ainda deixará os cariocas atrás por uma vitória a menos. Por isso, o Atlético Mineiro já é o simbólico "campeão de inverno" do Brasileirão. Mais do que isso, a solidez da campanha do time do Cuca nos impede de ter outras ideias que não as melhores possíveis: são 13 vitórias em 17 jogos, com uma única perda, além de uma média próxima de 3 gols feitos para cada um sofrido. Não consigo imaginar um segundo turno desastroso do alvinegro.

Custou, mas a vitória surgiu

Mesmo com muitos desfalques no Cidadania, o Fluminense fez valer sua superioridade na classificação contra um Sport que não deixava de aprontar - Diego Cavalieri que o diga na ótima chance perdida pelo Ritchelly e na falta cobrada por Hugo. O Tricolor perdeu quatro boas oportunidades, duas com Thiago Neves (uma inacreditável na cara do gol e levemente adiantado) e duas com Wagner. Uma destas foi brilhantemente detida por Magrão, que apareceria no segundo tempo mais duas vezes. O Leão não saiu na frente pois outra vez Ritchelly pecou, desta feita vencido por Cavalieri. Tudo complicou quando Tobi foi justamente expulso por segundo amarelo. E por mais que Magrão fosse uma muralha, nada pôde fazer contra Samuel "Balotelli" na finaleira. Resultado muito justo.

Enquanto o Fluminense é vice-líder consolidado e maior inimigo do Atlético Mineiro na batalha pelo título, o Sport vai de mal a pior. São 9 partidas sem vitória e 6 seguidas sem marcar um gol sequer. Claro que na pontuação não se deve fazer tanta terra arrasada pois são 2 pontos de distância para o primeiro fora dos quatro últimos, mas não é oferecida perspectiva de melhora. Waldemar Lemos terá que bancar um salvador da pátria neste returno.

Furadas e acertos

Não foi um bom Clássico dos Milhões e não foi bom o público de pouco menos de 20 mil fãs. O Vasco foi detido por Felipe em três oportunidades, duas delas no mesmo lance. Goleiro rubro-negro inseguro, goleiro vascaíno a mesma coisa. Diferença básica: o Flamengo aproveitou a bobeada do Fernando Prass e festejou com Vagner Love, do qual é criado uma dependência incrível pois, após 8 jogos de jejum, ele anotou todos os últimos 5 tentos da equipe. Love, que só neste ano de 2012 foi pras redes cruzmaltinas por 3 vezes em 4 clássicos.

A etapa final foi fraca e teve como destaques duas vitórias pessoais de Felipe contra Carlos Alberto e a "parte 3" do filme "Como Pode, Flamengo?", que teve Deivid como protagonista na "parte 1", Vagner Love e Hernane na "parte 2" e, agora, Léo Moura aprontando algo que, se eu sou dirigente flamenguista, me faz invadir o campo de jogo com seu contrato em mãos para rasgá-lo e demiti-lo com a justificativa de atentado à lógica futebolística.

Fanfarronices exageradas à parte, este foi o primeiro Flamengo x Vasco em Brasileiros com um vitorioso desde 2008, já que os dois de 2010 e os dois de 2011 terminaram empatados. Além disso, o Cruzmaltino perdeu terreno na briga pelo título, 7 pontos distante do líder Atlético Mineiro. Consequência natural de 3 fracassos seguidos.

Massacre no Sul (parte 1)

Com exceção de uma que outra invasão de sua área, o Grêmio foi senhor absoluto ante um Figueirense cada vez mais... digo, cada vez menos, pois "mais" não tem constado do seu dicionário. 30 mil viventes no Monumental assistiram Marcelo Moreno ser um assistente decisivo para três dos quatro gols, dois deles feitos por Leandro, que mereceu por insistente, persistente e nada desistente. O boliviano, que só não participou da última proeza, acertou a trave num voleio beleza pura. Pecado, pois seria um gol sensacional. Mas desta vez não fez falta.

Foi apenas a terceira vitória do Imortal em ontem completados 8 jogos contra o Furacão do Estreito na metrópole do invernico mais sem vergonha, fajuto e esquisito do Brasil em 2012, que não é outra além de Porto Alegre, com seu veranico fora de época que muito me agrada por estarmos no meio-termo que faz meu gênero (mas isso é assunto para eu tratar com as lindonas do tempo, e o "Sintonia PB" desta edição é só mais adiante).

Empate que deu sono

Não fosse uma fantástica aparição de Dida ao bloquear Kléber e Leandro Damião no mesmo lance, o primeiro tempo de Portuguesa x Internacional não teria um só registro mais especial. Alguma coisa a mais aconteceu no tempo segundo, mas não com Nei, que deu um chutinho chumbregamen depois de um lançamento ótimo do Forlán. Aconteceu foi o gol do estreante Juan (e o comentário geral no Twitter: ele precisou de um jogo para fazer o que o uruguaio ainda não fez em 5). Mas os gaúchos cederam o empate aos paulistas, não na bicicleta perigosíssima do caído Bruno Mineiro, mas numa penalidade máxima que não me convenceu.

O resultado foi lógico dentro do histórico deste encontro. Nos 9 jogos já realizados no Canindé, o Colorado ganhou somente uma vez, contra cinco êxitos da Lusa - que, neste Brasileirão, não perde há 8 rodadas.

A hora do monólogo

Sábado à noite, mandante vindo de três derrotas seguidas e adversário pouco estimulante. Com tudo isso jogando contra, até que quase 10 mil pessoas no Cícero não foi tão ruim, embora é claro que nem de longe uma plateia condizente com tão gigante palco. O tempo todo só deu São Paulo, Rogério Ceni se redimindo do gol contra (até você contrariando a verdade do fato no Recife e querendo tirar o gol do Araújo, Edu Cesar? Tsc, tsc, tsc) e Lucas mostrando que, ainda que já negociado, segue muito importante para Ney Franco.

O gozado é que Roger, autor do flagrante pênalti que abriu os trabalhos, quase esquentou a chapa nos minutos finais ao bater cruzado muito perto do gol. Mas não era noite da Macaca e sim do Tricolor, epilogada no baita gol do Osvaldo, despistando três adversários e só passando da conta ao tirar a camisa. Uma vitória que injeta ânimo aos são-paulinos e uma derrota outra vez baixando as expectativas campineiras.

Massacre no Sul (parte 2)

Falei mais acima que o Grêmio foi senhor das ações contra o Figueirense. A mesma coisa vale para o Coritiba contra um Cruzeiro que até chutou em gol na metade inicial, mas desapareceu quando em desvantagem. Ayrton comandou as picapes em três cobranças de falta, uma concluída nas redes por Lucas Mendes, outra defendida por Fábio e a última na gaveta. Na metade final, Roberto decretou a trinca, mas em seguida cometeu na pequena área um desperdício inaceitavelmente estapafúrdio mais doído do que levar chutes às pampas nos testículos. Mas um contra-ataque encaixado à perfeição para conclusão de Anderson Aquino fechou a conta e passou a régua.

Enquanto o Coxa não ganhava há quatro rodadas, a Raposa deveria ter perdido por W.O., assim afirmou Fábio.

E os três impedimentos, hã?

Não foi o mais importante encontro deles em 2012, este foi o da volta na semifinal da Libertadores (o maior da história centenária, já que decidindo o brasileiro finalista da maior competição das Américas). Mas sem sombra de dúvidas foi o mais eletrizante pega de alvinegros paulistas na temporada, com emoção o tempo inteiro, gols aos montes e até mesmo um dos erros mais escandalosamente ridículos em 22 anos que assisto futebol.

O Corinthians saiu na frente com justiça pois atacava mais e fez Rafael entrar em ação por três oportunidades, mas uma hora sucumbindo. O Santos empatou no primeiro gol do André em seu retorno e virou numa patacoada digna de render uns 10 anos de suspensão para o bandeirinha Emerson Augusto Carvalho. Três jogadores em nítido impedimento e nada foi marcado. Nada! O da conclusão do André foi uma aberração. O Peixe nada tem a ver com isso, claro, e o Timão poderia perfeitamente ter vencido pois chegou ao empate no segmento final. Mas alvinegro por alvinegro, o da Vila Belmiro conquistou os suadíssimos 3 pontos perto dos acréscimos.

Noves fora o triplo impedimento digno de render pedido de música pro Tadeu Schmidt no "Fantástico", Santos e Corinthians protagonizaram uma batalha à altura de suas gloriosas histórias. Serviu apenas para distanciar o Peixe das últimas posições e praticamente de nada pro Coringão pois para ele o Brasileirão é título ou descenso (e nem uma e nem outra coisa acontecerão). Mas foi um belo entretenimento para a tarde deste domingo.

Valeu pelo golaço

Joguinho rrrrrruim com "RRRRRU" maiúsculo (baixou Carlinhos em mim, é?) esse clássico do Nordeste. Pouco, muito pouco a observar. Gideão foi sensacional ao barrar no baile um cabeceio à queima-roupa do Fahel e, nos finalmentes, Martinez marcou um super gol para dar ao Náutico a vitória contra um Bahia ainda mais pra lá do que pra cá. Como jogo de futebol, digno dos 14 mil fãs pedirem a grana de volta. Mas deu Timbu e todos curtiram.

Dragonizando os paulistas

Numa liberdade até constrangedora, Eron entrou como quis para deixar o Atlético Goianiense em vantagem contra o Palmeiras, que se mostra muito dependente de Barcos. Todos os últimos 7 gols alviverdes em 5 dos últimos 7 jogos foram registrados por ele. Mas de nada adiantou se o Dragão outra vez contou com muita liberdade para desempatar e chegar à interessante marca de apenas uma derrota nas últimas 7 rodadas. Não representa tanto pois houve muitos empates, mas melhor isso do que nada. Ademais, o Atlético é o "inimigo público número 1 dos clubes paulistas", perdendo somente para a Portuguesa, mas ganhando de dois e empatando com três.

Rescaldo dos palpites I

Em um fim de semana raro pois todos os jogos foram vencidos pelos mandantes (exceção a Portuguesa x Internacional), até que fui excelente nos prognósticos, com 8 acertos: 1 x 1 no Canindé, Fluminense, Náutico, São Paulo, Atlético Mineiro, Coritiba, Grêmio e Atlético Goianiense. Vocês também se apresentaram bem:

8 acertos
Celso Luís Gallo (2 exatos: 1 x 0 Náutico, 1 x 1 no Canindé, Fluminense, São Paulo, Atlético Mineiro, Santos, Grêmio e Atlético Goianiense)

7 acertos
João Arruda (2 exatos: 1 x 0 Náutico, 1 x 0 Flamengo, Fluminense, Atlético Mineiro, Santos, Grêmio e Atlético Goianiense)
Natanael Felipe Rhoden (2 exatos: 1 x 0 Náutico, 2 x 1 Atlético Goianiense, Fluminense, São Paulo, Atlético Mineiro, Santos e Grêmio)
Carlos Eduardo Sampaio Queiroz (Fluminense, Náutico, Santos, Coritiba, Grêmio, Atlético Goianiense e Flamengo)
Carlos Rodrigues (Fluminense, Náutico, São Paulo, Atlético Mineiro, Santos, Coritiba e Grêmio)
Douglas Ernesto Fernandes Gonçalves (Fluminense, Náutico, São Paulo, Atlético Mineiro, Santos, Coritiba e Grêmio)

6 acertos
Anderson Costa (1 exato: 1 x 1 no Canindé, Fluminense, Náutico, Atlético Mineiro, Santos e Grêmio)
Fernando Melotti Constancio (1 exato: 1 x 1 no Canindé, Fluminense, Náutico, Atlético Mineiro, Coritiba e Grêmio)
Paulo Henrique de Oliveira Santana (1 exato: 1 x 1 no Canindé, Fluminense, Náutico, São Paulo, Atlético Mineiro e Grêmio)
Wanderson Ferreira (1 exato: 1 x 0 Fluminense, São Paulo, Santos, Coritiba, Grêmio e Atlético Goianiense)

5 acertos
Alexandre Rodrigues Alves (Fluminense, São Paulo, Atlético Mineiro, Santos e Grêmio)
Fernando Henrique França Gemignani (Fluminense, Náutico, Coritiba, Grêmio e Atlético Goianiense)
Gabriel Aguiar (Fluminense, Atlético Mineiro, Santos, Coritiba e Grêmio)

4 acertos
João Pedro Brasil (2 exatos: 3 x 2 Santos, 2 x 1 Atlético Goianiense, Fluminense e Grêmio)

3 acertos
Clayton Moreira (1 exato: 3 x 2 Santos, Grêmio e Flamengo)
Danilo Otoni (Náutico, Santos e Coritiba)

O que vem por aí

Passado este meio de semana de rodada de volta da fase nacional da Copa Sul-Americana e do Santos na ida da Recopa, chegaremos ao desfecho da primeira metade deste Brasileirão, com a rodada dos clássicos. Curioso e muito interessante: metade da rodada terá jogos entre os 10 da "primeira página" e a outra metade opõe os 10 da "segunda página". Se vocês tiverem pressa, eis as próximas pelejas: no sábado, Palmeiras x Santos, Vasco x Fluminense e Ponte Preta x Portuguesa; no domingo, Botafogo x Flamengo, Corinthians x São Paulo, Figueirense x Coritiba, Internacional x Grêmio, Bahia x Atlético Goianiense, Cruzeiro x Atlético Mineiro e Sport x Náutico.

Destaques da Série B

Rubro-negro ajudando rubro-negro. O terceiro sucesso seguido do Atlético Paranaense foi celebrado pelo Vitória, já que contra o não mais líder Criciúma. Três vitórias consecutivas também do Ceará, que detonou o Bragantino de virada. Três também do ABC, mas derrotas em série após cair diante do Boa Esporte, que não ganhava há 4 rodadas. Multiplique por quatro e temos em 16 atuações a sequência sem derrota do São Caetano, que "oxou" com o Goiás graças a Luís, que segurou um pênalti chutado por Iarley. Por fim, ASA e Paraná ficaram iguais.

Rescaldo dos palpites II

Se na Série A eu fui aquele banheiro envolventemente perfumado, na Série B eu fui um vaso entupido e bem sabem o que quero dizer (hahaha). Só o Ceará eu acertei. Só o Ceará! Valeu, Vozão, me livraste de uma pouca vergonha que me faria sair de casa com um saco pra esconder meu rosto. Mas vocês também foram mal...

6 acertos
Carlos Rodrigues (1 exato: 1 x 1 em Arapiraca, Vitória, Guarani, Avaí, Ceará e empate em Goiânia)

4 acertos
Carlos Eduardo Sampaio Queiroz (1 exato: 1 x 1 em Belo Horizonte, Guarani, Avaí e Ceará)

3 acertos
Natanael Felipe Rhoden (1 exato: 2 x 1 Vitória, Guarani e Avaí)
Anderson Costa (Guarani, Avaí e Ceará)
Danilo Otoni (Vitória, Avaí e Ceará)

2 acertos
Fernando Clemente (1 exato: 2 x 1 Vitória e Atlético Paranaense)
Alexandre Rodrigues Alves (Guarani e Avaí)

O que vem por aí

Novo líder, o Vitória vai pro confronto do Nordeste contra o Ceará. Em rodada de clássicos, o Criciúma protagoniza o principal deles, contra o Avaí. Rodada de semana inteira para chutes aceitos até a noite desta terça-feira, em encerrado o Horário Eleitoral Gratuito da TV: amanhã, Criciúma x Avaí, Ipatinga x América Mineiro e Barueri x Guaratinguetá; na sexta, Ceará x Vitória; e no sábado, São Caetano x Guarani, Paraná x Atlético Paranaense, Joinville x Goiás, América de Natal x ABC, CRB x ASA e Boa Esporte x Bragantino.

Mais Brasileirão

A Série C teve disputadas 8 das 18 rodadas desta classificatória. No Grupo A, o Luverdense lidera com 18 pontos após vencer o Santa Cruz com dois gols de Rubinho, melhor no futebol de seu país do que na Fórmula Indy (eh, eh, eh), enquanto o Fortaleza soma 17 após ganhar do Icasa na terra do hoje pela 67ª vez aniversariante José Wilker. Esta chave teve um jogo incrível, no qual o Cuiabá abriu 2 x 0, levou a virada do Guarany de Sobral e reviravoltou para 4 x 3. No Grupo B, a Chapecoense fez a contagem mínima no Madureira e tem 15 pontos, dois a mais que Caxias, Oeste e os próprios fluminenses aos quais derrotou.

Na Série D, dois artilheiros musicais ignorados pelo Tadeu Schmidt na Globo: Rodrigo, que fez todos do CENE nos 3 x 1 contra o Ceilândia, e Caion, trincador do Mirassol nos 4 x 1 sobre o Arapongas. Este foi o placar da derrota do Araguaína para o Santos do Amapá, com o gol de honra anotado por... Balotelli, que eu não sabia que se dividia entre Tocantins e Manchester. E nos 5 x 1 do Atlético Acreano, Jessé arremessou o Náutico de Roraima contra o cais em duas oportunidades.

"Pelas Zoropa"

Espanha - Com 16 minutos, já era de 3 x 1 a vantagem, com dois do Messi. Acabou 5 x 1 para o Barcelona contra a Real Sociedad. Aliás, não foi o domingo dos reais, pois o Real Madrid só empatou com o Valencia e ainda teve Pepe internado em um hospital da cidade pois se chocou com Casillas no fim do tempo primeiro. A grande partida desta primeira rodada apresentou o Betis largando com 3 x 0 de frente, permitindo o empate ao Athletic Bilbao e depois vencendo por 5 x 3. Que jogo louco!

Inglaterra - Dois gols antes dos 10 minutos e o Chelsea superou o Wigan, em jogo que marcou a estreia do Oscar no final. O campeão Manchester City teve dificuldades muitas, logo de cara perdendo Aguero contundido com gravidade. Somente depois de um pênalti perdido os Citizens abriram os trabalhos, só que tomando a virada do Southampton e apenas nos 15 minutos finais empatando e revirando. O Liverpool tomou 3 do West Bromwich, o Arsenal "oxou" com o Sunderland e dois 5 x 0 foram registrados, um do Fulham diante do Norwich e outro do Queens Park Rangers sobre o Swansea. Esta tarde, o Manchester United estreia fora, contra o Everton.

Portugal - Só empates nas estreias dos três grandes, os de Porto com o Gil Vicente e de Sporting com o Vitória de Guimarães sem gols, enquanto Benfica e Braga marcaram 2 vezes cada.

Itália - O Troféu Luigi Berlusconi, realizado há 21 anos, tinha o Milan em vantagem gol do Robinho, mas a Juventus virou e ampliou, depois não importando outro gol do brasileiro para os rossoneri.

Curtinhas

*Depois de afundar no Guaratinguetá, Pintado é o novo técnico do CRB, a quem Roberto Fonseca disse "vá com Deus" depois do 0 x 4 "aplicado" no Guarani na sexta-feira. Boa sorte, Luís Carlos. Você precisará. Um monte.

*O Bella Vista não vai jogar o Torneio Apertura do Uruguai pois não quitou dívidas convertidas na nossa moeda para 680 mil "dilmas" com ex-treinadores e ex-jogadores. Se é aqui no Brasil, sobrariam quem para jogar?

*O ATP de Cincinnati foi vencido por Roger Federer com 2 sets a 0 sobre Novak Djokovic, com direito a um humilhante 6/0 no primeiro set (e 7/6 no segundo).

E atenção, pessoas!

Chegou aquele momento de eu saber com antecipação um presente que ganharei no dia do meu aniversário: "Sintonia PB", antenado no que ocorre fora dos esportes. Às novidades:

*Porto Alegre e adjacências, "se preparem-se consigos mesmos": dia 16 de setembro, um domingo, estreia na TV Bandeirantes "Corcel 73", o programa do primeiro e único Everaldo Guilherme, o DJ popular que é um dos vários personagens engraçadíssimos do Eron Dal Molin, apresentador do "Na Geral" da Rádio Esportes FM. Segundo ele, o tema musical de abertura - feito por sua banda Myjonus Brothers - será uma mistura de Guns 'n' Roses com "Fuscão Preto". Quem já escutou Everaldo Guilherme sabe: vem aí domingos altamente... indescritíveis.

*Leio no SulBRTV uma saída na reportagem da RBS TV daqui de Porto Alegre: Shirlei Paravisi, sempre presente também nos noticiários da Rede Globo, foi migrada para a coordenação da RBS de Caxias do Sul, substituindo Juliana Bolson, que voltou para Santa Catarina para ser a nova chefe esportiva da RBS naquele Estado. A saber se continuarei vendo a Shirlei no vídeo e se sua vaga aqui em "Inverno Alegre" será preenchida - e por quem.

*Finalmente consegui ver na sexta-feira um pouco do "Tudo a Ver" da Record/RS, e me deu a impressão dele ser todo gravado. Lá pelas 15h30, quando retornado de um intervalo, houve um corte estranho no fim da vinheta e a apresentadora Aline Schneider fez um comentário rápido sobre a última matéria exibida, sem sequer avisar do retorno do programa. Ou seja: para ela na gravação o "Tudo a Ver" continuou, mas o exibido no ar teve o corte.

*Daqui a alguns dias, a Rede Record retomará o "Programa da Tarde", reeditando a parceria de Britto Jr. e Ana Hickmann tanto no "Hoje em Dia" quanto em "O Jogador". O filho do Hilton Britto foi perguntado pelo IG se a nova versão do antigo programa da Maria Cândida (observação minha, registre-se) terá semelhança com o "Encontro com Fátima Bernardes", e respondeu que nenhuma e que esta atração tentou "inventar a roda" já descoberta há muito tempo, mas é uma tentativa que não se sabe onde vão chegar e o que querem. Mais um nítido sinal de uma transparecida mágoa do Britto com a Globo, à qual apresentou o projeto do "Hoje em Dia" quando repórter dela, mas não o teve aprovado e o emplacou quando transferido para a Record, em 2005.

*No primeiro dia sem "Record Notícias" e com a segunda edição do "Balanço Geral" ocupando a faixa das 12h às 14h40 em São Paulo, Adriana Reid segue apresentando o "Fala Brasil", mostrando que não é pouca coisa aquela dor nas costas da Carla Cecato. Hoje, Adriana formou dupla com Roberta Piza, já retornada da Olimpíada.

*Leio no Flávio Ricco o novo diretor de jornalismo do SBT no Rio de Janeiro: Diego Sangermano, egresso da emissora daqui de Porto Alegre e que foi repórter da matriz de São Paulo. A troca de centro se dá pelo trabalho bem sucedido dele por aqui, consolidando o formato popular do "SBT Rio Grande" e emplacando uma nova opção matutina no "Jornal do SBT Rio Grande: Manhã". Antônio Castelo sai pra entrada do Diego, que conheci quando acompanhei o lançamento da nova fase do jornalismo do SBT/RS, com o novo apresentador Rafael Rocha (agora na Record) e um dos então diretores da matriz, Márcio Moron (hoje no Fox Sports). Boa sorte pro Diego no Rio.

*Outra que leio no Ricco: o último fim de semana teve vários testes com jornalistas candidatas à posição de guria do tempo do "SBT Brasil", testes estes coordenados por Karyn Bravo, que recentemente deixou a função pois agora apresenta o "Jornal do SBT" no início da madrugada. Joyce Ribeiro tem feito a função, mas não é definitiva pois ficará alguns meses fora do ar por ser mamãe. Na última semana, o tempo foi apresentado pela Carolina Aguaidas, minha conterrânea que também fez o tempo dos noticiários da Band/RS quando nela atuante.

*Mudam os começos da tarde da Globo News a partir desta segunda-feira. Maria Beltrão e comentaristas do "Estúdio i" chegarão às 13h, depois dele entrando Sidney Rezende com o noticiário econômico da "Conta Corrente" às 14h30, ao seu final começando um inédito "Jornal da Globo News" às 15h.

*Publica o Jornalistas & Cia. que Carlos Alberto Sardenberg não é mais colunista de O Estado de S.Paulo, do qual sai por desacerto salarial para renovação de contrato. A renovação foi topada por O Globo, que manterá a coluna econômica do comentarista do "Jornal da Globo" e apresentador do "CBN Brasil".

*Mais uma do Flávio Ricco, que nos últimos dias informou a possibilidade de extinção do "Primeiro Jornal": para seu lugar, a Bandeirantes começa a criar um novo matinal para misturar jornalismo e entretenimento, a estrear em 2013. Bem que poderia ser uma nova tentativa do "Dia Dia", mas não desse feito pelo Daniel Bork (o qual ignoro, não o programa em si, mas a existência do Bork mesmo) e nem mesmo daquele feito por ele, Lorena Calábria e Patrícia Maldonado, mas sim o clássico dos anos 90, com Tavinho Ceschi e Cláudia Capasso. Ô programa bom!

*O Horário Eleitoral Gratuito tem início nesta terça-feira. No rádio, apresentação das 7h às 7h30 e das 12h às 12h30, e na televisão aberta entre 13h e 13h30 e das 20h30 às 21h, de segunda a sábado (somente no segundo turno a propaganda entre também aos domingos). Semana passada, leram neste tópico as mudanças na grade da Globo a partir de amanhã. Na da Record, só o que acontece é a faixa local do almoço ter meia hora a menos e "Rebelde" ser apresentada às 21h, ficando onde já estavam os jornais locais noturnos e o "Jornal da Record".

*No SBT, a alteração na programação de São Paulo e parte da rede puxa "As Visões da Raven" para 12h30 e, a partir do fim da tarde, "Casos de Família" às 17h, "Chaves" (nacional) às 18h, "Chaves" (e jornais locais) às 18h45, "SBT Brasil" às 19h10, "Carrossel" às 19h50 e "Programa do Ratinho" às 21h. Preferiram a Professora Helena em confronto com os jornais de Globo e Record a deixá-la simultânea à "Avenida Brasil".

*Em termos de Rio de Janeiro, considerando-se as normalidades horárias de "SBT Rio" às 11h50 e "Balanço Geral" às 12h, a grande diferença nestes dias se dará das 12h35 às 13h, quando SBT e Record enfrentarão não o "RJTV" e sim o "Globo Esporte". Rogério Forcolen e Wagner Montes normais e Ana Paula Araújo reduzida.

*Na RedeTV!, conforme a grade em seu site, o "TV Fama" entrará mais cedo, às 18h45, ocupando a faixa do "Espaço Teen", enquanto o "RedeTV! News" começará às 20h. Tudo para manter o R. R. Soares às 21h30. É...

Bela do Dia: Catalina Ponor

Catalina Ponor, ginasta romena, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 e prata e bronze em Londres 2012. Hoje, ela faz 25 anos.

*A saideira triste: foi encontrado morto aos 68 anos, nas águas de um rio perto de uma ponte no subúrbio de Los Angeles, o diretor de cinema Tony Scott. Acredita-se que ele tenha saltado da ponta pois foi encontrada em seu carro, a poucos metros da mesma, uma carta ainda não se sabe com o quê nela escrito. O irmão de Ridley Scott dirigiu David Bowie e Susan Sarandon em "Fome de Viver", Eddie Murphy em "Um Tira da Pesada 2", Bruce Willis e Damon Wayans em "O Último Boy Scout: o Jogo da Vingança", Christian Slater e Patricia Arquette em "Amor à Queima-Roupa", Denzel Washington e Gene Hackman em "Maré Vermelha", Will Smith em "Inimigo do Estado" e, notadamente, Tom Cruise em "Dias de Trovão" e, principalmente, em "Ases Indomáveis". Triste!

E fique antenado! "Sintonia PB" continua de olho no que ocorre fora dos esportes e retorna na próxima coluna, se eu não estiver vivendo um intenso romance com uma loira linda ao som de "Take My Breath Away", do Berlin.

Aviso aos navegantes

Alguns e-mails pendentes de publicação do fim de semana eu registrei na coluna de domingo. Os enviados ontem e hoje publicarei na próxima edição, pois hoje me encontro sem condição de ficar mais uma hora desperto, podre de sono que estou ao concluir as duas colunas desta segunda-feira. Mas sigam escrevendo, eu deixo (risos).

Participe pelo papodebola@gmail.com. Sua opinião será registrada nas próximas colunas.

Clipe do Dia

A má da música: aos 73 anos, de síndrome de Guillain-Barre, morreu no sábado Scott McKenzie, intérprete do famoso tema sessentista "San Francisco (Be Sure To Wear Some Flowers In Your Hear)", que vemos aqui.

Arremate

Morte relacionada ao futebol. Briga entre torcedores de Flamengo e Vasco. Até quando tais barbáries?

"24 Horas" volta esperando, sinceramente, que um dia isso não aconteça mais!

O COLUNISTA: Edu Cesar é criador e editor do Papo de Bola (autor também da coluna "Papo de Mídia").

E-MAIL: papodebola@gmail.com


LEIA
COLUNAS ANTERIORES
VEJA
"BELAS DO DIA" ANTERIORES

.

.

.


Confira as manchetes do Papo de Bola - o Site, o acompanhamento das rodadas de futebol e comentários diversos. Para ser mais um seguidor, clique aqui.
 
PAPO DE BOLA - O SITE Desde 2/6/2003 Jogue junto com este time!
Criação, produção e edição Edu Cesar E-mail papodebola@gmail.com

.